Palavra do Leitor - Edição 707

Senhor em situação de rua
No dia 5 de setembro entrei em contato, durante a manhã, com o Cras da av. Barão do Rio Branco, para denunciar ao setor de Abordagem o caso de um senhor que estava deitado no meio da Praça Sete de setembro, com um cobertor fino e tremendo muito, com um cachorro ao seu lado. Não havia sinais de que ele fosse um usuário de drogas. Era apenas um senhor em estado de abandono. Liguei no Creas e ao repassar esse relato, a agente de abordagem que estava no local informou que seria feito o cadastro da denúncia e posteriormente a ida ao local. Após 1h30, aproximadamente, passei no local e vi que o senhor não estava mais lá. Liguei para agradecer a suposta abordagem. No entanto, fui surpreendido com a informação que uma superior não havia autorizado a abordagem, pois não cabia a eles essa assistência, já que não havia local para levar e acolher essas pessoas. Foi indicado que eu ligasse para o Samu. Resumindo: o senhor saiu do meio da praça sem a devida assistência social. Então para que abordagem social?

Ramon Sell 
(Por WhatsApp)


Falta de professores
Quero entender por que na escola Professora Claudete Maria H. Domingos, ali da Av. Elza Luchi, está faltando tantos professores. Meu filho, hoje, por exemplo teve uma única aula, pois os demais professores faltaram. É isso sempre. Sempre que pergunto, a resposta é a mesma: "estão em reunião" ou "estão em curso". Isso está demais. Desde já, obrigada!!

@karin.pereira.16 
(Pelo Instagram)


Linchamento
Até entendo as pessoas quererem fazer justiça com as próprias mãos, quando a polícia não dá conta das demandas. Até porque, é muito difícil perder de forma tão injusta algo que você trabalha tanto pra conquistar. Mas que dessem um susto e imobilizassem até a polícia chegar. Matar é demais. Espero, pelo menos, que repercuta bastante e quem pensar em assaltar no Aririú (que está absurdamente violento), se sinta intimidado pela população.

Franciele Bruchado 
(Pelo Facebook)


Linchamento II
Eu conhecia o rapaz e não consigo acreditar que ele poderia ser capaz de fazer mal a alguém. A informação que tivemos é que foi um engano. Reconheceram o carro, mas era a pessoa errada. E agora? Será que aquele que quis fazer "justiça" não acabou fazendo uma injustiça maior ainda? Como consertar isso?

Paloma Rodrigues 
(Pelo Facebook)


Linchamento III
Parabéns às pessoas que fizeram justiça, já que a lei, na qual esperamos soluções não resolve nada.

Aparecido Santos 
(Pelo Facebook)


Linchamento IV
Acho que exageraram na punição! Nada justifica retirar a vida alheia, não foi uma "legítima defesa", foi um susto, que, misturado com ódio no coração, retirou a vida de uma pessoa! O que penso é que tudo tem seu preço, mas a punição sempre deverá ficar a cargo da "divina".

Pedro Jeremias 
(Pelo Facebook)



Publicado em 19/09/2019 - por Palhocense

btn_google.png btn_twitter.png btn_facebook.png








Autor deste artigo


Mais vistos

Publicidade

  • Banner-310x260.gif