PRF aperta o cerco contra a embriaguez ao volante

Setembro é o mês da paz no trânsito, mas é difícil ter paz com os índices de fragrantes de motoristas embriagados nas rodovias federais catarinenses

940f55b6afeaf97e2a2bd729134abd68.jpg Foto: DIVULGAÇÃO

Setembro é o mês da paz no trânsito, mas é difícil ter paz com os índices de fragrantes de motoristas embriagados nas rodovias federais catarinenses. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) flagrou, no último final de semana, 228 motoristas dirigindo sob efeito de álcool nas rodovias federais de Santa Catarina. Houve fiscalização específica de embriaguez em vários pontos do estado, incluindo Palhoça.
Os números continuam altos, apesar da fiscalização contínua da PRF, sobretudo nos finais de semana. A PRF acredita que este número irá diminuir à medida em que os motoristas tiverem a sensação de que podem ser fiscalizados e punidos se beberem e dirigirem. Por isso, a fiscalização de alcoolemia vai continuar. “A cultura do álcool tem gerado graves prejuízos para nossa sociedade”, avalia a PRF.
Em matéria recente, o jornal Diário Catarinense divulgou que Santa Catarina tem o maior número de flagrantes de embriaguez ao volante do Brasil, com 6.044 casos registrados nas rodovias federais e estaduais em 2019 - número 63% maior do que no mesmo período do ano passado. Para a PRF, isso não significa necessariamente que “há mais pessoas dirigindo embriagadas”, e sim, um reflexo da ampliação na frequência da fiscalização no estado.
Em Palhoça, de janeiro a agosto deste ano, foram registrados 28 acidentes em estradas federais cuja causa foi ingestão de álcool (somando trechos das BRs 101 e 282); 34 pessoas ficaram feridas e nenhuma morreu no local. O número de acidentes é inferior ao registrado no mesmo período do ano passado: 32 acidentes, onde 25 pessoas ficaram feridas e uma morreu no local.



Tags:
Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • Banner-310x260.gif