Dengue: Prefeitura cria sala de situação

Objetivo é discutir intervenções para diminuir o número de larvas do mosquito e, consequentemente, o risco de epidemia

2a3bbe3c89e7d221f8c0611cc75e5439.jpg Foto: DIVULGAÇÃO

A Prefeitura de Palhoça criou "sala de situação" para reduzir focos do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, em Palhoça. O objetivo é discutir intervenções para diminuir o número de larvas do mosquito e, consequentemente, o risco de epidemia.

A iniciativa reuniu representantes da Secretaria Municipal de Saúde, Vigilância Epidemiológica, Vigilância Sanitária, FCam, Vigilância Ambiental, Fiscalização Municipal de Posturas e Polícia Civil na sexta-feira (31), na Prefeitura, para definir ações de vistoria e limpeza em diversos pontos considerados propícios para a proliferação da larva do mosquito Aedes aegypti, transmissor da doença.

Atualmente, 18 agentes de endemias trabalham diariamente no município, utilizando 10 motocicletas e dois automóveis para barrar a proliferação. Desde janeiro, os agentes encontraram 288 focos (larvas). Os profissionais fiscalizam 490 armadilhas por semana, instaladas em 123 pontos estratégicos, espalhados por todo o município, em residências, comércios, fábricas de móveis, ferros-velhos, empresas de reciclagem, cemitérios, etc. O objetivo desse trabalho é coletar materiais e os bairros com maior número de focos são Centro, Ponte do Imaruim, Caminho Novo, Bela Vista, Passa Vinte e Brejaru.

Clique e saiba mais sobre o combate!



Tags:
Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • Banner-310x260.gif