Interligados com o mercado

Projeto pioneiro da Secretaria Municipal da Saúde auxilia jovens estudantes na escolha profissional

6b184b7718dfcb77d0b777bb8b0a96ba.jpg Foto: LUCIANO SMANIOTO

Na última sexta-feira (25), na sede do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Palhoça (Sitrampa), alunos de escolas públicas de Ensino Médio de Palhoça tiveram contato com futuras possibilidades de escolhas profissionais. Circulando por estandes de universidades públicas e privadas, recebendo orientação e assistindo a palestras com profissionais, eles participaram de mais uma ação do projeto Interligados, um programa pioneiro viabilizado pela Secretaria Municipal de Saúde em 2019. 
A proposta é inédita em Santa Catarina, pois acrescenta um eixo temático ao Programa de Saúde na Escola, estruturado pelo Ministério da Saúde. A proposta é a de interligar secretarias, universidades, empresariado e sociedade civil para criar possibilidades profissionais para os jovens do município.
Uma pesquisa realizada em 2013 apontou que 90% dos estudantes concluintes do Ensino Médio público em Palhoça desejavam cursar a Educação Superior, contudo, apenas 42,30% realizaram a inscrição no vestibular da UFSC e somente 11,5% de fato entraram para a universidade. Nessa pesquisa, constatou-se que 45,9% dos alunos responderam que não sabiam o que é um curso tecnológico e 29,4% não sabiam para que serve o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), como também desconheciam programas de incentivo aos estudos oferecidos pelos governos estadual e federal.
“Após oito anos de pesquisa sobre o processo de escolha profissional dos jovens do Ensino Médio, foi possível identificar que aqueles que não desejam ingressar na Educação Superior não possuem as informações necessárias para realizar uma escolha profissional de maneira adequada”, afirma a psicóloga Elizete Branga, que conduz o projeto junto a 1.386 alunos da escola estadual Irmã Maria Teresa, na Ponte do Imaruim - em 2020, o projeto será ampliado para as demais escolas de Ensino Médio de Palhoça.
A proposta é incentivar e contribuir com o processo de escolha profissional dos estudantes, por meio de palestras, aplicação de técnicas específicas, análise de contexto, identificação de objetivos e levantamento de estratégias que contribuam para a construção e efetivação dos projetos de vida dos estudantes. “Essa intervenção possibilita ao estudante do Ensino Médio que encontra-se no processo de escolha profissional uma reflexão sobre seu mundo interno e externo, viabilizando uma escolha consciente e criteriosa, prevenindo conflitos e contribuindo para a saúde integral dessa parcela da população”, diz Elizete.

 



Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • Banner-310x260.gif