Beltrano - Edição 780

E agora, Zé? Diz qualé que é?! 

 

Extra! Extra!! Como dizia minha vó, quando eu ia pedir o serrote do vô emprestado: “Se vaivém fosse e viesse, vaivém ia, mas como vaivém vai e não vem, vaivém não vai”.
Tenho uma notícia boa e uma ruim pra dar pra vocês hoje. A ruim é que não tem notícia boa e a boa é que não tem notícia ruim! 
Eu me convenci de que não estou envelhecendo, estou me tornando um clássico! Para você ter uma ideia de como o mundo é diferente em tudo quanto é lugar: tem país onde o sujeito que rouba é amputado; no Brasil, é deputado! Rá, rá, rá, rá... Por isso, aconselho aos novos vereadores que se toquem, pois, depois da primeira mentira, toda verdade vira dúvida. Por isso, lembre-se: a cor mais bonita que um político pode ter é a transparência!
Mas o pior mesmo é você estar assistindo ao BBB 2021 e nesta hora lhe bate a maior dor de barriga. A dúvida que fica é: qual merda você vai escolher! A começar pela Karol Com KaCaca!
Minha Nossa Piriquita da Cova Funda! Descobriu-se que tem um monte de político de Palhoça que pensa que o mundo gira à sua volta, mas o médico da UPA da Bela Vista não tem dúvida: é labirintite.
Deu pra bola: pra evitar a transmissão do coronavírus, evite fazer aglomerações com mais de 20 convidados, “convid” apenas 19!
Darei algumas dicas de saúde pra você. Faça um exame de urina rápido! Funciona assim: vá até uma árvore, urine e observe:
- Se atrair formigas: diabetes;
- Se secar rapidamente: muito sal no organismo;
- Cheiro de carne: colesterol alto;
- Não achou a árvore para mijar: catarata;
- Se esqueceu de abrir as calças: Alzheimer
- Se errou de árvore: Parkinson
- Se não sentir cheiro: Covid!
Estes momentos de pandemia têm levado casais a se contrastarem em suas relações amorosas. O exemplo é um casal de amigos meus. Ela cobrou dele:
- Amor, temos que falar. Ultimamente, só sabes falar de corona, vacina, afastamento... E já não és mais romântico comigo.
- Que queres que eu te diga?!
- Diz algo com amor!
E ele: “Amortecedor”. 

Deus e Palhoça
Quando Deus criou o estado de Santa Catarina, Ele disse:
- Para Blumenau, eu deixo enchentes; para Joinville, ventania; para Florianópolis, vou deixar chuva de granizo… E assim foi, sucessivamente, com todos os municípios do estado, menos Palhoça.
Até que um anjo que estava ao seu lado perguntou:
- Senhor! Você não vai colocar nada de ruim em Palhoça?
Ele respondeu:
- Claro que vou! Espera só até você ver os políticos que eu vou colocar lá!
As semelhanças entre político e computador:
- Sempre há vários na Câmara e na Prefa. 
- Se travam, não há quem os faça mudar de ideia.
- Tanto num político quanto num computador, é preciso investir muito dinheiro para que funcionem.
- Nenhum dos dois é capaz de pensar por conta própria. 
- Os mais caros são considerados melhores.
- Em certas ocasiões, podem deixar de funcionar.
- Ambos têm memória, mas não possuem inteligência.
Com tanta chuva que tem caído sobre Palhoça, ficou mais uma vez constatado que buraco faz parte de nossa cultura, e não é de hoje! Sem buraco, não se vive, gente! Precisamos nos conscientizar de que o buraco sempre foi e sempre será a essência da vida do palhocense! Pois vejamos: somos filhos do mangue, portanto, caranguejos, que vivem em buracos. Além do mais, nascemos por um buraco, comemos por um buraco, respiramos por dois buracos, ouvimos por dois buracos, enxergamos por dois buracos, moramos dentro de um buraco e, quando morremos, pra onde vamos, hein?! Para um buraco de sete palmos de fundura! Nossa vida sem buraco seria uma chatice. Alguém pode responder como os políticos iriam fazer suas cagadas se seus buracos estivessem pavimentados?! Tão vendo como são as coisas?! Antigamente, na época de Paulino Schmidt, Paulo Vidal e Bá, os buracos eram mais embaixo, somente nas estradas de chão; hoje, eles já chegaram ao asfalto! Rá, rá, rá, rá... Daí, o Antônho do Bidunga me disse: "E o qui é qui tu mi diz dos buracos negros do São Cristóvão"? 
Cortei o papo na hora, religião eu não discuto, só escuto o “fala que fico puto”!! Rá, rá, rá, rá...

Vivemos dias sombrios
Segurança é nossa carência
Palhoça vive assustada
E a população aterrorizada
Com o aumento da violência.

É bandido pra todo lado
Assaltando lojas, bares e residências
Por total falta de segurança
E como a impunidade avança
A Câmara promoveu audiência.

Mas não tem a quem pedir
O governo é incompetente
Os políticos em segurança
Protegem suas poupanças
E não dão bola pra gente.

Coisa triste de se ver
Com medo está até o padre
Os bandidos estão à solta
A população, então, envolta
Fica presa atrás das grades.

O povo banca o otário
Por ter um governo covarde
Pois estão soltando ladrão
Por causa da superlotação
Da única cela da cidade.

Nessa guerra declarada
Já se inverteu o papel
O bandido manda e desmanda
E dentro dessa ciranda
O cárcere da polícia é o quartel.

Este tal de poder constituído
Só faz aumentar a revolta
O bandido, a polícia prende
Ele finge que se arrepende
Vem a dona Justiça e solta.

Com governo incompetente
A ordem sai das prisões:
“Pega o cidadão e enterra”
Estamos perdendo essa guerra
Entre a lei, o governo e os ladrões.

É fogo, é bala, a nós dirigida
A defesa: só se usar uma funda
E o secretário de segurança
Devido a toda essa lambança
Da cadeira não levanta a bunda.
Última notícia: vampiro, mula sem cabeça, chupim, fantasma... A Prefeitura e a Câmara dizem que não hay, mas que hay, hay! Fui, pois, se não posso ir pra Copa, vou ficar na cozinha! E já vou avisando: seu cuzinho, não lavo! 



Publicado em 25/02/2021 - por Beltrano

btn_google.png btn_twitter.png btn_facebook.png








Autor deste artigo


Mais vistos

Publicidade

  • ea73bab336bac715f3185463fd7ccc14.jpg