Beltrano - Edição 671

 

Mais um ano novo de novo


Que neste novo ano
Só se fale a verdade
Com justiça e caridade
Esse bem eu sempre louvo;
Está faltando dignidade
Que se plante mais bondade
No coração do povo.

Por isso peço aos políticos
Que estão na administração,
Que visitem as comunidades,
Dos pobres tenham compaixão
Nossa cidade é de cimento
Mas não é só de calçamento
Que vive a população.

Quem trabalha e dá progresso
Não recebe nenhum valor
Sem hospitais e sem médicos
Vive berrando de dor
Nossos políticos sem classe
Não veem que o progresso nasce
Das mãos do trabalhador.
O trabalhador assalariado
O que ganha, mal dá pra comer
Recebendo um salário mínimo
Vive condenado a morrer
Mas o bandido na prisão
Tem celular, televisão
Roupa, comida e lazer.

Este povo contumaz
Mexe com os brios meus
Faz do problema incentivo
Honrando os compromissos seus,
Porque maior do que tudo
É ouvir o lamento agudo
Da fé que ainda tem em Deus.

Se falta paz pelas ruas
É que a dignidade afunda
Até lá no cemitério
Onde se invade até tumba.
Que criem vergonha na cara
Seja homem ou rabo de saia
Não faça da cara uma bunda.
Nada é fácil nesta vida,
Mas em 2019 vamos perseverar
Que todos possam conquistar
Com trabalho e muita lida.
Pra este mundo mudar
E o ser humano encontrar
A felicidade perdida.

Para viver aqui em Palhoça
Não quero lugar requintado
Quero cumprir meus deveres
Antes que sejam cobrados
Por outro lado me empenho
Para que os direitos que tenho
Também sejam respeitados.

O meu sonho para 2019
É pra toda nossa gente
Que não vivamos o individual
E sim o coletivamente
Ter governantes de mentes boas
Para que todas as pessoas
Vivam mais dignamente.
Quero um país diferente
Sem ambição e cobiça
Quero ver por todo canto 
Menos marginal e mais polícia
Chega de ver tanto ladrão
Se passando por cidadão
E zombando da Justiça.

Quero ver a injustiça
Sumindo da sociedade
Quero o fim da politicagem
E de tanta desonestidade
Só assim a nossa nação
Vai ter saúde e educação
E segurança de verdade.

Que não haja desigualdade
Em Palhoça, em lugar nenhum
E que o bem-estar faça parte
Da vida de cada um
Sendo a ladroeira banida
E a sociedade envolvida
Pra promover o bem comum.

Que por todo canto da cidade
Cresçam os frutos da paz
Que cesse tanta violência
E que ela não volte mais
Que acabem com essa doença
Exterminando as diferenças
Entre as classes sociais.

Que aqui não exista fome
Que em toda mesa tenha pão
Que o gestor público seja honesto
E faça nossa a sua administração
Que a Justiça dê combate
E com seu veneno mate
A praga da corrupção.

Queremos políticos zelosos
Que sintam emoção e prazer,
Que possuam compromisso
E usem para o povo o poder
Para ajudar na nossa luta
Pregando paz e conduta
Para o povo melhor viver.

Todo mundo trabalhando
Pois já estamos em janeiro
Só a Câmara de Vereadores
Não entra nesse entrevero
Vão ter dois meses de férias
Só voltam a apreciar matérias
Lá no mês de fevereiro.

Queria desejar muita energia
E tudo que o ano novo traduz
Um fim de ano iluminado
Sem precisar carregar aquela cruz
Mas a Celesc de novo
Botou no fiofó do povo
Deixando a Pinheira sem luz.

Que lá no Sul do município
O povo faça uma simpatia
Reze para todos os santos
Todo o ano, noite e dia
Para que a Celesc crie vergonha
E a Samae pare de ser pamonha
Pra que não falte mais água e energia!

Falei demais, alguém diz,
Agora vou encerrar
Mas antes quero desejar
Algo que eu sempre quis:
Que janeiro de 2019, ao chegar
Seja um prenúncio para se encontrar
Todo o resto do ano feliz.



Publicado em 10/01/2019 - por Beltrano

btn_google.png btn_twitter.png btn_facebook.png








Autor deste artigo


Mais vistos

Publicidade

  • Banner-310x260.gif