Boca Maldita - Edição 639

Gerson Merisio propõe corte de cargos no Estado

O pré-candidato ao governo do estado Gerson Merisio (PSD) promoveu “Sabatina pré-eleitoral”, no Hotel Majestic, em Florianópolis, onde expôs para a imprensa da região como pretende governar o estado de Santa Catarina, caso seja o escolhido do partido e vença a eleição deste ano.

Uma das propostas do pré-candidato é em relação a cargos no governo e na segurança pública. Ele propõe, se eleito, diminuir o número de comissionados do governo dos atuais 1.460 cargos para apenas 200 e com essa economia, contratar mais 5 mil policiais civis e militares.

Como ele vai fazer isso e ainda agradar os chupins, que infestam os mais variados partidos políticos que o apoiariam na eleição, é que é quase uma missão impossível, embora garanta que o governo precise adotar outro modal para administrar o estado. “As agências regionais, por exemplo, custam R$ 400 milhões por ano. Se não alterar o modelo de gestão e fazer esses cortes internos, vai faltar dinheiro para investir em áreas importantes. Precisamos cortar 1.260 dos 1.460 cargos comissionados. Ficarão apenas 200. Não é só isso que irá resolver, mas esse é o início da solução. Porque o modelo muda”, afirmou.

 

 

Recordando... A Matriz e o milagre do Santo

Matriz de Palhoça, ainda com uma só torre, inaugurada em 1883. Com a construção da segunda igreja na área central do município, localizada na Praça 7 de Setembro, a imagem do Senhor Bom Jesus de Nazaré foi transferida, e de maneira nada ortodoxa. Acontece que os moradores da região do Passa Vinte (hoje Praça XV de Novembro) não aceitavam a transferência da imagem, o que fez com que um grupo de pessoas da praça invadisse a capelinha de madrugada e levasse a imagem às escondidas para a igreja matriz. Depois de muita investigação por parte da autoridade policial, nada se apurou! Ninguém viu e ninguém sabia do ato criminoso. Então, diziam: “Se não houve furto, não houve roubo! Apenas operou-se um milagre!”

 

 

Catinga no ponto

Usuários de um ponto de ônibus na avenida Barão do Rio Branco, no Centro da cidade, pedem providências à Samae para que transfira o container (lixeira) que foi colocado junto ao ponto. Dizem que o cheiro é insuportável, além de atrapalhar a visão da chegada do ônibus. Com a palavra, a Samae de Palhoça.

 

A Boca Maldita é Sua

O professor de Educação Física Fernando reclama da falta de organização da Fesporte e da Secretaria de Esporte da Fundação Municipal. Ele as responsabiliza por ter perdido as datas de inscrição para que as equipes de basquetebol que ele treinou para participar da etapa microrregional do Jesc. 

Segundo ele, a data da competição informada para a disputa do basquetebol masculino foi o dia 16 de maio, e feminino, no dia 17. “No entanto, a Fesporte precisou inverter as datas de disputa das mesmas e não informou, em momento algum, sobre o assunto, tendo sido comunicado apenas a mudança do itinerário do transporte com menos de 24 horas de antecedência”, reclama o professor.

Ele manifesta seu repúdio à desvalorização do esforço e dedicação dos envolvidos e exige um  posicionamento da Fesporte e da Secretaria Municipal quanto ao assunto, “pois fomos eliminados por W.O., sendo que as equipes estavam prontas para jogar nas datas outrora informadas”. 

Procurei a Secretaria de Esportes da Fundação Municipal, que informou que primeiro o professor teve um prazo para entregar sua relação nominal e não fez e que a programação que a Fesporte alterou foi repassada no mesmo dia, ou seja dia 14 de maio. “É só conferir no grupo”, avisa o representante da secretaria. Explicou ainda que as mudanças de programação não são de responsabilidade da Fundação. Quanto ao transporte, informou que foi alterado para que as equipes não ficassem sem jogar, pois a empresa os comunicou que não poderia atender no horário programado. “Mas fica a dica: fique mais atento à programação. Pois nossa responsabilidade não é cuidar de horários de jogos e sim do trabalho dos professores”, disse o responsável pela Fundação.

 

O que Dizem e Eu Não Afirmo...

QUE tem secretário municipal que sumiu desde a semana passada. O que houve? Deu B.O.?

QUE na Prefeitura tem gente que não sabe informar, sequer, o nome e o número do telefone da empresa que administra a iluminação pública de Palhoça. Talvez eu possa ajudar: o nome da empresa é Consórcio SQE Luz e para solicitar serviços de manutenção como lâmpadas queimadas ou acesas durante o dia, ligar diretamente para 0800-645-64-05. 

QUE a Prefeitura de Palhoça foi uma das poucas da região que não sofreu ameaça de greve. Concedeu 2,07% de reposição salarial, conforme o índice da inflação e mais R$ 100 no vale-alimentação, que era de R$ 385 e passou para R$ 485. Dizem que, em tempos de vaca magra, o funcionalismo ganhou! Pouco, mas ganhou!

QUE o Projeto de Lei da Prefeitura que libera recursos para a Liga Palhocense beneficiava os coroas de 40 e 50 anos, mas não as crianças e adolescentes a continuarem jogando futebol. O Bala apenas fez constar, com sua emenda, o óbvio, que diga-se, a Prefeitura e a Liga tinham esquecido.

QUE os vereadores não foram convidados para a reunião do último dia 18 de abril, entre o Executivo Municipal, a Autopista Litoral Sul e a ANTT, que se realizou na Prefeitura, quando foram debatidas obras de mobilidade para Palhoça. Conclusão: os parlamentares ficaram p..., já que entenderam que realmente estão batendo em ferro frio e que nem a Prefeitura valoriza o Legislativo do munícipio.



Publicado em 17/05/2018 - por Joao Jose da Silva

btn_google.png btn_twitter.png btn_facebook.png








Autor deste artigo


Mais vistos

Publicidade

  • d83a8831fba6952d386c6501dc64c0ab.jpg