Boca Maldita - Edição 646

Até quando vão dormir em “berço esplÊndido”?

Na madrugada desta terça (3), a diarista Herta Roseli Gonçalves, de 54 anos, sentiu-se mal com dores abdominais, na localidade da Fazenda Santa Cruz, na estrada geral do Maciambu. O Samu foi chamado por volta das 3h, porém não apareceu para o socorro. 

Dona Herta faleceu pela manhã, quando finalmente chegou uma ambulância do Samu, que ao invés do devido socorro, emitiu o atestado de óbito.

Certamente, o atendimento não foi prestado com a urgência que o caso exigia, não porque a equipe do Samu é incompetente ou desleixada, não. O atendimento não foi prestado porque a estrutura em nossa região é um desastre. 
Será que nossas autoridades políticas conseguem dormir sabendo que essa e outras mortes poderiam ter sido evitadas, se dessem prioridade para melhorar o sistema, como adquirir, por exemplo, novas ambulâncias? Acho que não. Vão continuar dormindo em “berço esplêndido” aqui, em Palhoça, e lá nos palácios da Agronômica e do Planalto.

 

Viajar ou não viajar, eis a questão

Os vereadores Jean, Luciano e Maurício, que participaram do Congresso de Vereadores em Gramado (RS), garantem que participaram do congresso. O vereador Jean, por exemplo, trouxe de lá a ideia de colocar em prática em Palhoça a contribuição de políticos, empresas, empresários e até de pessoas físicas, com parte do que pagam de imposto de renda, com o FIA, e assim captar recursos para a instituição melhorar a vida de nossas crianças e adolescentes.  

Esse mesmo projeto foi lançado pelo CMDCA de Palhoça no ano passado. O que se espera é que a Câmara consiga entrar de cabeça na nobre causa e, pelo menos, nossos legisladores possam aderir à ação com o percentual de seus impostos de renda, coisa que ninguém sabia até a viagem dos nossos três vereadores a Gramado.

Sinceramente, essa foi a primeira vez que ouvi algum vereador trazer algo novo (não tão novo assim) para Palhoça, através destes congressos, que segundo o vereador Pitanta, não é ilegal, nem imoral, “já que juízes, ministros, deputados, senadores... participam deles com tudo pago pelo erário” e ele próprio já participou de muitos e aprendeu muito com eles!

O certo é que precisamos separar o joio do trigo, já que é sabido e notório que alguns viajam para fazer turismo sim e ganhar diárias, pois escondem dos munícipes quando estão viajando, tanto que não é comum a participação de vereadores de Palhoça quando esses congressos acontecem por aqui.

 

Viaje pelo site da Câmara e descubra quem são nossos principais diaristas

Ao contrário do que afirmei na coluna da semana passada, é muito fácil você acessar o Portal da Transparência da Câmara Municipal para saber se o vereador em quem você votou tem a “barda” de viajar pelo Brasil e assim receber diárias de R$ 850.

Siga os passos que aprendi esta semana e descubra: 

- Entre no site da Câmara; 

- Clique em “Transparência”;

- Clique em “Portal da Transparência Câmara Municipal (FLY Transparência)”. 

Vai aparecer, do lado esquerdo da tela, uma coluna com vários itens: 

- Clique em “Despesas”;

- Clique no penúltimo item: “Despesas com Diárias e Passagens”. 

Pronto, você já pode saber se seu vereador é um “viajão” ou não. Você pode até fazer uma comparação entre os nossos diaristas de hoje e os viajões da legislatura passada. 

Então o que está esperando?! Aperte os cintos e também vá viajar (ou navegar), seu bobo! Afinal, viajar, assim como navegar, é preciso para se descobrir coisas inacreditáveis, não é?!

 

 

O pioneiro do transporte coletivo em Palhoça

Na foto, que é do início do século passado, apresento o grande empreendedor e empresário Aniceto Zacchi com sua esposa, Maria Cota Zacchi, e a filha Zelanda.

Mas você sabe quem foi Aniceto Zacchi, o homem que cedeu nome à principal avenida do bairro da Ponte do Imaruim? O próspero comerciante, lá por volta da década de 1920, foi o proprietário do primeiro carro motorizado do município. Era um ônibus importado, para, no máximo, 10 passageiros, com volante do lado direito, todo de madeira, que começou a transportar pessoas numa linha entre Palhoça e São José. Seu Aniceto, além de proprietário, era o motorista, o cobrador e o mecânico desta primeira empresa de transporte coletivo de Palhoça. 

 

O que Dizem e Eu Não Afirmo...

QUE, se por um lado o ex-prefeito Ronério caiu na rua para abraçar a pré-candidatura da esposa e deputada Dirce, por outro, o prefeito Camilo pegou a estrada para vestir a camisa de seu pai, Nazareno Martins. Os dois políticos estão percorrendo toda SC com os parentes a tiracolo.

QUE a Secretaria de Assistência Social de Palhoça está levando até dois meses para dar entrada no seguro-desemprego e um mês para providenciar a emissão de uma Carteira de Trabalho. Quer dizer, uma verdadeira tartaruga!

QUE é de calamidade pública a estrutura da Prefeitura na região Sul. Não dá, para quem lá trabalha, nem para abrir um buraco, quem dirá tapá-los!

QUE com tanta gente fazendo regime, o vereador Tavinho está pedindo o engordamento das praias de Palhoça. Já quem está precisando de um bom regime são os rios, que de tão gordos de mato e lixo, estão agonizando. 

QUE o eleitor palhocense precisa se tocar que é melhor votar num deputado estadual da terra do que num forasteiro, que só vai aparecer em Palhoça daqui a quatro anos para pedir votos de novo. Vote em candidatos palhocenses, pelo menos você vai poder xingá-los de “filhos da fruta”, se nada fizerem por Palhoça, ao cruzar com ele ou com ela nas ruas ou em eventos públicos.

QUE a ambulância do deputado Marcos Tebaldi, prometida para o vereador Nelsinho, através de uma emenda, ainda não chegou em Palhoça. Parece que bateu na ambulância do vereador Neném, reivindicada junto ao deputado Saretta, no trajeto de Brasília até aqui.



Publicado em 05/07/2018 - por Joao Jose da Silva

btn_google.png btn_twitter.png btn_facebook.png








Autor deste artigo


Mais vistos

Publicidade

  • d83a8831fba6952d386c6501dc64c0ab.jpg