Associação convoca moradores para um mutirão no Madri

Nova gestão quer promover a limpeza da área de lazer do bairro neste sábado (24)

13c1445318cd00900994f0d96abe7494.JPG Foto: NORBERTO MACHADO

A nova gestão da Associação de Moradores do Madri (AMMA), que assumiu na quarta-feira (14), convida a comunidade local a participar de um mutirão de limpeza na área de recreação do bairro, neste sábado (24), a partir das 8h. A iniciativa dá início ao trabalho de revitalização do espaço, que parece completamente abandonado.

Os sinais de abandono estão por toda a parte. O mato tomou conta das instalações de lazer. A pista de caminhada, muito utilizada pelos moradores para a prática de exercícios físicos, especialmente nas primeiras horas da manhã e no final da tarde, “afunila” em alguns momentos, pressionada pelo mato que cresce às margens. O campo de futebol, que já teve um gramado bem cuidado, está irreconhecível; os “montinhos artilheiros”, tradicionais nos campos de várzea, deram lugar a verdadeiras “montanhas” de capim. O único trecho “ocupável” é uma lateral do campo utilizada pelo preparador de goleiros Daivison Luiz, da academia DL1, para treinar as futuras promessas do futebol palhocense. O próprio Daivison providenciou a manutenção daquela parte do campo, para conseguir manter as atividades da academia.

Ao lado do campo de futebol, há mais dois campos de areia, igualmente tomados pelo mato. Mais adiante, há quadras de cimento, já sem as cestas de basquete que costumavam estar instaladas ali, e canchas de bocha, também sem condições da prática esportiva.

No extremo do terreno, há o salão de festas, interditado por ordem do Corpo de Bombeiros, por não preencher requisitos básicos de segurança, como a existência de extintores e exaustores.

A ideia da nova gestão, que ficará à frente da AMMA pelos próximos três anos, é recolocar todos esses espaços em condições de atividade. A Prefeitura vai ajudar. Primeiro, emprestando trator e roçadeira para o trabalho de limpeza mais pesado. Depois, com a reestruturação completa do espaço, modelada por um moderno projeto arquitetônico, a exemplo do que aconteceu com a praça da Barra do Aririú. Se tudo correr bem com o processo licitatório, a obra deve começar em março.

Mas a nova gestão não pretende ficar de braços cruzados enquanto espera pelo projeto novo, e já começa a arregaçar as mangas com o mutirão deste sábado. “Olha como está isso aqui, está horrível”, lamenta Eduardo Lemos, o novo presidente da associação. “Vamos reunir a galera para roçar o mato e pintar o meio-fio”, informa.

A participação da comunidade é fundamental – e continuará sendo imprescindível ao longo do mandato. Isso porque o caixa da AMMA está negativo e a associação ainda recebeu uma multa de R$ 15 mil da Fundação Cambirela do Meio Ambiente (FCam) por permitir a construção de uma pista para carros por controle remoto em um espaço considerado como “área verde”. A nova gestão vai tentar reduzir a multa com a contrapartida do plantio de árvores naquele local. Além disso, a energia elétrica está cortada, com 17 faturas mensais em atraso e a pessoa que era responsável por roçar o terreno também estaria com os salários atrasados (por isso, teria parado de trabalhar, e aí o mato tomou conta).



Tags:
Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • d83a8831fba6952d386c6501dc64c0ab.jpg