Coluna Policial - Edição 678

Jovem de 18 anos acusado de participação em homicídio foi preso pela Polícia Civil

870c481f5c5d072d6f35328941d50813.jpg Foto: DIVULGAÇÃO

PRESO INTEGRANTE DO PGC
Policiais civis da Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Palhoça detiveram um jovem de 18 anos no Brejaru, no final da tarde de quinta-feira (21), em Palhoça.
Ele é considerado um indivíduo de alta periculosidade: possui vários atos infracionais durante a menoridade e é integrante da organização criminosa Primeiro Grupo Catarinense (PGC). Havia contra o suspeito mandados de busca e apreensão de adolescente expedidos em Tubarão e Palhoça.
Em 2018, ele foi investigado por ter participação em um homicídio, em janeiro, no Frei Damião. A vítima era moradora recente da comunidade e os autores acreditavam que pertencia a grupo criminoso rival. O crime gerou grande repercussão, porque a execução foi filmada e o vídeo viralizou nas redes sociais. Seu comparsa no crime foi condenado pelo Tribunal do Júri de Palhoça, no dia 20, a 25 anos de reclusão, enquanto o adolescente se encontrava foragido. O jovem ainda é investigado por outros crimes violentos.


DROGAS
Um homem de 23 anos foi surpreendido por policiais civis quando embalava drogas no Pachecos. Ele foi preso por tráfico de drogas. Foram apreendidos: 100 petecas de crack, 74 torrões de maconha e 40 gramas de cocaína, além de farto material relacionado ao tráfico.


RECEPTAÇÃO E DESMANCHE
Um jovem de 22 anos, apontado como integrante de um grupo que atua na região da Grande Florianópolis na receptação e no desmanche de veículos furtados e roubados, foi preso por agentes da Polícia Civil na tarde de quinta-feira (21), nas dependências da própria Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Palhoça. Havia contra o suspeito um mandado de prisão preventiva pelos crimes de receptação qualificada e adulteração de sinal identificador de veículo automotor, expedido no dia 19 de fevereiro pela Vara Criminal da Comarca de Biguaçu.


ENVOLVIDO EM ATAQUE
As forças de segurança conseguiram localizar e prender, na manhã de domingo (24), um dos envolvidos nos ataques a residências de policiais de Palhoça.
O suspeito era considerado foragido, em virtude da investigação relativa aos ataques, ocorridos em 2018. As investigações começaram em Palhoça e chegou-se ao paradeiro do acusado, em sua casa, em Lages (SC).
O trabalho de investigação foi possível devido à troca de informações entre as agências de Inteligência do 16º Batalhão da Polícia Militar (BPM), sediado em Palhoça, e do 6º BPM (com sede em Lages), e especialmente ao Pelotão de Policiamento Tático (PPT) de Lages, que efetuou a prisão.


SUSPEITA DE TENTATIVA DE ASSASSINATO
Agentes do Setor de Investigação e Capturas (SIC) da delegacia de Polícia de Palhoça prenderam, na sexta-feira (22), uma mulher de 31 anos, suspeita de tentar assassinar seu ex-companheiro, de 23 anos, com duas facadas, em dezembro do ano passado, na Ponte do Imaruim. A suspeita teria abordado a vítima na saída da casa de seus pais, onde iniciou uma briga que resultou na tentativa de homicídio.
A investigação da Polícia Civil constatou outra ocorrência envolvendo os então companheiros, também em 2018, quando a suspeita manteve o homem em cárcere privado. Na ocasião, a Polícia Militar interviu, prendendo a mulher em flagrante. Após o ocorrido, a suspeita foi liberada e começou a perseguir a vítima, que se abrigou na casa dos pais, onde ocorreram as agressões em dezembro.


MULHER NO TRÁFICO
Uma mulher de 31 anos foi presa no Caminho Novo por seu envolvimento com o tráfico de drogas. Ela já havia sido condenada a uma pena de nove anos e quatro meses de reclusão acusada por tráfico de drogas, associação para o tráfico e também por posse de arma de fogo (revólver calibre 38) e munições. Ela e o companheiro, já preso, atuavam no tráfico em Criciúma. 

AMBULÂNCIA TRANSPORTAVA PEIXE
Policiais rodoviários federais flagraram uma ambulância transportando pescados, na quinta-feira (21), na praça de pedágio da BR-101 em Palhoça. O veículo era, originalmente, uma ambulância para emergências médicas licenciada em Porto Alegre (RS). Ela foi vendida para uma pessoa da cidade de Rio Grande (RS), conhecida região pesqueira e portuária; o novo proprietário a transformou internamente em um veículo de transporte refrigerado de pescados, mas manteve a sirene, luzes intermitentes, as cores e a pintura de ambulância, para ter passagem livre.
Os policiais desconfiaram do motorista e fizeram a abordagem. Além das alterações irregulares, o motorista não tinha habilitação compatível para dirigir o veículo. Ele foi autuado (multado) pelas duas irregularidades e o veículo foi retido e removido para o pátio conveniado da PRF em Palhoça.



Tags:
Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • Banner-310x260.gif