Às portas da Seleção

Judoca da Guarda do Embaú foi convocado para o meeting que vai definir quatro vagas nas categorias de base da equipe nacional de judô

7bb7831e41f01a0f7a9c5adea86b557f.jpeg Foto: DIVULGAÇÃO

O judoca palhocense Pedro Santos fui convocado pela Confederação Brasileira de Judô (CBJ) para disputar o Meeting Nacional de Base Sub-18, que acontecerá em fevereiro de 2019. No meeting, 12 atletas do Brasil disputam quatro vagas na Seleção Brasileira de base. Pedro foi chamado para competir na categoria até 90kg.
A confirmação dos nomes selecionados para a seletiva saiu na última segunda-feira (10). O palhocense recebeu a notícia em Porto Alegre (RS), onde mora desde fevereiro, quando passou a integrar a prestigiada equipe da Sogipa.

A convocação para participar do meeting foi a coroação de um trabalho que começou aos 13 anos, quando as portas se abriram para o mundo da artes marciais. Pedro escolheu o jiu-jitsu e treinava em um espaço cedido pela empresária Telma Vieira Correia na Guarda do Embaú. O projeto foi encerrado por causa da dificuldade de deslocamento do professor até o Sul de Palhoça. Aí, o jiu-jitsu saiu de cena e o judô entrou na vida do garoto. Santa mudança!

Pedro passou a praticar judô no Clube Pura Vida, com os senseis Pedro Antun e Carlos Antun, também na Guarda do Embaú. Na primeira semana de treino, já participou de uma seletiva para os Jogos Escolares de Santa Catarina (Jesc), na categoria sub-15, até 64kg, e ficou em primeiro lugar. Quando o sensei Pedro Antun decidiu de mudar para a Austrália, Pedro Santos enfrentou novo dilema: onde treinar? Foi o próprio sensei Carlos quem indicou o judoca ao sensei Fábio Maciel, da Fundação Municipal de Esportes e Lazer de São José, onde treinou durante um ano e conquistou resultados importantes, como o terceiro lugar nos Joguinhos Abertos de Santa Catarina, na categoria sub-18, até 90 kg.

E em fevereiro de 2018, veio a transferência para Porto Alegre (RS). "No início de 2018, tive uma oportunidade de uma indicação para fazer um teste na Sogipa, referência do judô no Brasil. Fiz o teste e felizmente fui aceito pelo clube", relembra Pedro. Na capital gaúcha, foi acolhido pela família de Ademir Simon, onde morou até agosto deste ano. Atualmente, com 16 anos, mora sozinho. "Tive que aprender a me virar, fazer minha comida, limpar a casa e lavar minhas roupas quando minha mãe não está lá comigo", conta Pedro.

Mas ele mal para em casa. A rotina de treinos é puxada. De segunda a sexta, tem dois treinos por dia, entre trabalhos físicos, técnicos e de judô propriamente dito. São mais de quatro horas de treino por dia, em períodos que ele precisa conciliar com os horários da escola.

Com relação à capacidade dos treinadores, não poderia estar melhor amparado na Sogipa. Pedro treina com Wagner Zaccani, preparador físico da Seleção Brasileira de judô, e com o sensei Antônio Carlos Pereira (Kiko), indicado para receber o Prêmio Brasil Olímpico como o melhor técnico do ano de 2017 pelo Comitê Olímpico Brasileiro. Além disso, ainda faz acompanhamento com a coach esportiva Milena Zaccani. "Estou numa equipe considerada uma das melhores do Brasil. Atualmente, 12 judocas do clube fazem parte da Seleção Brasileira de judô e tem seis atletas olímpicos", comemora. "É um orgulho e um sonho treinar com meus ídolos, eles me inspiram e me ajudam todos os dias", acrescenta.

Ídolos, fontes de inspiração e quem sabe, a partir de fevereiro, colegas de Seleção. "Gostaria de fazer um agradecimento especial à minha família, a meu pai José Henrique, e minha mãe, Juliana, por toda a educação que me foi dada e pelo exemplo que tenho vindo deles", diz o atleta, que é filho do secretário adjunto de Maricultura, Pesca e Agricultura de Palhoça, José Henrique Francisco dos Santos.



Tags:
Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • Banner-310x260.gif