Realocação de postes no Pachecos custa R$ 10 mil

Prefeitura informa que alargamento de calçamento da rua foi feito a pedido dos moradores

b9e4d09055a3e3c0ed8661d3ffb85b48.JPG Foto: DIVULGAÇÃO

“O absurdo é tanto em ver esses postes no meio da rua, que não dá para entender como conseguiram calçar uma rua assim. Será que ninguém percebeu ou será que quiseram dividir as pistas? ”, questiona a moradora Francisca Machado de Lima, ao olhar e se revoltar com a situação da rua José Duarte da Silva, no bairro Pachecos. 
As informações são de que a obra de calçamento da rua teria sido concluída no início do mês de março, sendo que somente no dia 15 de março a prefeitura teria feito o pedido de remanejamento dos postes à Celesc. Na última semana o Observatório Social de Palhoça (OSPH) informou que a Celesc teria encaminhado uma proposta de mudança e o orçamento à prefeitura, já que as despesas deverão ser pagas pelo município. 

Segundo o orçamento apresentado para o remanejamento dos postes o município terá que desembolsar, além dos quase R$ 140 mil da obra (valor com aditivos), mais de R$ 10 mil de pagamento à Celesc, que a partir do momento que receber a aprovação, terá um prazo de 120 dias (4 meses) para a execução.

“Isso é um absurdo, além de fazerem uma obra completamente errada ainda vamos gastar um montante desse para arrumar um problema que poderia ter sido muito bem evitado. Temos tantos engenheiro e estudiosos na prefeitura e do que adianta? Fizeram um trabalho que nem mesmo uma criança teria feito”, reclama Luiz Fernando Maciel.  
Em nota ao Jornal Palhocense, o OSPH informou que irá encaminhar solicitação para a prefeitura rever o processo de planejamento de execução de obras, dado que há um corpo de engenharia na prefeitura que teria essa responsabilidade, assim como os próprios fiscais de contrato, “que, segundo o nosso entendimento, deveriam ter atuado com antecedência para fazer com que o remanejamento dos postes fosse feito de forma prévia ou no pior caso, sincronizado com a conclusão da obra”. 

Segundo informações repassadas pela Celesc, o projeto de deslocamento dos postes já foi elaborado. “A prefeitura assinou os contratos, bem como pagou os custos da obra, que consiste no deslocamento de quatro postes, sendo um deles com transformador. O serviço foi programado para o dia 20 de maio, no período da tarde. Em caso de condição climática adversa, o serviço poderá ser reprogramado", explica Adriano Luz, chefe da divisão técnica da Celesc. 

Conforme documento recebido pela própria Celesc, a Prefeitura de Palhoça prova que entrou com o pedido para realocação dos postes, no dia 7 de fevereiro. “É importante esclarecer que o projeto da rua previa uma largura menor no final da via justamente por causa dos postes. Porém, por um pedido dos próprios moradores, a Prefeitura manteve a largura padrão em toda a sua extensão e por se tratar de uma rua sem saída, com pouco trânsito no local dos postes, foi identificado o baixo risco quanto à abertura da rua para uso dos moradores locais, até que a remoção fosse feita pela Celesc”, explicou a prefeitura em nota oficial, afirmando ainda que tem realizado gestão junto ao órgão e que a ação de remoção está agendada para dia 27 de maio, se as condições climáticas permitirem.

 



Tags:
Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • d83a8831fba6952d386c6501dc64c0ab.jpg

Destaques

  • Nenhuma matéria relacionada.