Beltrano - Edição 714

 

Os mortos que ainda vivem

 

Alguns políticos de Palhoça
Deixaram saudades ao irem embora
Fizeram a política do passado
E se perpetuaram na história.

Um desses políticos
Foi um orador de primeira
Foi prefeito de Palhoça
O palhocense Ivo Silveira.

Dr. Ivo fez história
A vida pública foi sua sina
Depois de administrar Palhoça
Foi governador de Santa Catarina.

Quando foi governador
Com Palhoça foi impertinente
Preferiu dar muito emprego
Do que trazer obras pra gente.

Com a idade avançada
E experiência na bagagem
Passou seus últimos anos
Recebendo homenagens.

Nos deixou no ano de 2007
Causando comoção municipal
O filho de Palhoça regressava
Para a sua terra natal.

O prefeito Ari Wagner
Homem bom e muito nobre
Entrou rico na política
E saiu de lá quase pobre.

Atendia todo o povo
Sem fazer distinção
E tratava os eleitores
Com muita consideração.

Faleceu em 1992
Partiu de cabeça erguida
Sua fama de político honesto
Jamais será esquecida.

Também devemos reverenciar
Outro prefeito de primeira
Que respirava política
E se chamava João Silveira.

Lembro-me do seu João
No banco da praça sentado
Abraçando todo o povo
E por ele sendo reverenciado.

Ao deixar a Prefeitura
É que teve seu apogeu
Nossa águia da política
Outros prefeitos elegeu.

Na época o povo dizia:
“Ganha onde o João pender”
Foi o que fez em 1972
Ajudando o Odílio a se eleger.

Num sábado triste de 1996
Acompanhei o seu funeral
Enquanto os políticos de seu partido
Estavam de porre eleitoral.

Se Palhoça foi chamada
De “terra dos maruins”
Também já foi conhecida
Por “terra do Nelson Martins”.

Como prefeito do município
Respeitou o voto do palhocense
Com Palhoça ganhou o título
De “Rainha do Litoral Catarinense”.

Faleceu em 1995
Deixando um grande legado
Seria bom que os atuais políticos
Se espelhassem nesses homens do passado.

Outro político de Palhoça
Que sua história eu contemplo
Tinha um coração de manteiga
E fez de sua vida um exemplo.

Seu nome: Reinaldo Weingartner
Que por Bá era chamado
Foi prefeito de Palhoça
E pelo povo admirado.

Não era um homem letrado
Mas encontrou a solução
Quando lhe faltava cabeça
Usava seu coração.

Deixou Palhoça em 2004
Como o sol ao entardecer
Se no céu não havia partido
Certamente fundou lá o MDB.

A saudade ainda dói no peito
Por um político colossal
Nos deixou em 2007
O prefeito Paulo Vidal!

Prefeito por duas vezes
Na política abriu caminho
Trilhado com maestria
Nos chamando de “quiridinho”.

Em Palhoça fez sua história
Conquistando o eleitorado
Além de ter sido prefeito
Foi vereador e deputado.

Um a um ao céu foram chegando
Certamente lá também colocaram o dedo
Por isso tenho certeza que lá no céu
Hoje já mandam mais que São Pedro.



Publicado em 07/11/2019 - por Beltrano

btn_google.png btn_twitter.png btn_facebook.png








Autor deste artigo


Mais vistos

Publicidade

  • Banner-310x260.gif