Beltrano - Edição 656

 
O inferno e o paraíso
 
Um candidato à reeleição a deputado federal está andando tranquilamente pela BR-282, na altura da fábrica de barcos, quando é atropelado por um caminhão e morre. A alma dele chega ao céu e dá de cara com São Pedro na entrada. 
- Bem-vindo ao paraíso! Antes que você entre, há um probleminha. Raramente vemos parlamentares por aqui, sabe, então, não sabemos bem o que fazer com você - diz São Pedro. 
- Não vejo problema, é só me deixar entrar - diz o antigo deputado federal catarinense. 
- Eu bem que gostaria, mas tenho ordens superiores. Vamos fazer o seguinte: você passa um dia no inferno e um dia no paraíso. Aí, você escolhe onde quer passar a eternidade - replica o santo.
- Não precisa, já resolvi. Quero ficar no paraíso - fala o deputado. 
- Desculpe, mas temos as nossas regras. 
Assim, São Pedro o acompanha até o elevador e ele desce, desce, desce até o inferno. A porta se abre e ele se vê no meio de um lindo campo de golfe. No fundo, ele vê o clube na frente do qual estão todos os amigos políticos que haviam trabalhado com ele, à beira da piscina. Todos muito felizes em traje de banho. Ele é cumprimentado, abraçado e eles começam a falar sobre os bons tempos em que ficaram ricos às custas do povo. Jogam uma partida descontraída, depois comem lagosta e caviar. Quem também está presente é o diabo, um cara muito amigável, que passa o tempo todo dançando e contando piadas. Eles se divertem tanto que, antes que ele perceba, já é hora de ir embora. Todos se despedem dele com abraços e acenam enquanto o elevador sobe. Ele sobe, sobe, sobe e a porta abre outra vez. São Pedro está esperando por ele. 
- Agora é a vez de visitar o paraíso. 
Ele passa 24 horas junto a um grupo de almas contentes que andam de nuvem em nuvem, tocando harpas e cantando. Tudo vai muito bem e, antes que ele perceba, o dia se acaba e São Pedro retorna. 
- E aí? Você passou um dia no inferno e um dia no paraíso. Agora escolha a sua casa eterna. 
Ele pensa um minuto e responde: 
- Olha, eu nunca pensei, mas... O paraíso é muito bom, mas eu acho que vou ficar melhor no inferno. 
Então, São Pedro o leva de volta ao elevador e ele desce, desce, desce até o inferno. A porta abre e ele se vê no meio de um enorme terreno baldio cheio de lixo. Ele vê todos os amigos com as roupas rasgadas e sujas catando o entulho e colocando em sacos pretos. O diabo vai até ele e passa o braço pelo seu ombro.
- Não estou entendendo - gagueja o deputado. - Ontem mesmo eu estive aqui e havia um campo de golfe, um clube, lagosta, caviar, e nós dançamos e nos divertimos o tempo todo. Agora só vejo esse fim de mundo cheio de lixo e meus amigos arrasados...
O diabo olha pra ele, sorri e diz: 
- Ontem estávamos em campanha. Agora já conseguimos seu voto!
 
Salário do político
Para testar a honestidade de um certo vereador, uma vez o nosso saudoso Joaquim da Câmara mandou pagar R$ 500 a mais no seu salário. O mês passou e o tal vereador não disse nada. No mês seguinte, o Joaquim faz o inverso e manda retirar R$ 500.
No mesmo dia, o vereador furioso telefona para o Joaquim e reclama:
- Houve um engano, tiraram R$ 500 do meu salário!
No que responde o Joaquim:
- Tem razão! Mas o curioso é que no mês passado também nos enganamos e colocamos R$ 500 a mais e você não disse nada!
Diz o vereador para o Joaquim:
- Pois, mas é que um erro eu ainda tolero, agora errar duas vezes eu já acho um abuso!
 
Confissão
Certa vez, um político de Palhoça, ao passar pelo padre Osvaldo, que estava em frente da Matriz, foi interceptado por ele, perguntando:
- Quer confessar seus pecados, seu prefeito?
Ele responde:
- Querer até quero, mas só falo na presença do meu advogado!
 
Pedido de voto na Jaqueira
Daí, né, um candidato estava fazendo casa a casa na Jaqueira, quando passou ali perto do Bar da Índia e encontrou caminhando na estrada uma moça e foi logo pedindo o seu voto:
- Oi, tenho 40 anos, sou deputado e uma pessoa honesta.
A moça respondeu:
- Encantada, eu tenho 35 anos, diarista e sou prostituta virgem!
 
Conto de fada
Um amigo meu, não querendo votar errado nesta eleição, resolveu ir até a livraria do Shopping ViaCatarina para comprar um livro sobre o assunto.
- Boa tarde! Estou à procura do livro “A Honestidade na Política”.
E a moça da livraria:
- Lendas e contos de fadas é na segunda prateleira à sua direita!
 
No hospício
Já em campanha eleitoral, antes de levar a facada, Bolsonaro foi visitar um hospício em Minas Gerais e foi recepcionado por um grupo de doidos.
- Viva o Bolsonaro! Viva o Bolsonaro! - gritam os doidos, vibrando como nunca.
Ao ver um dos componentes da turma calado, um dos assessores do candidato a presidente lhe pergunta:
- E você, por que não está gritando “Viva o Bolsonaro”?!?!
Ele respondeu:
- Porque eu não sou louco, sou médico!!!
Rá, rá, rá, rá...
 
Atendimento da saúde
O assessor chega até o gabinete do novo secretário de Saúde e diz:
- Aqui está, senhor secretário. Esta é a relação com o nome de todas as pessoas na cidade insatisfeitas com o atendimento da saúde em Palhoça.
O Rosiney pergunta:
- Muito bem. E a relação está em ordem alfabética?
E o assessor:
- Sim, senhor. É a lista telefônica do município.
 
O político e a vidente
Um determinado político catarinense, antes de cair na rua para pedir voto novamente, foi a uma vidente. Ela se concentrou, fechou os olhos e falou:
- Vejo o senhor passando em uma avenida, em carro aberto e uma multidão acenando.
O candidato sorri e pergunta:
- Essa multidão está feliz?
- Sim, feliz como nunca!
- E eles estão correndo atrás do carro?
- Sim, por toda a volta do carro. Os batedores estão tendo dificuldades em abrir caminho.
- Eles carregam bandeiras?
- Sim, bandeiras do Brasil, de Santa Catarina e faixas com palavras de esperança e de um futuro, em breve, melhor.
- Eles gritam, cantam?
- Gritam frases de esperança como: “Agora sim” e “Agora vai melhorar”.
- E eu, como estou reagindo?
- Não dá pra ver.
- E por que não?
- Porque o caixão está lacrado.
 
Palhoça tem?
Na semana passada, um desses candidatos a deputado de outra região veio a uma reunião política na casa de um cabo eleitoral da Barra do Aririú, que reuniu seus vizinhos para recepcioná-lo.
E o candidato a deputado começa o discurso:
- Gente, nesta cidade tem segurança pública?
E o povo responde:
- Nããão!
- Gente, nesta cidade tem rede de esgoto?
- Nããão!
- E hospital, gente? Nesta cidade tem hospital?
- Nããão!
Aí o deputado se zanga e diz:
- Pô, gente! Então mudem de cidade!


Publicado em 13/09/2018 - por Beltrano

btn_google.png btn_twitter.png btn_facebook.png








Autor deste artigo


Mais vistos

Publicidade

  • d83a8831fba6952d386c6501dc64c0ab.jpg