Gastronomia - Edição 717

Arroz de brócolis bem verdinho

 

Volta e meia um colega me pergunta sobre endereços gastronômicos no Rio de Janeiro, cidade que já visitei várias vezes e sempre com o foco no turismo botequeiro. Devolvo a pergunta: Quantos você conseguirá visitar? Tenho mais de 20 para indicar... Entre os cinco primeiros que recomendo está o Nova Capela (Avenida Mem de Sá, 96 – Lapa), que tem uma perna de cabrito de comer ajoelhado e rezando um “Pai Nosso” a cada garfada. No acompanhamento, vem um arroz de brócolis verdinho que só ele, e cheio de alho torradinho. Para acompanhar, o chope, é claro. O NC existe desde 1903.

Decidi investir nesse arroz com brócolis e descobrir seus mistérios, o principal: como deixar o arroz bem verdinho sem recorrer a corantes? Sim, porque o tempero e o segredo do cozimento do cabrito já serão segredos mais difíceis de revelar. Mas, o brócolis foi tranquilo.

A receita

Nas quantidades, para variar, sou uma desgraça, faço tudo a olho, mas vamos lá.

1) Vai uns quatro maços de brócolis com as folhas (fundamental) para duas xícaras de arroz. Alho a gosto (explico no final). Eu pego os talos mais duros da base do brócolis e já faço uma fervura antes, pega uma corzinha na água, mas é opcional. Use duas partes de água para uma de arroz e comece o cozimento com a água quente.
2) O brócolis você separa a parte de galhos, que serão bem picados e colocados na fervura junto com arroz contados cinco minutos do início. As pontas ficam para o final, só quando desligar o fogo (baixo, dará uns 20 minutos).
3) Agora, vem o truque: as folhas bem verdes de todos os maços você tritura no liquidificador com um pouco de água e azeite. Ficará um caldo grosso e super verde - clorofila pura.
4) Desligando o arroz é só misturar essa mistura com o arroz e as pontas, acertar o sal e servir.
5) O alho é bom deixar separado, nem todo mundo gosta, pode ser cru, cozido ou frito, a gosto.
6) Também dá para usar pedaços de linguiça Blumenau como complemento e enfeite.
7) E se usar o prato com fundo branco, você terá as cores verde, vermelho e branco, curiosamente, do Fluminense - meu time de infância.
 

 

Homenagem: Maria Julia Scotti

Conheci Maria Julia Scotti em abril de 2017, através deste espaço da Gastronomia Palhocense. Ela nos recebeu eu sua casa e preparou uma receita clássica da culinária local: um filé de peixe com molho de camarão. Top! Sabia tudo de cozinha, doces e salgados. Foi uma das primeiras participantes da coluna, bem depois de ter ganhado fama nacional com o título de bolo campeão no programa da TV Globo de Ana Maria Braga.

Registro essa homenagem à Maria Julia, falecida este mês, e que seus familiares a guardem sempre nas melhores lembranças, assim como todos que com ela convivemos com certeza iremos fazer.



Publicado em 28/11/2019 - por Marcos Heise

btn_google.png btn_twitter.png btn_facebook.png








Autor deste artigo


Mais vistos

Publicidade

  • Banner-310x260.gif