Beltrano - Edição 692

A moda antiga e a nova moda

Sou do tempo em que não se comprava laranja nem goiaba, se pegava no pomar do vizinho! Era a época da velha Palhoça, onde se você tivesse curso de datilografia, conseguia emprego até na Nasa! Era um tempo em que os maiores pensadores eram Antônho do Bidunga, Erico Veríssimo, Machado de Assis... Hoje em dia são Wesley Safadão, Pablo, Mr. Catra, Valesca Popozuda... Rá, rá, rá, rá...

Eu, por exemplo, sou do tempo em que o namoro só era oficial se tivesse a autorização dos pais; hoje, só é oficial se tiver postado no Facebook! Antigamente, o cravo brigava com a rosa e a rosa saía despedaçada; hoje em dia, a Rosa compra Acnase, elimina os cravos e fica linda! Era “complicado”; hoje “é foda”.

Para se ter uma ideia, a gente usava “creme rinse”; hoje usamos “condicionador”! Isso sem falar que o “gel” substituiu a nossa querida “brilhantina”! Nós homens andávamos com um pente Flamengo no bolso; hoje, o homem usa fixador! A “Conga” virou “tênis” e o suspensório virou cinto! Antigamente, usávamos “pasta de dente”; hoje é “creme dental”!

Sem falar que “presta atenção” foi substituído pelo “se liga”! Eu vestia minha “japona” para ir à “domingueira”; o meu filho usa “jaqueta” para ir pra “balada”. Eu saía pra “paquerar”; ele sai atrás de “quem dê mole”. Eu “namorava”; ele “fica”! É por essa e por outras que no tempo do meu avô, o sonho dele era casar com uma mulher que nunca tivesse beijado; no do meu pai, com uma virgem; hoje em dia, se não tiver vazado nenhum vídeo já está bom demais! É mole? É mole, mas sobe!

Modéstia à parte, as “gurias” me achavam um “pão”; as “piriguetes” de hoje acham que o cara é “sarado”! Eu ficava “gamado”, o jovem de hoje fica “vidrado”! Para mim, era super “legal”; pra eles, hoje, é super “irado”.  Quando eu saía de casa, perguntava pra mamãe: “Mãe, posso ir?”; o jovem de hoje fala: “Véiaaaa, fui”. 

O tempo passou tão rápido que quando vi a Nova Palhoça do Ronério virou a Palhoça do Camilo e eu nem percebi que a “folhinha” tinha virado “calendário”! Sinceramente, se fosse antigamente eu ficava na “fossa”; atualmente, dizem que é “crise existencial”! Sempre que me sentia assim, ligava meu “raidinho de pilha”; os jovens de hoje ligam o iPod!

Às vezes, me bate uma “tristeza” danada, mas meu filho Davi diz que isso é “deprê”, e que é causada não mais pela “estafa” dos anos, mas pelo “estresse” do dia a dia!

Eu agradecia meu “coroa” dizendo: “Obrigado, pai”; meu filho, quando quer me agradecer, diz: “Valeu, meu véio”! Eu pedia “por favor”, e ele me pede pra “quebrar essa”! A relação com meu pai eu achava “legal”, já o meu filho acha nossa relação “irada”! Mas, como pai moderno, não quero “dar gafe” - ele me corrige, dizendo que “é mico”! Prefiro “dar no pé”, mas ele diz é preferível “vazar”! A gente conversa muito, lhe dou conselhos e pergunto se “entendeu”, e ele responde: “Copiei”! Eu gosto dos meus filhos “de montão”, e eles externam o que sentem por mim pra “cacete”! Mas, o que esperar de uma geração que nunca comeu pasta de dente Tandy?!

Dia desses precisei bater uma “chapa dos pulmões”, então o doutor Marcos Antônio me perguntou se eu não queria dizer “raio-X do tórax”! Até porque, com 63 anos, tenho medo de um “derrame”, que descobri que hoje se chama “AVC”! E ainda tem gente hoje em dia que diz que “velhice” é a “melhor idade”! Vê se pode?! 

Para se ter uma ideia de como tudo mudou, antigamente o Gedalvo “batia retrato”; hoje, o Edson José Paulo, o Norberto, o Maycon, o Xinho, “tiram fotos”! O Cabeção, antigamente, dizia que era “gordo”; hoje diz, todo bobo, que o que tem é “gordura localizada”! Rá, rá, rá, rá...

Na política também é a mesma coisa: a “mentira” virou “caô”, e o político “imitação” virou político “genérico”. Sem falar que a “fofoca” virou “babado” e o “embrulho” virou “pacote”! Os políticos de antigamente gostavam de ir à escola por causa da merenda no “recreio”; hoje, seus filhos gostam por causa da merenda no “intervalo”! O doutor Ivo Silveira, por exemplo, estudou com uma “professora”; já quem dá aula pra os filhos dos políticos de hoje são as “tias”!

Antigamente, quando o marido entrava pra política, a esposa continuava “do lar”, era raro uma contratar uma “faxineira”; hoje, elas contratam uma “diarista”. As mais abastadas - quer dizer, metidas a ricas - contratavam uma “empregada doméstica”; hoje, fazem questão de dizer que contratam “secretárias do lar”! Também era raro quem tinha um “professor de ginástica”; hoje, muitas delas possuem “personal trainner”!

Antigamente, o político tinha dor de cabeça de tanto se preocupar com o povo; hoje, vive tendo AVC (Ausência de Vergonha na Cara)! Falar em PF numa Prefeitura, Câmara ou Assembleia significava o almoço do meio-dia; hoje, o PF é a Polícia Federal, que geralmente chega de manhãzinha! Rá, rá, rá, rá... 

Para se eleger vereador ou prefeito, o político tinha que ser conhecido e bem quisto; hoje, basta ter dinheiro! Antigamente, promessa na política era dívida; hoje, é dúvida! Rá, rá, rá, rá...



Publicado em 06/06/2019 - por Beltrano

btn_google.png btn_twitter.png btn_facebook.png








Autor deste artigo


Mais vistos

Publicidade

  • Banner-310x260.gif