Haitianos recebem aulas de Língua Portuguesa

Projeto do Rotary atende 33 alunos

a5062476e061c5a776ad42d65c7038d4.jpeg Foto: DIVULGAÇÃO

Um projeto do Rotary Club de Palhoça, idealizado pela rotariana e professora de Língua Portuguesa Lucia Stein, auxilia refugiados haitianos a se comunicarem e a terem uma qualidade de vida digna em Palhoça.

“Devido à barreira cultural que impede a compreensão e comunicação da linguagem dos haitianos que aqui estão, eles ficam à mercê das dificuldades pela falta de trabalho. Com isso, a realidade os afasta cada vez mais dos sonhos que aqui buscaram e a esperança de uma vida melhor que pensaram encontrar aqui”, justificam os idealizadores do projeto. “Tudo, para eles, já é difícil por estarem longe de suas famílias e de seu país, o que buscam, tão somente, aqui, é um emprego para terem uma vida digna e poderem trazer os filhos e cônjuges que lá deixaram”.

O que o projeto vai proporcionar para os haitianos é o ensino da Língua Portuguesa, utilizando-se a apostila “Pode Entrar”, lançada pela ONU no ano de 2015, para auxiliar todos os refugiados que precisam deixar as suas pátrias. Assim, eles podem se comunicar e, por consequência, podem ser inseridos no mercado de trabalho e ter melhores condições para proverem as suas famílias.

As aulas acontecem uma vez por semana, todas as terças-feiras, das 19h às 22h, no Conselho Comunitário Zona Sul de Palhoça, para 33 alunos, entre homens e mulheres. O projeto iniciou em outubro de 2018 e terá a duração de um ano. Conta-se com o auxílio voluntário de mais duas professoras, também rotarianas, além da professora e autora do projeto e um rodízio de companheiros rotarianos.

Todos os materiais escolares utilizados para ministrar as aulas, assim como o lanche oferecido para os haitianos, são patrocinados pelo Rotary e por empresários parceiros.



Tags:
Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • Banner-310x260.gif