Guarani ainda busca a primeira vitória na Série B

Bugre Palhocense conquistou apenas um ponto em dois jogos disputados até aqui, e neste sábado (8) encara o Camboriú

24c91f670e4059522b89caa971c01694.jpeg Foto: GABRIEL CARDOSO/DIVULGAÇÃO

O Guarani recebe o Camboriú neste sábado (8), às 15h, no Estádio Renato Silveira, em Palhoça, pela terceira rodada da Série B do Campeonato Catarinense, buscando sua primeira vitória na competição. Até aqui, o Bugre Palhocense disputou dois jogos e somou apenas um ponto.

A estreia aconteceu no sábado (1), na abertura do campeonato, e o clube ficou no 1x1 diante do Barra, no Renato Silveira. O jogo foi acompanhado por 300 torcedores.

O duelo era equilibrado e sem muitas emoções até os 40 minutos do primeiro tempo, quando o atacante Thiago Silvy, que exibia ótima movimentação no ataque do Guarani, foi derrubado pelo zagueiro Dão. Após a falta, os dois se estranharam e foram expulsos pelo árbitro Luis Augusto Tisne. O lance provocou um princípio de tumulto em campo, logo dissipado.

No último lance do primeiro tempo, o time visitante abriu o placar, com um desvio do experiente Jean Carlos (ex-Chapecoense) após cobrança de falta no lado esquerdo do ataque.

No segundo tempo, o técnico Hudson Coutinho deixou o time mais ofensivo com a entrada do atacante Mateus Silva no lugar do lateral-direito Vinícius, recuando o meia Aruá para a ala. Mateus deu nova cara ao ataque do Bugre e foi decisivo no gol de empate, aos 21 minutos. Rodrigo Silva fez infiltração típica de centroavante às costas da zaga, Mateus encaixou a assistência na medida e o atacante do Bugre Palhocense finalizou com eficiência, sozinho dentro da área.

Rodrigo Silva também marcou o gol do Guarani na derrota por 1x2 diante do Blumenau, nesta quarta-feira (5), fora de casa, pela segunda rodada. Os três gols foram marcados em cobrança de pênalti - Sérgio Alan anotou os dois gols do time anfitrião. O Guarani foi melhor em campo, mas não conseguiu traduzir as oportunidades em gol. Nem nos últimos minutos, quando tinha um homem a mais em campo - Costinha, do Blumenau, havia sido expulso. Não fez, levou: o pênalti que definiu o resultado foi marcado aos 49 minutos da etapa final do jogo, disputado em Indaial.


Palhocense começa em agosto

Na última quinta-feira (29), a Liga Palhocense reuniu os clubes da elite municipal para a realização do conselho arbitral da primeira divisão. Os clubes chegaram a um consenso e a competição vai começar no dia 17 de agosto, com o jogo Cerâmica x Paraíso.

Com a desistência do Catarinense, a competição vai contar com a participação de oito equipes: Cerâmica, Paraíso, Eldorado, Rio Grande, Cascalho, Atlântico, Liverpool e Paissandu. Os clubes se enfrentam em um único turno, e os quatro primeiros colocados fazem a semifinal. A final, que costuma ser realizada em campo neutro, o Estádio Renato Silveira, do Guarani, desta vez pode ser sediada pelo clube de melhor campanha - fica a critério do próprio clube escolher se quer fazer o jogo decisivo em sua casa ou não.

Em 2018, a bola não rolou. A grande celeuma (que acabou inviabilizando o campeonato) foi com relação à exigência de utilização de jogadores devidamente registrados na Federação Catarinense de Futebol (FCF). Em função de não ter realizado seu campeonato no ano passado, a Liga Palhocense foi punida pela FCF, portanto, os clubes estão liberados para utilizarem jogadores não-federados. Porém, pelo acordo firmado no conselho arbitral, a competição vai ter uma limitação de “estrangeiros”: cada clube só poderá escalar cinco atletas que não tenham domicílio eleitoral em Palhoça. “A taça da primeira divisão vai ter o nome do ex-presidente da Liga, Laurino José de Souza, inclusive fui eu quem sugeriu”, informa o presidente da Associação de Clubes Amadores de Palhoça, Rogério Cardoso (Rogerinho). “Agora, estamos em busca de patrocinadores para pagar a premiação do campeonato”, acrescenta Rogerinho.



Tags:
Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • Banner-310x260.gif