Intensificado trabalho de combate ao Aedes aegypti

Ações de combate ao mosquito transmissor da dengue incluem visitas domiciliares, palestras educativas e distribuição de materiais informativos

133630f7930ed2b3048c2664af76c350.jpg Foto: DIVULGAÇÃO

A Prefeitura está intensificando a rotina dos agentes de endemias em alusão à Semana Nacional de Combate ao Aedes aegypti, com diversas ações de combate ao mosquito transmissor da dengue, como visitas domiciliares, palestras educativas e distribuição de materiais informativos. A campanha vai até sexta-feira (30), dia D de combate ao mosquito que pode transmitir dengue, chikungunya e zika vírus.

Atualmente, 23 agentes de endemias trabalham diariamente no município com o auxílio de oito motocicletas e dois automóveis para barrar a proliferação. Desde janeiro, encontraram 82 focos (larvas). Os profissionais fiscalizam 490 armadilhas por semana em comércios e residências, e a cada quinzena, coletam materiais em 123 pontos estratégicos, espalhados por todo o município, como fábricas de móveis, ferros-velhos, empresas de reciclagem, cemitérios, etc. Os bairros com maior número de focos são Centro e Aririú.

Quando o laboratório municipal confirma que o material coletado refere-se ao mosquito da dengue, a vigilância em saúde abre um raio de 300 metros a partir do foco para verificar locais suspeitos. O combate é feito através da eliminação da larva do inseto com concretização, orientação, descarte adequado de recipientes, entre outros, para que a larva não se desenvolva em mosquito, não contraia o vírus e não transmita a doença pela picada. 

Até o momento, não há casos de dengue, chikungunya ou zika vírus contraídos no município. Houve apenas casos importados (contraídos fora da cidade) e tratados, portanto, não houve circulação da doença pela cidade. 

A Prefeitura alerta que o Aedes aegypti tem algumas diferenças do pernilongo comum, mas é facilmente confundido. Portanto, a prevenção ainda é a melhor arma contra o mosquito e a Secretaria de Saúde pede o auxílio da população, não deixando água limpa acumulada e denunciando situações suspeitas para o setor de Vigilância Ambiental por meio do número 3047-5566.

 



Tags:
Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • Banner-310x260.gif