Futuro engenheiro ou futuro goleiro?

Garoto Gabriel, de 14 anos, é destaque em uma posição em que Palhoça é referência

fcce19bc7eccd4a8a3bf20106ded05d7.jpg Foto: FIF7 FOOTBALL 7/DIVULGAÇÃO

O goleiro Rodrigo Rocha, que mora em Palhoça e durante muito tempo atuou no time profissional do Guarani, está na Itália, integrando a Seleção Brasileira no Mundial de futebol 7. Um goleiro já consagrado, que trilhou um caminho de sucesso nos gramados e agora, nas quadras, é o principal jogador do mundo na posição. Quem sabe, o mesmo futuro do garoto Gabriel Donato Kalkmann, de 14 anos? 
As circunstâncias apontam que o jovem arqueiro está em um caminho de vencedores. Na última segunda-feira (23), a Fifa anunciou os jogadores mais votados no prêmio de melhor jogador do mundo – The Best Fifa 2019, em cerimônia realizada também na Itália. O meia argentino Lionel Messi somou 46 pontos e levou o prêmio pela sexta vez, seguido pelo zagueiro holandês Van Dijk (38 pontos) e pelo atacante português Cristiano Ronaldo (36 pontos). O português já faturou cinco títulos. Nascido na Ilha da Madeira, Cristiano Ronaldo foi “apresentado” ao mundo profissional do futebol pelo Sporting, um dos clubes mais tradicionais de Portugal, em 2001, depois de quatro anos nas categorias de base. O trabalho do Sporting na base é reconhecido no mundo inteiro e vários países possuem escolinhas de futebol vinculadas ao clube português, inclusive o Brasil. Uma dessas escolinhas fica na Pedra Branca. É lá que treina o goleiro Gabriel, que tem se destacado na grama sintética das quadras de futebol 7.
Gabriel foi o único jogador da escolinha de Palhoça selecionado pelo técnico Pedro Alves da Silva para integrar a delegação do Sporting que conquistou o título da Liga das Américas nas categorias sub-13 e sub-15. A competição foi disputada no final de agosto, no Uruguai, em várias categorias, entre adultos, mulheres e a garotada. “Para eles, foi uma experiência muito boa”, comenta Giancarlo Kalkmann, pai do Gabriel.
A família mora no Jardim das Palmeiras. Giancarlo conta que o filho joga desde os sete anos de idade. Começou na linha, depois se consolidou no gol. Mesmo jovem, Gabriel já tem, em casa, um relicário de medalhas de campeão e de melhor goleiro. Mas, por enquanto, o esporte é apenas uma ferramenta de crescimento pessoal, já que, indiretamente, exercita noções importantes como o trabalho em grupo e a disciplina. “Se surgir nele a vontade de ser jogador, a gente vai apoiar”, diz Giancarlo. “Passa pela minha cabeça ser jogador de futebol, mas eu já olho para outras áreas, como a da Engenharia, porque eu gosto bastante de Matemática”, comenta Gabriel, que estuda no Roda Pião, no Centro de Palhoça. Bom aluno, tira sempre boas notas - uma exigência da família.
Fã do goleiro Wilson, que ele conheceu na época em que atuava no Figueirense, Gabriel disse que não teve muita dificuldade em se entrosar com os colegas de time (que treinam em Florianópolis) durante a Liga das Américas. “Não conhecia eles, mas consegui me entrosar bem. O time era muito bom”, elogia. Elogios, mesmo, vêm do técnico Pedro, ex-lateral com passagens por clubes como Figueirense e Palmeiras. “Fez uma defesa na final que ajudou bastante”, relembra Pedro. O jogo diante do Olivos FC, da Argentina, estava empatado em 0x0 quando Gabriel fez um milagre em uma cobrança de falta e ajudou o Sporting a vencer o jogo por 2x1 e conquistar o título, justificando a confiança do treinador. “É uma posição em que nós temos bastante atletas, mas como eu estava treinando com o Gabriel aqui (na Pedra Branca), eu optei por ele. Foi uma questão técnica. Logo no primeiro treino, eu já vi que ele tinha alguma coisa de diferente. Tem potencial, tem uma base boa. Claro que precisa treinar, precisa fazer treino para goleiro, que é totalmente diferente. O goleiro precisa ralar mais do que os outros, porque é uma posição que quando erra, é muito cobrado, então tem que treinar muito. Mas pela altura e pela envergadura dele, chamou a atenção”, destaca Pedro.
O ex-lateral também atuou no time profissional do Sporting e garante que as portas do clube português estão abertas para jovens revelações. Desde que tenham o talento necessário para passarem pelo crivo criterioso dos avaliadores do clube português, que revelou, além de Cristiano Ronaldo, outro melhor do mundo, Luís Figo, eleito pela Fifa em 2001. Por enquanto, Gabriel vai seguir competindo no futebol 7. O grupo tem a expectativa de disputar uma competição no Chile, em dezembro. Quem sabe o garoto do Jardim das Palmeiras não traz mais um ouro para casa?

 



Tags:
Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • Banner-310x260.gif