Na estrada da solidariedade

Comemorando o Dia do Motociclista, integrantes da sub-sede regional do Abutre’s Moto Clube entregam doações no Frei Damião

ac644efacade27fd101d545935799557.jpg Foto: Palhocense

Nesta sexta-feira (27), será comemorado o Dia do Motociclista. Mas é no sábado (28) que os integrantes do Abutre’s Moto Clube vão comemorar de verdade. Para a felicidade da comunidade do Frei Damião, a comemoração vem em forma de ação social: na tarde deste sábado, os motociclistas levarão agasalhos, arrecadados em eventos realizados ao longo do ano, para doar a famílias carentes do bairro.

“Já distribuímos uma parte na Unisul, em Tubarão, e agora sábado tem entrega no Frei Damião”, informa o morador da Praia de Fora Sandro Luiz Silveira, o “Maguila”, um dos integrantes “palhocenses” do Abutre’s MC. Além da entrega das roupas, os motociclistas também vão oferecer um sopão aos moradores locais.

As doações são arrecadadas em eventos, geralmente em bares voltados para o público de motociclistas. Bares como o Ronkos, no Aririú, comandado pelo popular Sininho, que também é motociclista. “É um bar diferenciado, destinado a este público. Eles gostam de um rock’n roll, gostam de comer uma carninha e trazer a família”, conta Sininho, que é “padrinho” de 18 motoclubes na Grande Florianópolis; ele calcula que existam 49 clubes, hoje, na região. Apesar do “apadrinhamento”, não pertence a nenhum deles.

O Abutre’s MC é um dos maiores clubes de motociclistas do mundo. E é brasileiro! Foi fundado no dia 13 de setembro de 1989, em São Paulo, e depois estendeu suas asas mundo afora. A entidade não tem fins lucrativos e realiza ações sociais, como esta de sábado no Frei Damião, em todo o território nacional.

O nome foi inspirado em um sentimento de liberdade, simbolizado pelo abutre, ave que alcança incríveis altitudes e é “sinônimo de ousadia e astúcia”, atributos considerados necessários na condução de uma motocicleta. A cor da ave, o preto, é prestigiada pelos coletes estilizados - todo motoclube tem um. Os integrantes se reúnem para confraternizar, para fazer viagens e passeios com suas motocicletas, e também para participar de eventos relacionados à paixão pela vida sobre duas rodas.

O clube é organizado, tem estatuto e um organograma de comando. A sede nacional fica em São Paulo. Em Santa Catarina, a sede estadual está localizada em Brusque (é fácil de reconhecer, porque fica na beira da estrada e tem uma motocicleta “decorando” o prédio), com 160 membros. Na Grande Florianópolis, funciona uma sub-sede regional, com 22 sócios, que se reúnem uma vez por mês. A sede era no Balneário do Estreito, mas estão de mudança para São José.

A cada três meses, há um encontro estadual, que reúne praticamente a turma toda na sede de Brusque. Na estrada, é mais complicado reunir tanta gente. “A gente acaba não fazendo, porque se torna inviável. Imagina botar 160 motos na rua”, observa o sub-diretor regional Guilherme Schutz Zimmermann. Em grupos pequenos, porém, rolam muitos passeios e viagens. Guilherme, por exemplo, já foi ao Rio de Janeiro, a Porto Alegre e a São Paulo - um dos integrantes do grupo local já foi até Manaus de moto. E por onde passam, é claro que chamam a atenção. “A maioria das pessoas cumprimenta”, conta Guilherme. “É legal criança, é extraordinário. Eles querem bater foto, ficam dando tchauzinho”, emenda.

Guilherme diz que sempre gostou de moto e sempre optou pelo estilo “custom”. Já teve uma Harley-Davidson, e hoje tem uma Kasinski Mirage. “Me dá uma agonia, ela não faz barulho”, conta, entre risos. Recebeu o convite de um amigo para ingressar nos Abutre’s em 2007. Preferiu terminar a faculdade primeiro, e em 2010, depois de ter andado com a turma como convidado durante um bom tempo, finalmente se associou. Sandro explica por que escolheu o Abutre’s: “Quando você ingressa em um clube, teu objetivo é entrar no maior”.

 



Galeria de fotos: 2 fotos
Créditos: Palhocense Palhocense
Tags:
Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • d83a8831fba6952d386c6501dc64c0ab.jpg