f8cd4f6b92c2fc70f0e82ac7e1a42880.jpg Vacinação em SC: estado ultrapassa 5 milhões de pessoas com esquema vacinal completo

1069b9477a3a0d2f867498dc62b62e0e.jpeg Campanha quer melhorar autoestima de mulheres em situação de vulnerabilidade

5f9a9fdb32314194b4a64723f76fca64.jpeg Membros da comunidade se mobilizam para preservar vegetação na Pedra do Urubu

de47197475943f65b8890285981920fa.PNG Inspirada por Nelson Rodrigues, escritora de Palhoça lança livro de contos

c64875ae6408469efef36af9aa564775.jpeg ViaCatarina recebe mais uma edição da Feira do Artesanato

9570bba7c4646e5c724a73492d325f77.jpeg Produzido em Palhoça, EP de estreia de Yaju está disponível nas principais plataformas digitais

d6d50a1ca4d89a2580356c2c407d6130.jpeg Atletas da FMEC conquistam medalhas no Brasileiro de taekwondo

27e11cacd416c88131ac3f88f6e81065.jpg Copa do Mundo de Amadores contará com dois times de Palhoça

06dcb5028c047a5c6a4971990792762d.jpeg Halterofilismo: Rogério Anderle é campeão no Sul-Brasileiro 2021

b056d29d794b5e1bd70c65f106382a3b.jpg Governador Carlos Moisés abre a 60ª edição dos Jasc e destaca investimentos históricos no esporte

Falando Sério - Edição 641

História

Recordo-me de ter tido a honra de fazer a apresentação do livro “Palhoça”, escrito por Claudir Silveira. Lembro-me de, ao final da apresentação, ter escrito: “Não se faz a história com braços cruzados ou bravatas. Os omissos e covardes não constroem a história, pois ela é solidificada com suor, sangue, desprendimento e muito amor”.

Esta semana, dei mais uma relida na história de Palhoça - o que sempre venho fazendo -, relembrando a vida de meus avós, de minha mãe e de tantas pessoas que lutaram demais para que a nossa geração pudesse viver melhor. 

A cultura era tratada com respeito, no final do século XIX, o que não acontece no século XXI, quando políticos querem destruir a biblioteca pública; acabaram com o estilo colonial das construções históricas; derrubaram a igreja com duas torres e dois sinos; queriam por abaixo o prédio central (tombado) da Prefeitura. Infelizmente, Palhoça tem sido vítima de muitos políticos e administradores incompetentes.

Palhoça, até 1923, era um “entreposto de mercadorias entre o continente e a ilha de Florianópolis”, com enorme progresso, até a construção da Ponte Hercílio Luz. Os lanchões que levavam mercadorias para Florianópolis ficaram sem utilidade. O livro “Palhoça”, de Claudir Silveira, deveria ser reeditado e distribuído a todas as escolas do município. 

É preciso repetir, constantemente, que todos aqueles que ocupam cargos nas administrações públicas - sejam políticos ou não - são servidores pagos com o dinheiro dos impostos arrecadados. Não fazem favor nenhum sendo trabalhadores e honestos, para melhor escreverem a história de períodos diversos do município, fazendo parte dessa história como exemplo para a posteridade. 

De que adianta dizermos que fomos prefeito, vereador, deputado, governador, presidente, empresário, alto funcionário, se nada fizemos em benefício do município e do seu povo, se apenas agimos para receber os lucros do cargo que ocupamos? 

Sinto-me realizado por fazer parte da história de Palhoça, atuando com dedicação em sua vida política e social, a partir de 1943. Éramos uma juventude abandonada pela classe política e social dos conservadores, que sempre mandaram no município. 

Devemos dispor da nossa vida como ensinam os filósofos. Goethe escreveu: “Procura fazer o teu dever, e saberás o que vales. O homem feliz é aquele que sabe colocar o fim em relação com o começo da vida”. O grande pensador Cícero disse: “Se não nos guia o amor à virtude, se só somos honrados por interesse, somos astutos, mas nunca verdadeiros homens de bem”.



Publicado em 01/06/2018 - por Juarez Nahas

btn_google.png btn_twitter.png btn_facebook.png








Autor deste artigo


Mais vistos

Publicidade

  • ea73bab336bac715f3185463fd7ccc14.jpg