Somellier de chá e chocolatier concorrem a prêmio

Larissa e Jacqueline Ferrari são empresárias no ramo de gastronomia na Pedra Branca

6c23769e35c638a8d01ddad902622e78.jpg Foto: DIVULGAÇÃO

“Em diferentes áreas, há sempre pessoas cujo trabalho serve de motivação e até de força para impulsionar as demais. E ninguém nasce sabendo fazer, é sempre possível aprender com o outro”. Foi assim que a coach Vanessa Tobias definiu a importância do Prêmio Mulheres que Fazem a Diferença, da Associação Comercial e Industrial de Florianópolis (Acif). Vanessa é a madrinha da edição 2019 da premiação, que terá a participação de uma "dupla" de empresárias que toca um empreendimento bem peculiar na Pedra Branca, a 1401 TEA, que trouxe a Palhoça um novo conceito em casa de chá.

O prêmio é uma iniciativa do Núcleo Multissetorial da Mulher Empresária da Acif e tem como propósito reconhecer e premiar mulheres da Grande Florianópolis cujas histórias e trajetórias de vida se destacam nas áreas de Negócios, Terceiro Setor, Educação, Cultura, Esporte e Influenciadora Digital, dando notoriedade aos seus relatos de vida para que sirvam de exemplo e inspiração para outras mulheres também fazerem a diferença. A premiação foi criada em 2010 e é realizada a cada dois anos, e em 2019 terá sua sexta edição. O evento de premiação será no dia 28 de março. A chocolatier Jacqueline Ferrari e sua filha, a sommelier de chás Larissa Ferrari, estarão lá. Elas concorrem na categoria Negócios. "É a primeira vez que tem uma dupla nessa categoria, com a reinvenção da marca", conta Larissa.

A culinária está no DNA da família. Jacqueline herdou da mãe o talento para a criação de delícias à base de chocolate. Ele é instrumentadora cirúrgica, formada no Centro de Pesquisas do renomado cirurgião plástico Ivo Pitanguy, no Rio de Janeiro, mas largou tudo para se dedicar a adoçar o cotidiano alheio. "Para minha mãe, era uma forma de sustento. Papai faleceu e ela tinha que trabalhar. Então, a gente vivia no meio do chocolate, esse cheiro que a gente está sentindo aqui na loja é o cheiro que a gente sentia dentro da nossa casa", relembra. Decidida a perpetuar a tradição familiar do chocolate, Jacqueline criou a marca Palha Della Nonna. Em 29 de setembro de 2017, inaugurou uma casa de chá no Passeio Pedra Branca, com um ambiente clássico e requintado. "Eu escolhi Palhoça porque eu amo isso aqui. A gente queria trazer esse ar europeu e também essa mescla moderna", conta a empresária. 

No ano passado, decidiram "reinventar" a loja, com a intenção de atrair também um público mais jovem. Apostaram no blues e no jazz para a ambientação musical. Reorganizaram a marca, mudaram a cor e trocaram o nome: escolheram 1401 TEA. Na química, códigos identificam substâncias, e o 1401 é o código do tanino, substância presente no chá, no chocolate e no café; e "tea" é "chá", em inglês. A logomarca imita a estrutura química do tanino, decorada com folhas do chá e ligações químicas.
Nada mais apropriado para uma loja comandada por uma especialista em chocolate e uma estudante de Química da UFSC. Aos 23 anos, Larissa usou uma pitada dos conhecimentos adquiridos na faculdade, outra pitada de ensinamentos repassados no curso de sommelier de chá, oferecido pelo Instituto Chá, de São Paulo, e muita criatividade para transformar a loja em um verdadeiro laboratório. Ali, ela testa a inclusão de chás em variados itens do cardápio, desde pratos salgados até coquetéis alcoólicos. As ideias vão surgindo, as proporções são testadas e logo essa alquimia de sabores vai para a mesa dos consumidores. "Realmente, o ambiente é muito bom, muito gostoso, dá vontade de ficar aqui a tarde toda; se pudesse, eu ficava", atesta uma cliente, enquanto saboreia um suco e espera o início de uma reunião de trabalho.

E quem pensa que só se toma chá no inverno está sumariamente enganado. A cultura do chá gelado é amplamente difundida em vários países. Na 1401 TEA, ainda tem drinks (alcoólicos ou não) e milkshakes com chás, combinações exóticas e perfeitas para os dias de calor. "A cultura do chá está chegando agora no Brasil. A ideia que a gente tem do chá é muito europeia, aquela história do chá da tarde, mas, por incrível que pareça, não foi na Inglaterra que surgiu o chá, e sim, na China", revela Larissa. "A gente está explorando formas de utilizar o chá, trazendo para a cultura do Brasil. Nós temos muitas frutas, muitas ervas, muitas plantas medicinais que a gente pode explorar dentro da nossa casa", acrescenta.

Para celebrar o Dia Internacional da Mulher, as empresárias lançaram um novo "blend" fitoterápico voltado para a saúde da mulher. O lançamento será justamente nesta sexta-feira (8). Quem quiser passar lá para conhecer, a 1401-TEA fica na Rua da Pedra, junto ao Passeio Pedra Branca.



Galeria de fotos: 2 fotos
Créditos: DIVULGAÇÃO DIVULGAÇÃO
Tags:
Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • Banner-310x260.gif