Cartão Rosa - Edição 775

O empresário Junior, comemorando aniversário no dia 28 de dezembro, no seu paradisíaco sítio em Águas Mornas, ao lado de Marquinhos Santos, do zagueiro Marquinho Silva, do goleiro Gledson e demais amigos


Primeira coluna do ano
O ano de 2020 já passou e jamais conseguiremos esquecer. E 2021 está aí, ano novo, tempo de novas esperanças, principalmente com a chegada da vacina contra essa pandemia que nos obrigou a mudar os hábitos do nosso dia a dia e nos impingiu perdas irreparáveis de entes queridos e muitos amigos. Quero desejar a todos vocês, meus queridos leitores, um feliz 2021! Esta é a minha primeira coluna do ano.


Outras pendengas
A pandemia pegou todo mundo desprevenido, e o futebol não poderia ser diferente. Se está ruim por aqui, imaginem lá para as bandas do Oeste catarinense! Justamente a Chapecoense, que garantiu seu retorno à elite do futebol brasileiro e conquistou o título de campeã estadual em 2020, está passando por uma dificuldade financeira das grandes. Tanto é que todo o elenco se reuniu nesta terça-feira (19) e, em forma de protesto, não foi para os treinamentos. São direitos de imagem, salários, 13º, férias e outras pendengas.


A situação complicou
Até agora, ninguém entendeu o que aconteceu em Maceió. Foi uma das piores apresentações do Figueirense nos últimos tempos. Nem mesmo aquele protesto em Cuiabá foi tão vergonhoso. Numa noite de espanto, o Alvinegro do Estreito foi goleado pelo fraco time do CRB por 5x1, no Rei Pelé. Nesse jogo, o Figueirense mostrou um time apático, com falhas defensivas absurdas, sem desejo de vencer a partida. Dava tudo certo para o CRB, que, tocando a bola com liberdade, foi construindo o placar. Faltou raça e vergonha na cara. Diferente daquele jogo contra o Brasil de Pelotas, que deu novas esperanças ao seu torcedor - depois dessa contra o CRB, não sei não, a situação complicou. Nesse desastre lá em Alagoas, o técnico Jorginho é o que menos tem culpa.

Subiu de degrau
Mas se existem muitas decepções no futebol brasileiro, por aqui, podemos dizer que o futebol catarinense subiu de degrau. Quando se toca nesse assunto, 2015 será sempre um ano inesquecível pra nós, quando o nosso estado deixou de ser o 0 da 101 no futebol e colocou nada menos do que quatro clubes na Série A. Já em 2021, depois de idas e vindas, a Chapecoense retorna para a elite brasileira, o Avaí está na briga para retornar, o Figueirense ainda luta para se manter na B e o Brusque é outro catarinense na Segundona brasileira.


Pobre futebol
De uns tempos pra cá, a discussão é recorrente: ainda temos o melhor futebol do mundo? Para este velho escriba, é claro que não. Podemos até ser o país do futebol, mas em termos de qualidade, técnica e força, já deixamos de ser os melhores faz tempo. Até então, o grande Flamengo de 2020 já não é o mesmo em 2021, deixando seus torcedores indignados. O São Paulo, que liderava com folga este Brasileirão, já não é mais unanimidade. O Internacional, com um time meia-boca, está ameaçando chegar. O Atlético-MG, que andava empolgado, deu uma de cavalo de bandido. E Vasco, Botafogo e Coritiba tendem a descer a ladeira. Triste realidade, vive o nosso pobre futebol.


Chances de acesso
Que jogo louco foi aquele! Um dos melhores a que assisti até agora nesta Série B, superando inclusive muitas "peladas" que tivemos que suportar no Brasileirão 2020-2021. O Avaí entrou no belo gramado da Ressacada para enfrentar um adversário que tinha tudo para ser um osso duro de roer, o Juventude, até então, o quarto colocado. E não é que o time da raça não quis saber de nada disso e, com um time forte na marcação, rápido e organizado atropelou o time da Serra Gaúcha, aplicando um chocolate de 5x1? O Juventude, não conseguindo jogar, levou um passeio dentro da Ressacada. O Avaí ainda mantém as chances de acesso.


Pensamento do Bambi
Se tá ruim pra você, imagine pra quem comprou voto e perdeu a eleição!


Cartão rosa/vermelho
Cartão Rosa para esta bendita vacina, que venceu a politicagem e as mentiras que lutavam contra ela – e, automaticamente, contra a população. O importante é que a ciência venceu contra tudo e contra todos, e a bendita vacina contra essa maledeta pandemia chegou, finalmente, simbolizando esperança de tempos melhores.

Cartão vermelho para esta cacalhada de políticos brasileiros que não estão nem aí para o nosso povo, e muitos dessa cambada de sacripantas ficam agora fazendo média com a nossa população, com a chegada da bendita vacina. Esses hipócritas são muito caras de pau.


DROPS DA ARQUIBANCADA
Deixando um pouquinho o futebol de lado, esta semana foi para todos nós comemorarmos a chegada da vacina contra a Covid-19. Independentemente de onde ela veio, o importante é que essa vacina nos traz muitas esperanças.
Depois da goleada sobre o Juventude, o que tem de torcedor avaiano pedindo o aumento da suspensão do técnico Claudinei é uma enormidade. Muitos já pedem a permanência de Luciano Gusso no cargo. Por que será, hein?
Jorge Jesus já pediu e o Benfica está correndo atrás para comprar o bom lateral Guga, cria do Avaí, que atualmente defende o Atlético-MG. O valor do lateral gira em torno de R$ 51 milhões. Caso isso aconteça, o Avaí terá uma boa parcela dessa negociação.
O Figueirense não poderia ter se desligado em Maceió. Aquela catastrófica derrota para o CRB pode ter sido o fechamento da tampa do caixão. Agora, irá enfrentar o Juventude, lá em Caxias do Sul (RS). Um jogo encardido, ainda mais que o time gaúcho saiu daqui tomando chocolate.

 


A bela Luciana Eger, uma mulher de caráter e honestidade. Eu havia perdido os meus pertences e documentos. Ela, que trabalha no Posto Avião, em Barreiros, achou, correu atrás do meu contato e me entregou tudo. Um grande exemplo a ser seguido

 

Quer participar do grupo de WhatsApp do Palhocense?

Clique no link de acesso!



Publicado em 21/01/2021 - por Margarida Clésio Moreira dos Santos

btn_google.png btn_twitter.png btn_facebook.png








Autor deste artigo


Mais vistos

Publicidade

  • ea73bab336bac715f3185463fd7ccc14.jpg