Palavra do Leitor - Edição 638

Jornal Palhocense

Sou leitora assídua do Jornal Palhocense. Faz parte da minha semana. Vim elogiar a coluna do Beltrano que estava demais e a coluna Falando Sério, do Juarez - sempre com excelentes assuntos, que nos fazem refletir sobre o hoje, o passado e o futuro, Continuem assim.

Renata Sirlene 
(Por E-mail)

 

Jornal Palhocense II

Venho aqui parabenizar vocês por esse jornal irado com a reportagem sobre o campeonato que ocorreu na Guarda do Embaú. Bela matéria! Parabéns!

Leonardo Moura 
(Pelo Facebook)

 

Bodysurf

Parabéns pela bela matéria, digna de grandes veículos de comunicação. Ver o reconhecimento desse esporte nos deixa extremamente felizes!

Jeferson da Silva 
(Pelo Facebook)

 

Sem porta

Fui a uma loja de departamento em Palhoça e me deparei com uma situação constrangedora. Fui até o banheiro e vi que não tinha porta. Um banheiro masculino sem porta? Eu, como pai e avô, não gostaria que minha neta ou minha esposa entrasse sem querer num banheiro masculino. De imediato fui falar com a gerente. Apesar da minha pressa, não pude deixar passar. Ela veio a mim informar que o banheiro está em reforma há 30 dias... Só que já fizeram o acabamento e botaram uma lateral de 30 centímetros pra não verem as pessoas no mictório. Pra tirar a última dúvida falei com um funcionário e ele, sim, me confirmou que já foi feita a reforma. Estou indignado. Sem contar que a Vigilância Sanitária não permite sem porta!

Luiz Carlos júnior 
(Pelo WhatsApp)

 

Tiroteio no Aririú da Formiga

Nossa Formiga não é mais a mesma!

Luciana Goulart 
(Pelo Facebook)

 

Tiroteio no Aririú da Formiga II

Aririú da Formiga era tão calmo. Meu Deus, aonde vamos parar com tanta violência?

Leia Santos Ccb 
(Pelo Facebook)

 

Cortesia com chapéu alheio

Em qualquer lugar do Brasil, a notícia de que um Governo vai reduzir imposto seria recebida com festa pela população, em especial pelo setor produtivo. Mas aqui em Santa Catarina um  atropelo do Governo do Estado acabou causando o efeito contrário. Logo após o anúncio da Medida Provisória 220 - que teoricamente reduziria o ICMS de 17% para 12%, mas que, na prática, reduz o benefício fiscal oferecido para parte do setor produtivo – o que se viu foi uma romaria de empresários à Secretaria da Fazenda, preocupados com aumento do custo e ameaça de desemprego em massa. Dois fatores chamaram muito a atenção ao anúncio: o caráter de urgência dado à alteração e a informação de que a mudança aumentaria em R$58 milhões a arrecadação do Estado. Ficou explícito que algo estava errado e que, como diz a expressão portuguesa, era caso de cortesia com o chapéu alheio. (...)

Gelson Merisio -  deputado estadual 
(Por E-mail)



Publicado em 10/05/2018 - por Palhocense

btn_google.png btn_twitter.png btn_facebook.png








Autor deste artigo


Mais vistos

Publicidade

  • d83a8831fba6952d386c6501dc64c0ab.jpg

Destaques

  • Nenhuma matéria relacionada.