Falando Sério - Edição 643

 
Paz e amor
 
Era dia de clássico no futebol. Por coincidência, iam jogar, à tarde, Flamengo e Vasco, no Rio de Janeiro, e em Santa Catarina, Figueirense e Avaí. Dois amigos se encontraram antes do almoço e combinaram de assistir aos jogos pela televisão, bebendo umas cervejinhas.
Por coincidência, os dois torciam por clubes adversários. Um estava com a camisa do Vasco, com desenhos do escudo do Figueirense. O outro estava com a camisa do Flamengo, misturada com o azul e branco do Avaí.
O flamenguista dizia que o Flamengo era o maior time de futebol do mundo. Até o seu hino era o mais vibrante. E cantava: "Uma vez Flamengo, sempre Flamengo. É o meu maior prazer vê-lo brilhar, seja na terra, seja no mar, uma vez Flamengo, Flamengo até morrer".
O vascaíno respondeu, dizendo que o hino do Vasco era muito mais importante, porque não pregava a violência e ainda instruía o povo cantando a história do Brasil. E dizia, escuta só: "Vamos todos cantar de coração, a Cruz de Malta é meu pendão. O nome do heroico português. Vasco da Gama, sua fama assim se fez. Sua imensa torcida tão feliz, Norte e Sul deste país, sua estrela na terra a brilhar, ilumina o mar".
Já haviam bebido algumas cervejas quando um amigo que estava com eles perguntou: e daí? Vocês não falam nos nossos times de Santa Catarina? Eles estão numa maré baixa, mas continuam jogando. O flamenguista falou que os dois times dele são Flamengo e Avaí. Chegou até a cantar o hino do Leão: "Avaí meu Avaí, tu já nasceste campeão". O vascaíno, que era também Figueirense, lamentou o momento ruim dos seus dois clubes, com a esperança de que eles vão melhorar. Cantou o hino do Figueirense: "Avante Figueirense, pra frente Furacão".
Foi quando um amigo deles disse: "Eu gosto de torcer pelos times da minha terra. Vamos falar dos times de Palhoça, que representam os nossos distritos, como o Guarani e todos os outros clubes que fazem parte do Campeonato Palhocense e têm elevado o nome da nossa cidade".
Um outro torcedor, que estava por perto, perguntou: "Vocês sabem que Palhoça já teve o melhor voleibol do estado? O melhor futebol de salão? Que fomos a melhor representação do estado no desfile dos Jogos Abertos de Santa Catarina? Que já tivemos grandes atletas que disputavam várias modalidades esportivas e elevaram o nome de Palhoça? Vamos dar valor aos nossos atletas".
Os torcedores dos clubes de outros estados vivem brigando. Acontece que os jogadores (muito bem pagos) e diretores nem querem saber que os torcedores existem.
Agora, vêm os jogos da Seleção Brasileira, formada por indivíduos mais bem pagos do país, que ainda terão prêmios fabulosos se forem campeões. Não querem nem saber que existem pobres. E o povo mal pago e mal alimentado briga por ele. Enfim, viva o Brasil, com paz e amor.


Publicado em 14/06/2018 - por Juarez Nahas

btn_google.png btn_twitter.png btn_facebook.png








Autor deste artigo


Mais vistos

Publicidade

  • d83a8831fba6952d386c6501dc64c0ab.jpg

Destaques

  • Nenhuma matéria relacionada.