Palavra Palhocense - Cartao-rosa

Cartão Rosa - Edição 651

As simpáticas Claudia e Tati, atendentes da Loja 4 Estações, na Ponte do Imaruim, são solícitas e demonstram muito profissionalismo 

 

 

Gente chata

Sou de uma época em que comíamos comida caseira, andávamos de bicicleta sem capacete, descíamos os morros de carrinho de rolimã, nossos carros não tinham cinto de segurança, nossos craques no futebol eram realmente craques, nossas TV’S só pegavam três canais e a gente colocava Bombril na antena pra poder pegar melhor. A gente fazia juramento à Bandeira Nacional na escola, bebíamos água da torneira, a gente era caçoado no colégio e não dava nada... Hoje em dia é muita frescura pra pouca sobrevivência. Como tem gente chata nesse mundo!

 

Tem condições

Não tão distante assim do G-4, o Figueirense fará a sua apresentação no returno da Segundona Brasileira nesta sexta-feira (11), no Alfredo Jaconi. O primeiro turno acabou no jogo contra o CRB, com um empate em casa. Com a atuação nesse jogo e o futebol apresentado em casa, veio à tona aquela preocupação de seus torcedores. Porém, tem muita coisa pela frente. O time precisa pensar em jogo a jogo e manter suas características de jogar bem fora de casa. Que vai ser difícil, todos sabemos. Mas, o Figueira tem condições de retornar à Série A.

 

Estranho retorno

A situação da Chapecoense no Brasileirão ainda inspira cuidados. A Chape foi até Recife enfrentar um adversário que também está com a corda no pescoço. O empate em 1 a 1 custou o cargo de Gilson Kleina no comado do time. O Verdão do Oeste deixou escapar a chance de respirar na tabela. Com a queda de Kleina, quem retorna para Chapecó é Guto Ferreira, que abandonou o clube em 2016, se transferindo para o Bahia. Uma contratação com fortes resistências pelo torcedor da Chape. Essa coluna também estranhou o retorno de Guto.

 

Importante vitória

O Avaí, depois de mais de sessenta dias sem vencer na Ressacada, parece ter tirado um fardo dos ombros. O Leão encarou o Vila Nova, um time encardido de ser enfrentado, e conquistou uma importante vitória para retornar ao G-4. O Leão não fez uma grande apresentação, mas com o apoio da sua fiel torcida, o time de Geninho foi superior par sair com o triunfo por 1 a 0. O resultado, mesmo magro, fez com que alguns jogadores azurras se jogassem ao gramado depois do apito final, como uma forma de agradecer aos deuses do futebol por essa importante vitória.

 

Pensão alimentícia

Este colunista, junto com Marcelinho Carioca e Edilson Capetinha, foi participar de um evento na tarde do último sábado (4), num jogo festivo em Rio Negrinho. Lá pelas 13h, quando íamos nos dirigindo para o veículo que nos levaria ao evento, Capetinha foi abordado por um policial civil, que lhe deu voz de prisão por não pagar pensão alimentícia. Uma cena lamentável, por se tratar de um pentacampeão do mundo. Divertido foi ver o mesmo policial se declarando fã do jogador e pedindo para tirar uma selfie, o que Edilson atendeu prontamente.

 

Um Guerre(i)ro

Um time que vem surpreendendo neste Brasileirão é o Internacional. Digo que a equipe tem boas possibilidades de levantar o caneco de campeão brasileiro de 2018. Pensando num supertime para 2019, o Colorado está tentando contratar o atacante Paolo Guerrero. O peruano criou um péssimo ambiente na Gávea e está sem clima para permanecer por lá. Sendo assim, Inter já começou as negociações para ter um Guerre(i)ro no Beira-Rio.

 

Privilégio para poucos

Sem atingir o agrado de alguns torcedores, mesmo porque nem Jesus Cristo agradou a todos, Milton Cruz completou um ano no comando do Figueirense nesta terça-feira (7). É uma marca atingida por pouquíssimos treinadores na história deste longevo clube. Conseguir tal feito nos dias atuais é um privilégio para poucos profissionais entre os clubes das séries A e B. Desde a sua chegada ao Scarpelli, Milton tirou o clube da maldita zona da Série B, foi campeão catarinense e agora trabalha para repor o time na elite do futebol brasileiro. 

 

Drops da arquibancada

Geninho deixou de ser teimoso, abriu mão de jogar com três zagueiros dentro de casa e o resultado foi esse: uma vitória de seu time diante de seus torcedores.

Quando um time joga mal e não consegue desenvolver aquilo que foi treinado antes do jogo, alguns treinadores tentam encobrir a deficiência falando em apagão

“A língua é o chicote do corpo”. Esse é um ditado perfeito para Renato Gaúcho, que sempre criticou as retrancas. Pois foi a maneira que o Grêmio jogou o segundo tempo contra o Flamengo.

André Santos e Jorge Henrique deverão fazer uma dupla no meio de campo do Figueirense nos próximos dias. Eu diria que será uma dupla setentona, se juntarmos as idades. Haja fôlego desses senhores/meninos.

 

Pensamento do Bambi

Cerveja é que nem banho. Tem que tomar todo dia.

 

CATÃO ROSA para a maior festa e uma das melhores feijoadas de nossa região. A Feijoada do Jean Negão está se aproximando - é dia 19 e você não pode perder. Não haverá venda de camisetas no local da festa, a Mansão Luchi. Portanto, corra pra comprar. Você não vai ficar fora dessa, né?

CARTÃO VERMELHO para esse tal de general Mourão, candidato à vice-presidência na chapa de Jair Bolsonaro. Ele cometeu duplo racismo ao expressar que o Brasil herdou a vagabundagem dos índios e a malandragem dos africanos. Nem bem começou a campanha política e esse tal de Mourão já começa a falar velhas idiotices.

 

 

Para a alegria das filhas, pais, familiares e amigos, quem andou dando mais uma voltinha ao redor do sol foi Maira Lessa, da Ponte do Imaruim. A coluna deseja muita saúde



Publicado em 09/08/2018 - por Margarida Clésio Moreira dos Santos

btn_google.png btn_twitter.png btn_facebook.png








Autor deste artigo


Mais vistos

Publicidade

  • d83a8831fba6952d386c6501dc64c0ab.jpg