Crise no abastecimento de água

Moradores reclamam de vazamentos e da falta de bom senso de quem não entrou na onda da economia

4cc27d6d69a4645843280aa101171908.jpeg Foto: DIVULGAÇÃO

A Casan informa que o sistema de abastecimento integrado da Grande Florianópolis amanheceu mais estável na segunda-feira (19), após a chuva fraca que caiu na região no domingo (18), mas todos os alertas em função da estiagem permanecem acionados.

Os técnicos acreditam que a movimentação da água que caiu na região de São Bonifácio e Águas Mornas, nascedouro do Pilões, possa encorpar um pouco mais o volume do rio, que é o principal manancial de abastecimento da Grande Florianópolis.

A leve recuperação do rio Pilões e as ações de ampliação de captação do rio Cubatão e de monitoramento e controle de pressão permitem que a água chegue com maior regularidade às pontas de rede e localidades de cotas mais elevadas, prejudicadas com a escassez de chuvas.

A companhia, porém, mantém a solicitação de economia de água à população. Muitos palhocenses estão aderindo à recomendação para um consumo consciente. Há condomínios, inclusive, que deixaram de manter o nível de suas piscinas, para evitar utilização de água.

Outros moradores, porém, não parecem se importar. Isso sem contar no desperdício! No Centro de Palhoça, um leitor do Palhocense informa que há um vazamento de água há pelo menos 10 dias. “Quantos litros de água já forma desperdiçados ali”, reflete o leitor, que também denuncia proprietários de uma revenda de automóveis na mesma rua, que, mesmo com a recomendação para a utilização consciente de água, insistem em lavar todos os dias os carros colocados à venda. “Isso é um absurdo, todo mundo querendo economizar”, lamenta.

Na principal avenida do Centro de Palhoça, a Barão do Rio Branco, outro leitor flagrou um vazamento esta semana. A Samae informou que enviaria técnicos para consertar o vazamento.



Tags:
Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • Banner-310x260.gif