Em 2019, PH teve mais de 900 acidentes de trânsito

Orgãos públicos e empresas impulsionam campanha de conscientização no trânsito

cbf72a395e3795243c526d613cc7705b.jpeg Foto: Divulgação Agentes de Trânsito

Maio iniciou com notícias trágicas de acidentes na região de Palhoça. Em um mesmo dia, na quinta-feira (2), duas pessoas morreram na BR-101, próximo ao trevo do Jardim Eldorado - um ciclista que tentava atravessar e um motociclista que bateu em um carro. No dia seguinte, recebemos a notícia do ciclista do Avaí Edson Luiz de Resende, o Edinho, também morto em uma marginal da BR-101, em São José. No mês passado, no acostamento da BR-282, o atropelamento que tirou a vida da pequena palhocense Emily, de 10 anos, deixou todos impressionados. De janeiro a abril, o Corpo de Bombeiros atendeu 898 chamados por acidentes de trânsito só no município.
Os casos virarão números das estatísticas de 2019 da Polícia Rodoviária Federal (PRF). Em 2018, 11 pessoas morreram nas BRs em Palhoça. Além disso, a PRF registrou no município 688 acidentes, com 738 feridos. O inspetor da PRF Adriano Fiamoncini considera que o problema de Palhoça é a urbanização descontrolada: “Palhoça está engolindo a BR-101. O Centro de um lado, do outro lado condomínios, loteamentos, universidades... Hoje a gente tem muitas lojas gigantescas construídas às margens da BR que atraem muito público. Isso provoca acúmulo de serviço. A BR-101 é uma avenida de Palhoça”. Para ele, a solução seria tentar tirar um pouco do fluxo urbano: “As pessoas usam da BR para ir para escola, para o trabalho. A maioria dos acidentes envolvem moradores da região que usam da BR para deslocamentos curtos, não são viajantes”. Neste ponto, o inspetor chama atenção para a importância do Contorno Viário: “O contorno vai separar esse fluxo local, de quem só quer ir logo ali, daquele fluxo de viagem do caminhoneiro, que está levando uma carreta de 50 toneladas da fábrica de São Paulo para Porto Alegre. Quando a 101 foi construída, Palhoça era um centrinho histórico, lá dentro. Naquela época passava longe, em áreas rurais”.
Nas estradas municipais, a Polícia Militar contabilizou, em 2018, 1.539 acidentes, 971 sem vítimas e 568 com vítimas. Recentemente, um acidente grave envolveu um motoqueiro e um ônibus no cruzamento do Centro para o Rio Grande, e próximo dali, perto da delegacia, na rua de trás, há poucos anos um acidente com vítima fatal chamou a atenção da população, quando uma senhora idosa atravessava a rua na faixa de pedestres por um veículo em altíssima velocidade. Segundo Plínio Marcos Heinz, coordenador dos Agentes de Trânsito de Palhoça, outro ponto crítico é a Pedra Branca, no cruzamento da Avenida Olavo Bilac com a Avenida das Torres. Ele também cita que já foram feitas várias autuações de contramão e conversão proibida nas saídas das escolas, mas chama atenção para outro vilão: “O celular hoje é a multa que a gente mais tem dado, principalmente em frente de colégio. Já presenciamos situações de atropelamentos e batidas por isso”. A PM registra que a principal causa dos acidentes em Palhoça é a distração do condutor.
Sobre cuidados no trânsito por parte dos pedestres, o agente Plínio lembra: “Pedestre sempre tem que usar a calçada e a faixa de segurança. Já aconteceu de uma mulher sair do mercado, pular na via, o carro parar, o de trás bater. Ela estava fora da faixa, sendo que a faixa estava ali a uns 10 metros”. Dentre os motoristas, ele diz que é preciso chamar atenção especial dos motoqueiros: “Já presenciamos várias situações de motoqueiros ultrapassando pela direita, na contramão, não parar na faixa, sem perceber se tem gente atravessando”. Para os ciclistas, orienta: “O motorista tem que andar a um metro e meio e o ciclista tem que tomar muito cuidado, andar na mão do veículo, porque, se está na contra-mão, o carro não vê. Já o motorista, se não dá para ultrapassar, considera como se fosse um veículo”. 

Maio Amarelo
“No trânsito, o sentido é a vida.” Amarelo simboliza atenção. Nas placas e semáforos sinaliza advertência no trânsito. No dia 11 de maio de 2011, a ONU decretou a Década de Ação para Segurança no Trânsito. Daí surgiu o Maio Amarelo, movimento que estimula a participação da população, órgãos públicos e empresas privadas no combate à violência no trânsito no mundo inteiro. Em Palhoça, a Polícia Rodoviária Federal, os agentes de trânsito, os bombeiros e a Polícia Militar são os grandes replicadores da campanha, e o jornal Palhocense também abraça a causa.
Várias ações de conscientização estão ocorrendo durante o mês pela cidade. Na próxima quinta (23), das 14h às 18h, na Praça Sete de Setembro, os agentes de trânsito de Palhoça promoverão um dia de atividades abertas ao público. Haverá teatro com os Minions, apresentação do Coral da Guarda de Florianópolis, brinquedos infláveis, escolinha de trânsito, entrega de camisetas e balões, apresentação das outras guardas com cães e veículos. O evento faz parte de uma semana de conscientização realizada em parceria com as guardas municipais de Florianópolis, Balneário Camboriú e São José, e cada dia será montado em uma cidade. 
No último dia 8, os agentes fizeram na praça uma blitz educativa. “A gente monta uma pista de trânsito, coloca os cones, as placas, usa triciclos, coloca as crianças para andar e vai ensinando. Dá uma carteirinha representando a CNH”, relata a agente Jamile Ghisi. Na segunda-feira (27), a ação será em parceria com a Faculdade Municipal de Palhoça, voltada para os ciclistas. Haverá falas dos agentes às 9h30 e às 20h30. A professora Najla dos Santos, do grupo de ciclismo Mãos que Conduzem, acionou os grupos de ciclismo da região para o evento com a realização de um pedal da faculdade até a Ponta de Baixo, que será escoltado pelos agentes. “Precisamos aprender a ter cuidados no trânsito para que a gente possa dividir os espaços. Eu sou vítima de um acidente de trânsito com a bike. Ano passado um caminhão cortou a minha frente em Santo Amaro. Fiquei quatro meses afastada do trabalho, fraturei o rádio e pensei várias vezes em parar. Voltei com todos os sentidos bem aguçados”, diz a professora. 
No calendário de palestras, na segunda-feira (13) os Bombeiros conversaram com os motoristas de uma empresa de ônibus. No dia 21, eles receberão no quartel os alunos da Escola Modelo, no dia 24 farão palestra na Unisul, dia 27 estarão com os professores do município e nos dias 28 e 29 com os alunos do Colégio Ivo Silveira. Os motoristas de ambulância dos Bombeiros e do Samu também receberam orientações, nos dias 2, 3, 7, 9 e 10 em treinamentos em Palhoça, Santo Amaro e Florianópolis. Os agentes de trânsito visitaram a Escola Mara Luiza, no Madri, no dia 14, e a Escola Olga Cerino, na Guarda do Embaú no dia 15. Neste mesmo dia a Polícia Rodoviária Federal veio palestrar para 50 funcionários de uma gráfica na Pedra Branca. No dia 31, os agentes vão para o seminário de encerramento na Praia Comprida, em São José, com uma fala voltada para o público mais velho, no Centro do Idoso.  As atividades ocorrerão das 8h30 às 18h, com programação também aberta ao público.



Galeria de fotos: 2 fotos
Créditos: Divulgação Agentes de Trânsito Divulgação Agentes de Trânsito
Tags:
Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • Banner-310x260.gif