Ações solidárias ajudam famílias na quarentena

Há quase um mês em isolamento social, palhocenses estão promovendo iniciativas para auxiliar as pessoas mais prejudicadas pela crise

5622a77afed144641b463eb2fc04d0ab.jpg Foto: DIVULGAÇÃO

Por: Sofia Mayer*

 

O distanciamento social segue sendo a melhor arma contra a propagação do novo coronavírus (Covid-19). Mas adaptar-se ao isolamento é tarefa difícil, ainda mais quando o resguardo interrompe a fonte de renda de pessoas que têm casa e família para sustentar. Pensando em reverter esse cenário, muitos grupos e iniciativas em Palhoça têm abusado da criatividade e do espírito solidário para ajudar pessoas em situação de vulnerabilidade durante a pandemia. Em comum, os projetos têm o caráter localista e transparente, mostrando os resultados acontecendo de forma próxima dos doadores, que se sentem seguros para ajudar. Na quarentena de isolamento, é essa corrente de solidariedade que tem feito parte da nova realidade no município.

O grupo Amigos Solidários já planejou algumas iniciativas desde o início das medidas de contenção, há quase um mês. Agora, a novidade é um pedágio solidário, ao estilo drive thru, onde munícipes poderão trocar um alimento não-perecível por um cachorro-quente preparado pela equipe. O evento vai acontecer no sábado (18), das 9h às 13h, em frente à praça do Madri. Todos os produtos arrecadados serão revertidos à montagem de cestas básicas para famílias do Caminho Novo, Laranjeiras e Pontal.

Um dos organizadores do projeto, Eduardo Lemos conta que os beneficiários são registrados previamente pela equipe. “As pessoas ligam, tem um grupo que vai até a família e a gente faz um cadastro bem simplificado”, explica. Cerca de 74 pessoas devem receber cestas básicas após o pedágio. Até o momento, 114 doações já foram entregues a famílias, a partir de outras ações do grupo.

Já no domingo (19), às 20h, o Amigos Solidários vai promover, junto ao food park Happy Days, na Pedra Branca, a campanha “Live entre Amigos”. A ideia é tocar músicas de todos os estilos e conversar, ao vivo, com os internautas, pedindo doações de alimentos não-perecíveis e cestas básicas. “As pessoas vão passar o contato pra gente, e, depois, a gente vai passando e recolhendo (os alimentos)”, esclarece Lemos. A iniciativa será transmitida nas redes sociais do estabelecimento e os fundos arrecadados também serão destinados a famílias dos três bairros.


Juntos pelo Frei Damião

Doações feitas por mais de 100 colaboradores, e dobradas pelo Grupo Pedra Branca, permitiram que, em uma semana, três projetos que atuam na comunidade Frei Damião fossem apoiados com recursos financeiros, que já passaram da marca de R$ 36 mil. O Projeto Dorcas, a Associação Evangélica Beneficente de Assistência Social (Aebas) e o Centro de Assistência e Desenvolvimento Integral (Cadi) foram as organizações favorecidas pelo Fundo de Apoio às Famílias da Frei Damião, e devem reverter o valor recebido em alimentos e itens de higiene para as famílias beneficiadas. 

A ideia é a de que a arrecadação não pare durante a quarentena: por isso, para cada R$ 1 levantado, o Grupo Pedra Branca deposita mais R$ 1, dobrando, assim, a receita destinada às organizações sociais. As doações podem ser realizadas por meio de depósitos e transferências. Segundo a equipe, em uma semana de projeto, mais de 240 famílias da comunidade já foram atendidas. 

O Fundo de Apoio às Famílias da Frei Damião é uma iniciativa do Grupo Pedra Branca, da Associação de Moradores da Pedra Branca (AMO) e da Associação Empresarial de Palhoça (Acip), em parceria com o Instituto Comunitário Grande Florianópolis (Icom).


Em meio à pandemia, uma Páscoa diferente

Isolamento social, crise econômica e preocupação com a pandemia do novo coronavírus fizeram a última Páscoa ser diferente para muita gente. Algumas famílias, no entanto, em virtude das mudanças nos sistemas de trabalho, estão sofrendo ainda mais com a escassez de alimentos. Na comunidade do Brejaru, por exemplo, a quantidade de profissionais informais afetados pelas regras restritivas, decretadas pelo governo, é significativa.

Diante das medidas de isolamento contra a expansão da Covid-19, o Grupo de Amigos e Bombeiros Solidários (Gabsol) decidiu promover, então, uma Páscoa diferente para moradores do bairro. Junto de colaboradores, 60 cestas básicas foram arrecadadas e entregues, no sábado (11), à associação de moradores da comunidade, que ficou responsável por enviar os produtos a famílias em situação de vulnerabilidade financeira.

O sargento Luiz Carlos Gomes, do Corpo de Bombeiros de Palhoça, é um dos integrantes da equipe e afirma que as ações solidárias devem continuar durante toda a pandemia. “Estaremos sempre arrecadando cestas básicas e itens higiênicos para as comunidades, além de que, a partir de 15 de maio, começamos a campanha do agasalho do Gabsol, a qual fazemos todo ano,” conta. A campanha tem previsão para durar até o dia 15 de julho. 

O projeto social Gabsol é uma instituição sem fins lucrativos, formado em 2016, que depende do apoio de contribuintes para continuar auxiliando creches, escolas, lares de idosos e famílias necessitadas. Para conhecer mais sobre a iniciativa, basta acessar o site gabsol.org.br ou se conectar na página do Facebook: /gabsolsc. 


Polícia Civil em campanha para distribuição de alimentos

A tarde de terça-feira (14) foi diferente para policiais civis da Diretoria de Polícia da Grande Florianópolis (DPGF). Reunidas, com viaturas carregadas de cestas básicas, as equipes saíram para distribuir alimentos, que serão repassados a famílias de bairros de Florianópolis, Palhoça e São José.

A iniciativa, que logo alcançou as delegacias de polícia da região, vai ao encontro das ações solidárias que surgem em razão da pandemia do novo coronavírus. Segundo nota da Polícia Civil, a estimativa é de que a campanha tenha arrecadado três toneladas de alimentos.

Em Palhoça, as doações foram entregues ao Cadi, no Brejaru, onde serão, posteriormente, repassadas para cerca de 140 famílias da região. A ação deve beneficiar desempregados em situação econômica crítica, catadores de latinha e carroceiros.


Ciclo de solidariedade

Aline é moradora de um condomínio no Bela Vista desde 2012 e criou, junto a outras mulheres, um grupo para a produção de artesanato. Depois de um tempo paradas, sem reuniões acontecendo, as amigas decidiram, há cerca de dois meses, retomar as atividades, “como se fosse, realmente, uma associação das mulheres”. Com a chegada da pandemia da Covid-19 à cidade, no entanto, as amigas precisaram replanejar seus calendários, se adaptando à situação atual: “A gente teve que entrar em quarentena. Não podemos mais nos reunir, não começamos os cursos que a gente queria fazer”.

Juntas, iniciaram uma campanha para arrecadar alimentos para moradores que estivessem passando por problemas financeiros durante a quarentena. “Começaram a surgir algumas famílias pedindo ajuda. Primeiro, começou dentro do condomínio, e a gente verificou, então, a necessidade (de cada uma delas)”, explica. A iniciativa deu tão certo que as ações se estenderam a outros prédios do Parque Vale Verde. “A gente começou a se mobilizar, conversar com as mulheres. Hoje, a gente está, inclusive, confeccionando mascaras,” conta.

Se antes as doações vinham apenas do condomínio, segundo Aline, agora elas chegam de diversas partes: “Algumas vêm de fora, de algumas pessoas que começam a solicitar, e acabam nos ajudando. Todo dia chega doação, todo dia sai doação, e aí vai gerando esse ciclo.” O grupo faz um cadastro das famílias e, a partir disso, sai para fazer as entregas, nos períodos da manhã e da noite. Hoje, mais de 35 famílias dos arredores estão sendo beneficiadas com os produtos.


Posto de gasolina também faz sua parte

O Posto Puel, no Centro de Palhoça, também está usando a criatividade para ajudar famílias prejudicadas pelos efeitos econômicos da quarentena de isolamento social. Disposta a fazer sua parte, a equipe pensou em unir o útil ao agradável, sorteando 30 litros de gasolina a pessoas que doarem 1kg de alimento não-perecível. Clientes cadastrados no plano de vantagens também poderão trocar pontos por alimentos para doação.

O sorteio acontece na próxima quinta-feira (23). Todos os alimentos doados serão entregues à Aebas, que irá destiná-los a famílias carentes, atendidas pelo projeto, na comunidade do Frei Damião.
 

Genoma Palhoça

O projeto esportivo Genoma Palhoça é outro movimento engajado com a causa social, especialmente neste momento de pandemia. O grupo, liderado pelo professor Fábio Ribeiro, sempre ajuda a comunidade, especialmente na Ponte do Imaruim, e desta vez não é diferente. O projeto está recolhendo: cestas básicas, alimentos não-perecíveis, produtos de higiene pessoal e produtos de limpeza. A central de arrecadação fica no Clube da Bola, na rua Max Schlemper, número 201, nas terças e quintas-feiras. Também é feito o recolhimento de doações em domicílio, basta entrar em contato com o professor Fábio pelo telefone 99126-5551.


Prefeitura também dá assistência

A Prefeitura de Palhoça, através do trabalho da Secretaria de Assistência Social, já destinou mais de 6 mil cestas básicas a famílias em vulnerabilidade social no município. Para solicitar a ajuda, entre em contato através do telefone 3242-3202, de segunda a sexta-feira, das 13h às 17h.


* Sob a supervisão de Luciano Smanioto

 

Quer participar do grupo do Palhocense no WhatsApp?
Clique no link de acesso!
 

 



Galeria de fotos: 2 fotos
Créditos: DIVULGAÇÃO DIVULGAÇÃO
Tags:
Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • ea73bab336bac715f3185463fd7ccc14.jpg