Aniversário de PH: prefeito comemora avanços

Em entrevista ao Palhocence, motivada pelas comemorações do aniversário de 125 anos de emancipação do município, Camilo Martins fala sobre projetos

4d5456094ce77c41dd9eae706f27796d.jpg Foto: DIVULGAÇÃO

Nessa entrevista ao Palhocence, motivada pelas comemorações do aniversário de 125 anos de emancipação de Palhoça, o prefeito Camilo Martins fala sobre projetos audaciosos, que deverão mudar completamente a cara da cidade, com impacto positivo na qualidade de vida dos cidadãos.

“Estamos administrando Palhoça com os pés enraizados no presente e os olhos voltados para o futuro”, disse. Além dos projetos inovadores, a administração municipal vem dando atenção especial à questão mobilidade urbana, inclusive recorrendo à Justiça Federal, para que a Arteris – Autopista Litoral Sul e Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), para que expliquem o atraso nas obras do Contorno Viário e tracem metas para a sua finalização. “Em várias reuniões, com as partes envolvidas, temos reivindicado o seguinte: enquanto a concessionária não conclui o Contorno Viário, que realize obras emergenciais, como a terceira pista, a obra definitiva, entre Palhoça e São José”, frisou o prefeito.

Antes de detalhar alguns dos projetos prioritários da administração municipal – destaque para o “Criança com Visão”, Acelera Palhoça, Lar legal, Palhoça + Eficiente – o prefeito fez uma reflexão dos passos adotados, até chegar à realidade de hoje. “Não se trata de uma crítica a ninguém diretamente, pois aprendi a administrar sem olhar o retrovisor. Mas, não podemos esquecer o quadro difícil da administração municipal, que encontramos ao assumir. Num primeiro momento, foi muito difícil administrar, porque a todo momento eramos surpreendidos por questões pendentes, que estavam a exigir uma solução imediata. Assim, passo a passo, com muita paciência e dedicação, fomos tomando conhecimento dos fatos, realizando uma radiografia da administração municipal planejando e organizando a casa”.
 

Planejamento e organização

Sempre que concede entrevista ou se manifesta aos munícipes, por exemplo, durante inaugurações de obras, Camilo Martins faz referência ao planejamento como meta para alcançar bons resultados. “Desde o começo, priorizamos o planejamento. Vou dar um exemplo: quando assumimos o setor de insfraestrutura não tinha nenhum equipamento para imprimir projetos. Primeiro precisamos organizar a casa”, avaliou.

– É com muita satisfação que arrisco afirmar que nossa administração trabalha para colocar a cidade nos trilhos do desenvolvimento. Estamos projetando Palhoça para o futuro. Já somos uma das principais cidades de Santa Catarina.

Camilo Martins fala com entusiasmo dos “projetos que transformam a cidade, implantando um modelo de desenvolvimento organizado e sustentável, que prioriza a qualidade de vida das pessoas. São projetos que me emocionam e me tocam porque transformam a vida dos cidadãos. Alguns desses projetos vamos conseguir lançar a semente e os sucessores deverão dar continuidade”.
 

Principais projetos

“Tenho consciência que não conseguirei realizar todos os projetos. Nossos sucessores terão essa missão de dar continuidade ao que iniciamos e foi planejado. Deixaremos para os futuros gestores, macro projetos de desenvolvimento, bem detalhados, para serem executados”, afirmou.
Um projeto de significativo alcance social é o “Criança com Visão”. O município disponibilizou óculos de grau a todos os estudantes de 5 a 15 anos da Rede Municipal de Ensino, que possuíam algum tipo de dificuldade visual.

O programa “Acelera Palhoça” dinamizou a máquina administrativa na área da infraestrutura. Camilo Martins lembra que o programa foi lançado em duas etapas de investimentos. Na primeira etapa, foram R$ 50 milhões de reais em ações, obras e projetos, que significam mais qualidade de vida para os moradores. Na segunda etapa, lançada recentemente, R$ 25 milhões foram destinados a diversas obras de pavimentações, áreas de lazer, três novos postos de saúde e reformas e ampliações de escolas e creches.

O “Lar Legal” é um programa voltado à regularização fundiária, que é um antigo e persistente problema que atinge um grande número de palhocenses, principalmente os mais humildes. “Quando resolvemos aderir ao programa Lar Legal, constatamos que 43% das residências da cidade estão localizadas em loteamentos irregulares. Esse é um programa de um alcance social incrível. A entrega do documento legal representa segurança jurídica e muito mais dignidade para os moradores. São famílias que não reúnem condições financeiras de disputar um imóvel no mercado imobiliário e que, de alguma forma, ocupam propriedades que não podem dizer que são suas. Mas, a partir da legalização fundiária, esse quadro muda completamente. O documento significa mais dignidade e cidadania”, afirma o prefeito.

O Programa “Palhoça + Eficiente” é o tipo de ação que é bastante demorada e trabalhosa, opina Camilo Martins. De acordo com ele é preciso esforço e persistência, pois muitas vezes esbarra na burocracia. “Essas ações não aparecem de imediato, mas a cidade vai colher os frutos num futuro próximo. Por meio de parcerias com a iniciativa privada, vamos poder modernizar os serviços públicos essenciais de infraestrutura da cidade. A iniciativa permite serviços mais qualificados e com menor custo para o município”.


Dever cumprido

Consciente do rumo que a máquina pública adotou, para resolver problemas pontuais e, principalmente, planejar obras estruturais a curto, médio e longo prazo, o prefeit‑o Camilo admite que muito já foi realizado, com planejamento e organização, mas confirma o compromisso com obras estruturais. “Com responsabilidade e transparência, temos consciência que “ainda há muito por fazer. Mas alimentamos a confiança que as metas serão alcançadas”.
  

Mobilidade urbana dificulta desenvolvimento

Nos últimos 60 dias, o prefeito Camilo Martins vem liderando os palhocenses, coordenando várias reuniões, concedendo uma série de entrevistas, esclarecendo e alertando sobre os prejuízos que o caos na mobilidade está provocando à cidade.

Nessa entrevista, Camilo Martins falou com entusiasmo do tema, ressaltando “a batalha que estamos travando, através do diálogo com as partes envolvidas, mas também na Justiça Federal, onde impetramos uma Ação Civil Pública contra a Arteris – Autopista Litoral Sul e Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), para que expliquem o atraso nas obras do Contorno Viário, tracem metas para a sua finalização e tragam soluções para os moradores de Palhoça, que são os que mais sofrem”.

Martins ressalta que “essa é uma luta de todos os palhocenses”. Em 11 de fevereiro, o prefeito decretou 'situação de emergência na mobilidade urbana do município', em razão do caos estabelecido no trânsito dentro da cidade pelo atraso nas obras do Contorno Viário da Grande Florianópolis.

Muitos são os capítulos dessa batalha por melhorias na mobilidade, e muitas são as conquistas. Camilo Martins destaca duas dessas conquistas: “O Ministério Público Federal está investigando a Autopista. E a Justiça Federal marcou uma 'audiência de conciliação', para o dia 30. Quero aproveitar para convidá-los a se unir nesta causa tão importante para nós palhocenses, que sofremos diariamente o caos no trânsito da nossa cidade”.

“Estamos fazendo tudo o que é possível para melhorar a mobilidade. A Prefeitura vem fazendo o dever de casa. Realizamos obras, como a Avenida das Torres, construímos rótulas, asfaltamos todos os corredores do transporte coletivo, mas os ônibus continuam sofrendo com a influência do caos que a 101 congestionada provoca na cidade, no centro e bairros. Conseguimos, com o apoio da PRF, a liberação parcial do acostamento em São José. Não vamos parar por aqui, a luta continua. Queremos obras para transformar o acostamento em pista para o tráfego de veículos”, ressaltou.



Galeria de fotos: 5 fotos
Créditos: DIVULGAÇÃO DIVULGAÇÃO DIVULGAÇÃO DIVULGAÇÃO DIVULGAÇÃO
Tags:
Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • Banner-310x260.gif