O ano em que a bola não rolou

Pela primeira vez desde 1985, não foi disputada a primeira divisão do Palhocense

8d635e4c9839df6128c3cfcde57c908b.jpg Foto: LUCIANO SMANIOTO
Até 1985, o Campeonato Palhocense de Futebol era disputado esporadicamente. A partir dali, passou a ser organizado todos os anos. Até 2018. Foi uma divergência sobre a necessidade de registrar jogadores junto à Federação Catarinense de Futebol (FCF) que interrompeu essa trajetória. “Fiquei muito triste com tudo isso que aconteceu”, comenta o presidente da Liga Palhocense de Futebol, Laurino José de Souza.
 
O presidente explica que os clubes decidiram, no primeiro conselho arbitral, que o campeonato adulto da primeira divisão seria disputado por jogadores “federados”, ou seja, registrados junto à FCF pelo clube que iriam defender na competição. No segundo conselho arbitral, a direção do Paraíso informou que não gostaria que o campeonato fosse federado. Foi marcada, então, a realização de uma terceira reunião (o que é incomum) para definir como seria a competição. Os clubes concordaram em manter a exigência de “federar” os atletas. O Palhocense teve acesso à ata dessa reunião. Apenas dois clubes não assinaram: o Paraíso e o Cerâmica Silveira; Eldorado, Atlântico, Cascalho, Liverpool, Paissandu e Rio Grande assinaram; Bela Vista e Cruzeiro haviam se licenciado. “Mas o representante do Cerâmica também concordou com o campeonato federado, ele só não pôde assinar porque não era o presidente e não tinha procuração”, explica Laurino.
 
Definida a forma de disputa e o regulamento, a tabela de jogos foi formatada e os clubes iniciaram as tratativas para a formação das equipes e o registro de atletas. Cascalho e Cerâmica fariam o jogo de abertura do campeonato, em um sábado, 11 de agosto. No final da tarde da terça-feira (7 de agosto) daquela semana, representantes de cinco times procuraram a direção da Liga para informar que não queriam mais o campeonato federado: Paraíso, Cerâmica, Paissandu, Eldorado e Rio Grande. Eles entregaram um ofício ao presidente da Liga, onde informavam: “Devido à grande dificuldade de juntar os documentos exigidos pelo sistema CBF, que só participarão do Campeonato Amador 2018, se o mesmo não for federado, e que as inscrições de atletas seja a mesma utilizada na Liga dos Campeões, ficha coletiva com apresentação de cópia da RG ou CNH”. “O Eldorado, na primeira reunião da Liga, aceitou ser federado o campeonato, depois, vendo as dificuldades em inscrever atletas e os custos, resolveu optar por não federado”, justifica a direção do Eldorado.
 
Imediatamente, na presença dos representantes desses clubes, Laurino consultou, por telefone, o procurador jurídico da FCF, o advogado Rodrigo Capella, sumidade em Direito Desportivo. Capella informou que a mudança só seria possível se todos os clubes aceitassem. O problema é que os outros clubes já haviam se organizado e feito gastos com a papelada necessária para a inscrição de atletas e ameaçaram recorrer à Justiça para serem ressarcidos dos custos caso o campeonato não fosse federado. “Com a tabela pronta, os clubes tinham prazo para inscrição, regularizar com a CBF e a Federação, pagar as taxas, porque a gente estava há dois anos sem fazer campeonato federado, então tinha que regularizar tudo. Era um custo considerável colocar tudo isso em dia. A gente foi fazendo tudo normalmente, porque tem um prazo de inscrição, pegamos transferência de atletas nas outras ligas, e cada transferência é cem reais. Foi um investimento bem alto”, lembra Maicon Vieira, do Cascalho.
 
 
O verdadeiro motivo
 
A dificuldade em cumprir com o protocolo de inscrição de jogadores em um campeonato federado não seria o verdadeiro motivo do “motim”. Até porque a Liga se propôs a ajudar os clubes, inclusive colocando uma funcionária à disposição para realizar os registros junto à FCF. O problema é que um jogador federado fica vinculado ao clube que o registrou, e não pode atuar em outro campeonato chancelado pela Federação Catarinense. E no cenário do futebol amador, é muito comum o mesmo jogador defender vários clubes em ligas municipais diferentes.
 
“Quando chegou em cima da hora, cinco clubes se reuniram porque não queriam mais que fosse federado, porque se for federado, o atleta tem que escolher se joga em Palhoça, São José ou Santo Amaro, e aí eles tinham atletas para trazer e queriam, por interesse, que não fosse mais federado”, afirma Maicon. “Eles queriam derrubar o regulamento que havia sido assinado por todos os clubes. Aí, os dois clubes, por último, nós e o Atlântico, não aceitamos, porque estávamos com os atletas praticamente todos inscritos. E a liga também não aceitou, porque o regulamento estava pronto, e aí, com dois clubes só, não teve campeonato, porque só Cascalho e Atlântico queriam cumprir o regulamento já aprovado”, finaliza o dirigente do Cascalho.
 
Diante do impasse, os clubes “amotinados” queriam o dinheiro que seria repassado pela Prefeitura para realizar um campeonato paralelo. A Liga não aceitou. “Não posso dar o dinheiro para eles fazerem um campeonato paralelo, porque quem tem que prestar contas é a Liga”, explica Laurino. O presidente informa que redigiu um documento abrindo mão do dinheiro que a Prefeitura iria repassar para a disputa da primeira divisão, R$ 25 mil. “Se eu pegar o dinheiro, tenho que fazer o campeonato, porque vai súmula do jogo, vai assinatura dos árbitros, o dinheiro é depositado na conta dos árbitros, então não posso fazer o campeonato”, justifica.
 
Sem a realização de um campeonato federado, a Liga Palhocense correu o risco de sofrer sanção por parte da FCF. “Tens que fazer um campeonato federado por ano, por uma questão estatutária”, diz Laurino. A punição só não aconteceu porque Guarani de Palhoça e Pedra Branca EC disputam campeonatos da federação, mantendo a licença da Liga em dia, explica o presidente. Na verdade, há uma “punição”: na última reunião das 57 ligas vinculadas à FCF, Laurino teve que ficar “só olhando”, porque como não teve campeonato federado, a Liga Palhocense não teve voz na reunião.
 
 
Eleições
 
Na próxima quinta-feira (27), às 19h30, será realizada a eleição para presidente, vice-presidente e membros efetivos e suplentes do Conselho Fiscal da Liga Palhocense de Futebol. Laurino diz que não tem intenção de concorrer à reeleição. Ele está à frente da entidade em boa parte da sua existência: são 23 anos de presidência - a Liga foi criada em 1991. “Não quero mais, eu quero parar. São 23 anos da minha vida, é um terço da minha vida. Quando peguei a Liga, era num contrapiso ali no Bar do Neo, não tinha nem uma caneta pra escrever. Hoje tem esta sede, temos toda esta estrutura”, observa.
 
A inscrição das chapas concorrentes deverá ser protocolada na Liga até cinco dias antes da realização da assembleia geral ordinária eletiva. Já existem articulações nos bastidores para a composição de chapas. Têm direito a voto os filiados “em pleno gozo de seus direitos estatutários”. O estatuto da entidade diz que estão aptos a votar os clubes que: possuírem licença de funcionamento em vigor, expedida pela Federação Catarinense de Futebol; tiverem seus débitos com a Liga quitados com antecedência mínima de cinco dias antes da assembleia, desde que intimados; tiverem participação no ano anterior do campeonato promovido pela Liga e estarem inscritos ou terem participado do atual; tiverem atendido às demais exigências da legislação vigente. 
 
 
Liga Palhocense
 
Todos os campeões da primeira divisão
1985 SERC Guarani
1986 SERC Guarani
1987 SERC Catarinense FC
1988 AER Cruzeiro do Sul FC
1989 SERC Catarinense FC
1990 Atlântico RFC
1991 Atlântico RFC
1992 Atlântico RFC
1993 Atlântico RFC
1994 SERC Guarani
1995 SERC Guarani
1996 Avante FC
1997 Cruzeiro FC
1998 SERC Guarani
1999 SERC Guarani
2000 Cerâmica Silveira FC
2001 Avante FC
2002 Atlântico RFC
2003 Paissandu FC
2004 Paissandu FC
2005 Paissandu FC
2006 AER Eldorado FC
2007 AER Cruzeiro do Sul FC
2008 AER Cruzeiro do Sul FC
2009 Cerâmica Silveira FC
2010 Cerâmica Silveira FC
2011 Paraíso FC
2012 Cerâmica Silveira FC
2013 Paissandu FC
2014 SERC João Paulo II
2015 Cerâmica Silveira FC
2016 Paissandu FC
2017 Cerâmica Silveira FC


Tags:
Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • Banner-310x260.gif