f8cd4f6b92c2fc70f0e82ac7e1a42880.jpg Vacinação em SC: estado ultrapassa 5 milhões de pessoas com esquema vacinal completo

1069b9477a3a0d2f867498dc62b62e0e.jpeg Campanha quer melhorar autoestima de mulheres em situação de vulnerabilidade

5f9a9fdb32314194b4a64723f76fca64.jpeg Membros da comunidade se mobilizam para preservar vegetação na Pedra do Urubu

de47197475943f65b8890285981920fa.PNG Inspirada por Nelson Rodrigues, escritora de Palhoça lança livro de contos

c64875ae6408469efef36af9aa564775.jpeg ViaCatarina recebe mais uma edição da Feira do Artesanato

9570bba7c4646e5c724a73492d325f77.jpeg Produzido em Palhoça, EP de estreia de Yaju está disponível nas principais plataformas digitais

d6d50a1ca4d89a2580356c2c407d6130.jpeg Atletas da FMEC conquistam medalhas no Brasileiro de taekwondo

27e11cacd416c88131ac3f88f6e81065.jpg Copa do Mundo de Amadores contará com dois times de Palhoça

06dcb5028c047a5c6a4971990792762d.jpeg Halterofilismo: Rogério Anderle é campeão no Sul-Brasileiro 2021

b056d29d794b5e1bd70c65f106382a3b.jpg Governador Carlos Moisés abre a 60ª edição dos Jasc e destaca investimentos históricos no esporte

Falando Sério - Edição 645

 

Mal-agradecidos

O tempo passa, as gerações se sucedem, as autoridades, os políticos, os empresários, as famílias, a sociedade, também vão passando juntos. A história, infelizmente, muitas vezes é mal contada, por isso, na maioria das vezes, os que merecem reconhecimento são esquecidos. 

Em todos os municípios e sociedades, acontece a mesma coisa: as pessoas idealistas, honestas e lutadoras são esquecidas de propósito, para que os corruptos - que comandam a política local - sejam os mandões que enriquecem roubando o dinheiro público, salvo raríssimas exceções. 

Acontece que todos os municípios têm sua história, mesmo que os políticos e administradores nada saibam sobre ela ou façam questão de esquecê-la. Felizmente, alguns escritores honestos demonstram, em seus livros, onde está a verdadeira história da sua terra. 

Desde o meu tempo de guri eu admirava e respeitava os mais velhos, aqueles que tiravam dinheiro do próprio bolso para ajudar a administrar a sua cidade. O Conselho Administrativo (atual Câmara de Vereadores) trabalhava de graça. Seguindo o exemplo deles, quando fui vereador, na primeira sessão entreguei ao presidente uma petição, dizendo que não queria receber nem um tostão do poder público. Esta minha atitude aumentou o ódio dos políticos locais. 

Ninguém fala, hoje, no Guarani do campo de seu Juliano, que era a alegria dos torcedores da redondeza; ninguém fala sobre a comissão que foi ao governador pedir a construção do atual estádio do Guarani; não se fala no Clube Recreativo 7 de Setembro, que ficava onde hoje é o Banco Itaú, que acompanhou o crescimento de três gerações de palhocenses. Hoje, não se comenta os nomes dos cidadãos que fizeram parte da comissão de construção do Clube Recreativo 7 de Setembro. 

Na semana que passou fiquei feliz em saber da inauguração da reforma do prédio do Batalhão da Polícia Militar, que nós (coronel Sestilio e eu) trouxemos para Palhoça, contra a vontade de alguns políticos locais, mas que estavam lá tomando cafezinho na inauguração. 

Sobre o Fórum, já falei em outra crônica; sobre a Apae, fiz parte da comissão que a criou e construiu, lamentando os desmandos que agora ocorreram. 

Temos bastante a falar sobre o idealismo e o desprendimento de muitas pessoas que dedicaram suas vidas dando exemplos de ética, ajudando seu município e sua cidade a se desenvolverem. Tenho certeza que todos nós, os mais velhos de todos os distritos do município, estamos felizes pelo que realizamos, pouco importando que sejamos esquecidos pelos mal-agradecidos. 

Imaginemos falar sobre educação e esquecermos os professores; falarmos em imprensa livre e não citarmos nossos jornalistas palhocenses. Infelizmente, a maioria dos filhos se esquece dos pais. 



Publicado em 28/06/2018 - por Juarez Nahas

btn_google.png btn_twitter.png btn_facebook.png








Autor deste artigo


Mais vistos

Publicidade

  • ea73bab336bac715f3185463fd7ccc14.jpg