Explosão

No local, os bombeiros militares realizaram o atendimento de uma vítima, proprietária do imóvel, que apresentava queimaduras de primeiro grau na face e de segundo grau nos membros superiores

549d4e2f364a6ded1ee27627cb8b9f2b.jpeg Foto: DIVULGAÇÃO

Na noite desta terça-feira (20), o Corpo de Bombeiros foi acionado para o atendimento de uma ocorrência de vazamento de gás (GLP), seguido de explosão, em um prédio de cinco pavimentos no Rio Grande. 

No local, os bombeiros militares realizaram o atendimento de uma vítima, proprietária do imóvel, que apresentava queimaduras de primeiro grau na face e de segundo grau nos membros superiores. Segundo informações iniciais, a proprietária sentiu cheiro de gás e, ao acender a luz interna do forno de um fogão, houve uma pequena explosão. 

Devido à explosão, o apartamento teve danos nas janelas e ocorreu um incêndio de pequenas proporções, combatido pelos próprios moradores do edifício com o uso do sistema preventivo de segurança contra incêndio (extintor).

O local foi isolado e passou pela perícia do Corpo de Bombeiros. A Defesa Civil também foi acionada para realizar uma avaliação do local e esteve no prédio na manhã desta quarta-feira (21), junto com um perito de incêndio dos Bombeiros. “Não houve necessidade de interdição do apartamento, porque não houve nenhum abalo estrutural. Como houve uma pressão do gás, o fogão acabou explodindo, a proprietária teve algumas queimaduras e uma das janelas da sala acabou, com a pressão, estourando os vidros. Mas não há necessidade de interdição. Hoje era só uma questão de limpeza e foi recomendado para que o proprietário ou o condomínio contratasse um técnico habilitado para ver as questões do gás, já que é um prédio, e a questão da parte elétrica”, informa o coordenador municipal de Proteção e Defesa Civil, Júlio Marcelino.

 

Quer participar do grupo de WhatsApp do Palhocense?

Clique no link de acesso!



Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • ea73bab336bac715f3185463fd7ccc14.jpg