Moradores pedem atenção ao Morretes

Condições ruins na estrada geral e falta de abrigos nas paradas de ônibus são as reclamações

1ed06e543492747c02d3b49fc3a2a91e.jpeg Foto: ARQUIVO PESSOAL

Texto: Isonyane Iris

Sem qualquer tipo de manutenção ou melhorias, os moradores da região do Morretes reclamam da situação da estrada que leva ao Centro de Visitantes do Parque Estadual da Serra do Tabuleiro, que está tomada de buracos e pedras. Os moradores também reclamam da falta de abrigos nos pontos de ônibus. Por ser uma estrada de chão, a rua precisaria de uma atenção redobrada da Prefeitura. 
Marcos Vinicius Fidelis, morador da região há mais de 10 anos, conta que a situação é de completo descaso com a população. Há mais de três meses a rua não recebe uma manutenção correta, nem mesmo o serviço de patrolamento. "Não adianta só o patrolamento, aqui precisamos que seja colocado também material na nossa rua. Com a chuva, a situação piorou ainda mais. Hoje nossa estrada está tomada de buracos e de pedras, se tornando completamente intransitável", descreve o morador.
Com a alta temporada do verão, o trânsito de veículos aumenta ainda mais na região, principalmente por conta dos motoristas que usam a estrada como fuga do trânsito para as praias do Sul. "Então, todo mundo vai até o posto do Maciambu, pega a estrada de chão e passa por essa rua do parque para conseguir ir até as praias, o que piora ainda mais a condição da nossa rua", lamenta Marcos.
Sobre a falta de abrigo de ônibus, os moradores lamentam que mesmo sendo um recurso tão importante, a comunidade nunca teve. Com chuva, os usuários de transporte coletivo não têm o que fazer a não ser tentar se proteger com guarda-chuva - na falta dele, o jeito é se molhar. Na parada de ônibus, a comunidade teria apenas um banco de madeira, o que não ajudaria em quase nada, segundo os usuários.
Moradora da região há cinco anos, Solange Marques conta que todos os dias usa o transporte coletivo e que não ter um abrigo é um absurdo para quem precisa pegar ônibus. "A Pinheira e a Guarda do Embaú têm abrigo de ônibus, feito de madeira, mas que pelo menos protege do sol e da chuva, agora aqui nunca tivemos nada além de um banco de madeira. Além de atrapalhar para quem não conhece a região e nem imagina que ali é um ponto de ônibus, ainda existe a situação de idosos, mães com crianças de colo e todos os usuários ficarem completamente desprotegidos", reclama. 
Em dias de chuva, os moradores relatam que muitas vezes chegam a ficar do outro lado da rua, em uma barraquinha de lanches, se protegendo até que o ônibus chegue. "São muitos anos esperando por uma solução da Prefeitura e até agora nada. Eles ficam de nos dar uma solução para esses problemas, mas nada tem sido feito. Precisamos de ajuda, estamos nos sentindo abandonados", lamenta a moradora.
A Secretaria Municipal de Infraestrutura informa que o setor técnico está elaborando os projetos necessários para a execução da pavimentação. De qualquer forma, a Secretaria de Serviços Públicos diz que realiza a manutenção da via regularmente e que a região do Morretes foi atendida na semana anterior às chuvas. A Prefeitura está patrolando diversas ruas da cidade novamente e essa via será atendida na próxima semana. A secretaria informa, ainda, que precisa de aproximadamente 15 dias de tempo firme para realizar os serviços de melhoria de vias públicas.



Tags:
Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • d83a8831fba6952d386c6501dc64c0ab.jpg