Editorial - 701

Médicos das palavras

 

A palavra carrega consigo uma força descomunal. Pode destruir vidas, desencorajar e humilhar... E essas você já deve ter visto nos últimos tempos, principalmente nas redes sociais. O evangelista Mateus registrou: “A boca fala do que está cheio o coração”. Por isso, as palavras também envenenam.

Mas quando usada com carinho e acolhimento, caro leitor, a palavra se potencializa. Ela se torna terapêutica e curativa. Acreditando nisso, a aluna da Faculdade Municipal de Palhoça Mariana Carla do Prado, com a ajuda de dois amigos, resolveu criar um projeto simples, mas revolucionário: entregar cartinhas de amor e carinho escritas e assinadas por alunos da escola Adriana Weingartner, no Caminho Novo, onde ela estudou, para pacientes em tratamento de câncer no Centro de Pesquisas Oncológicas (Cepon).

Imaginem a riqueza contida em cada palavra e em cada letra de incentivo nessas cartinhas! Certamente, para cada paciente ou idoso que receber o carinho, o pequeno pedaço de papel vai representar doses reforçadas de serotonina, ocitocina e tantos outros hormônios da felicidade que ajudam em qualquer tratamento. 

A ideia é levar o projeto para outras escolas e entidades. Além de tocar a vida de quem recebe, essa será também a oportunidade para que cada pequeno remetente se apaixone pelo poder do texto. Assim, talvez, tenhamos, num futuro próximo, uma geração de médicos das palavras.



Publicado em 08/08/2019 - por Palhocense

btn_google.png btn_twitter.png btn_facebook.png








Autor deste artigo


Mais vistos

Publicidade

  • Banner-310x260.gif