Palavra Palhocense - Boca-maldita

Boca Maldita - Edição 643

 
Projeto Memória Palhocense
Você sabia que Palhoça quase teve um hospital?
 
Sua construção iniciou sob o comando da Igreja Católica de Palhoça no ano de 1952, quando foi adquirida uma área de 67 mil metros quadrados, onde hoje está localizado o clube Maybear Dance Hall.
O hospital se chamaria “Hospital e Maternidade Senhor Bom Jesus de Nazaré”, e sua construção, em macha lenta, se estendeu de 1953 até 1960.
De acordo com o padre João Batista Vieceli (pároco na época), em carta ao então presidente da República, Juscelino Kubitschek, em 1960: “A construção do hospital teve um início infeliz, em virtude de um projeto grandioso, mas inexequível. Desejavam construir um hospital com capacidade para trezentos leitos... Construíram as fundações num terreno inadequado, sem estaqueamento...”, dizia o padre, na carta.
O nosso quase hospital foi arrematado por ordem judicial em 1966.
Cheguei a conhecer as ruínas lá pelos idos de 1965, onde se podia brincar entre as paredes, como se fosse um labirinto.
 
Teia de aranha
O vereador Bala pediu, na sessão de segunda-feira, que as empresas de telefonia tomem providências urgentes quanto ao amaranhado de fios soltos e arrebentados que deixam as ruas de Palhoça uma verdadeira bagunça, além de levar riscos à população, “já que não dá para as pessoas identificarem se os fios soltos são da rede elétrica ou do telefone”.
Concordo com o vereador: além dos postes em cima das calçadas, os fios quase encostam na cabeça dos pedestres.
 
Bloqueio de recursos
A pedido do Ministério Público, a Justiça bloqueou R$ 900 mil da Prefeitura de Palhoça para o cumprimento do estabelecido no TAC feito em 2013, para que fossem criadas 2.726 vagas em creche até 2016. Segundo o promotor Aurélio Giacomelli da Silva, neste período foram criadas 1.226 vagas, faltando 1.500 vagas do acordado. “A criação das 1.500 vagas não resolve, mas minimiza a demanda reprimida que se apresenta em uma lista de espera que, atualmente, conta com cerca de 5 mil crianças aguardando por um lugar em creche municipal”, enfatiza o promotor.
 
Em trânsito...
Cláudio Monteiro deixou na última sexta-feira, a secretaria de Segurança Pública da Prefeitura de Palhoça e voltou aos quadros da segurança pública do estado. Ficou quase dois anos frente à secretaria onde fez um bom trabalho: organizou o setor, criou os agentes de transito, deu apoio à Polícia Militar com doações de viaturas, etc... e comprou algumas brigas com vereadores. Enfim, cumpriu sua missão, sendo amado por umas e odiado por outros!
 
A ETA do Sul
De 70% a 80% da ETA que vai captar água para o Sul na divisa de Palhoça com Paulo Lopes está pronta. Atualmente, uma ação civil pública impetrada por cinco vereadores de Paulo Lopes suspendeu os serviços. Na ação, a Justiça pede mais uma vez a documentação ambiental da obra, que, segundo a Prefeitura de Palhoça, está em dia e isso será comprovado à Justiça nos próximos dias.
Resolvendo essa pendenga, a previsão da Prefeitura é que a obra fique pronta em três meses. Será?! Só pra lembrar: este prazo eu já ouvi lá na época do Ronério!
 
O Que Dizem e Eu Não Afirmo...
 
QUE quem diria que no pingue-pongue da Câmara o Jean Negão fosse falar primeiro do que o Pitanta!
 
QUE o que não falta na Samae de Palhoça é projeto para instalação de rede de esgoto. Pena que os projetos teimam em não sair do papel!
 
QUE a Prefeitura/Samae fez o mesmo em esgoto que fez a Casan em 30 anos! Quer dizer: nada!!
 
QUE tem vereador na Câmara que só este ano já fez quatro viagens pelo Brasil. Virou diarista?!
 
QUE mesmo tendo a responsabilidade de trabalhar duas noites por semana por algumas horas, às vezes nem tanto, dificilmente as sessões da Câmara terminam com os 17 vereadores em plenário. Boa parte deles pica a mula mais cedo!


Publicado em 14/06/2018 - por Joao Jose da Silva

btn_google.png btn_twitter.png btn_facebook.png








Autor deste artigo


Mais vistos

Publicidade

  • d83a8831fba6952d386c6501dc64c0ab.jpg