Consumidor Consciente - Edição 680

Idosos, não se empolguem demais com empréstimos 

Queridos idosos, como vocês já sabem, já faz quase três décadas que o Estatuto do Idoso foi criado, com a importante missão de defender os direitos das pessoas acima de 60 anos. De lá para cá, a sociedade passou a direcionar um olhar mais atento a vocês, representantes da terceira idade. Mas esse olhar, algumas vezes, pode conduzi-los a situações arriscadas. E isso diz respeito, sobretudo, à forma como alguns idosos lidam com suas finanças.

O fato é que essa faixa etária tem sido alvo de armadilhas do mercado, como a facilidade de acesso ao crédito consignado, financiamentos com prestações baixas e benefícios exclusivos. Fiquem atentos, pois esses atrativos acabam seduzindo e em algumas vezes podem não representar um bom negócio. 


Empréstimos consignados e cartão

Uma das situações são os empréstimos consignados para aposentados, que têm taxas muito menores do que no crédito comum. Mas o problema é que essa facilitação acaba levando a empréstimos demais. É preciso, então, que você, querido idoso, avalie bem se vale a pena contrair essa dívida, a fim de não comprometer uma parcela muito alta de sua renda.

Além disso, você não deve aceitar pressões de familiares para fazer empréstimos em nome de terceiros. Entre as maiores ameaças estão os cartões de crédito. Muitos idosos os utilizam como se fossem uma segunda renda e, por falta de orientação, extrapolam e não conseguem pagar as faturas. 



Publicado em 14/03/2019 - por Élcio Schmitz

btn_google.png btn_twitter.png btn_facebook.png








Autor deste artigo


Mais vistos

Publicidade

  • Banner-310x260.gif