Palavra Palhocense - Coluna-policial-edicao-642

Coluna Policial - Edição 642

Homem é assassinado a tiros em frente a escola, no Pachecos

d7749238e0f95fe4be2782ca8f5e2bd6.jpeg Foto: DIVULGAÇÃO

Por: Dienifer Leite

 

PERTURBAÇÃO DO SOSSEGO

A Polícia Civil, por meio do Setor de Jogos e Alvarás da Delegacia Regional de Palhoça, fez nesta terça-feira (5) uma fiscalização em estabelecimentos comerciais nos bairros Pagani e Barra do Aririú. Quatro locais foram notificados por irregularidades. A equipe da Polícia Civil foi até os locais após receber denúncias de perturbação do sossego.

 

CONTRABANDO

A Polícia Federal, com o apoio da Receita Federal, deflagrou na terça-feira (5) a Operação Nicotina, que visa ao combate ao contrabando e comércio de cigarro ilegal na região da Grande Florianópolis. Participam dos trabalhos cerca de 100 policiais federais, apoiados por12 servidores da Receita Federal, que dão cumprimento a 25 mandados de busca e apreensão e seis mandados de prisão preventiva em Palhoça, Itapema, Gaspar, São José, Tijucas, Criciúma e Florianópolis. Também foram deferidos pela Justiça o bloqueio de contas bancárias e o sequestro de um imóvel e de um veículo dos envolvidos.

A investigação, que durou pouco mais de um ano, apontou que os suspeitos eram responsáveis por armazenar e distribuir o cigarro contrabandeado para diversos pontos de venda da região. Nesse período, foram realizadas cinco prisões em flagrante e apreendidos cerca de 5,4 mil pacotes de cigarro contrabandeados, e o valor de R$ 240 mil, entre dinheiro e cheques.

No inquérito policial em andamento para apuração completa dos fatos, os investigados responderão pelos crimes de contrabando e de associação criminosa, cujas penas máximas somadas podem chegar a oito anos de reclusão.

 

 

HOMICÍDIO

Na última segunda-feira (4), por volta das 17h30, um rapaz de 23 anos foi assassinado a tiros na rua Maria Leopoldina da Silva, próximo ao colégio Maria do Carmo de Souza, no loteamento Miriam, bairro Pachecos. A vítima possuía 58 passagens policiais, por furto (a maioria), violação de domicílio, dano, receptação, desacato, desobediência e posse de droga; ele havia sido preso em flagrante quatro vezes e indiciado em 13 inquéritos policiais.

O rapaz foi alvejado por vários disparos de arma de fogo, aproximadamente seis a sete tiros de revólver calibre 9mm. Segundo populares relataram à polícia, um homem passou pela vítima em uma bicicleta e realizou os disparos. O homem assassinado era morador do Frei Damião e já havia sido vítima de tentativa de homicídio em outras duas oportunidades. A Polícia Civil segue com a investigação para identificar o autor dos disparos.

 

TRÁFICO DE DROGAS

Também na segunda-feira (4), policiais do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) perceberam uma movimentação suspeita em uma rua do Centro de Palhoça, envolvendo dois automóveis, que partiram rumo à BR-101.

Em um dos carros, interceptado na fila do pedágio em Tijucas, foram localizados 99 tabletes de maconha, pesando aproximadamente 82kg. E no imóvel onde os policiais identificaram a atividade suspeita, em Palhoça, foram localizados mais 110kg de maconha, além de anotações do tráfico, duas balanças e material para embalo da droga.

 

 

PROERD

No primeiro semestre letivo de 2018, o Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd) do 16º Batalhão de Polícia Militar (BPM) esteve presente em 11 escolas do município. Entre as atividades desenvolvidas, destacam-se as reuniões com as famílias dos estudantes, realizadas uma vez por semestre em cada instituição.

Durante o encontro, os instrutores conversam com os familiares sobre o objetivo do Proerd, as influências na vida dos jovens, a formatura no encerramento do programa, além da participação dos pais no acompanhamento do Proerd e na vigilância de seus filhos. Os policiais enfatizam a necessidade de integração entre família, escola e polícia em prol dos estudantes, que durante o período da adolescência são pressionados por diversos fatores, como filmes, jogos e colegas. “Pensar em prevenção é pensar em trabalhar em rede e com parcerias”, afirma o cabo Alexandre Lucas Schütz, instrutor do Proerd do 16º BPM. 



Tags:
Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • d83a8831fba6952d386c6501dc64c0ab.jpg