Espaços públicos liberados para o grafite

Prefeitura vai cadastrar grafiteiros para que possam desenvolver sua arte em locais selecionados

2d90fff44923930f10f7d5c679f98ee4.jpg Foto: REPRODUÇÃO/INTERNET

A Prefeitura de Palhoça está iniciando o cadastramento de grafiteiros, que deverão agir em áreas públicas pré-estabelecidas. O projeto da Fundação Municipal de Esporte e Cultura (FMEC) tem o objetivo de evitar, preventivamente, ações de pichadores, buscando o embelezamento de muros e fachadas de prédios públicos, como escolas, ginásios, postos de saúde, entre outros, com arte.

O prefeito Camilo Martins, defensor do projeto, disse que a ideia surgiu a partir do fenômeno das pichações em outras cidades, com a destruição de muros e fachadas de prédios públicos e privados. “Essas manifestações de depredação do patrimônio público e privado já vêm ocorrendo em Palhoça, embora com menor incidência. Por isso, nossa iniciativa de mapear locais e incentivar o uso do grafite de forma criativa, como manifestação de arte”, afirmou Camilo Martins.

O presidente da FMEC, José Virgílio Junior (Secco), lembra que nas cidades onde o grafite se tornou uma forma agressiva de protesto e manifestação de revolta, a beleza das cores deu lugar a formas horrendas de rabiscos sem sentido para a maioria da população. E, como forma de reação aos danos causados, o poder público vem adotando métodos coercitivos e repressivos, com a utilização de forças policiais para coibir abusos e condenações. “Estamos tentando evitar as pichações. Nossa proposta não é pichar, é grafitar como forma de expressão e arte”, conclui.

A prioridade será mapear os locais já pichados. Esses locais deverão receber as cores e formas das mãos dos grafiteiros cadastrados, que contarão com apoio da Prefeitura, com o fornecimento do material necessário.

Os artistas interessados no projeto podem procurar a Fundação ou ligar para os telefones 3279-1792 ou 3279-1710.



Tags:
Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • Banner-310x260.gif