f8cd4f6b92c2fc70f0e82ac7e1a42880.jpg Vacinação em SC: estado ultrapassa 5 milhões de pessoas com esquema vacinal completo

1069b9477a3a0d2f867498dc62b62e0e.jpeg Campanha quer melhorar autoestima de mulheres em situação de vulnerabilidade

5f9a9fdb32314194b4a64723f76fca64.jpeg Membros da comunidade se mobilizam para preservar vegetação na Pedra do Urubu

de47197475943f65b8890285981920fa.PNG Inspirada por Nelson Rodrigues, escritora de Palhoça lança livro de contos

c64875ae6408469efef36af9aa564775.jpeg ViaCatarina recebe mais uma edição da Feira do Artesanato

9570bba7c4646e5c724a73492d325f77.jpeg Produzido em Palhoça, EP de estreia de Yaju está disponível nas principais plataformas digitais

d6d50a1ca4d89a2580356c2c407d6130.jpeg Atletas da FMEC conquistam medalhas no Brasileiro de taekwondo

27e11cacd416c88131ac3f88f6e81065.jpg Copa do Mundo de Amadores contará com dois times de Palhoça

06dcb5028c047a5c6a4971990792762d.jpeg Halterofilismo: Rogério Anderle é campeão no Sul-Brasileiro 2021

b056d29d794b5e1bd70c65f106382a3b.jpg Governador Carlos Moisés abre a 60ª edição dos Jasc e destaca investimentos históricos no esporte

Interrupção de aulas na Colônia Penal

Mudança no horário de agentes deixou apenados sem aula pela manhã

0c209418b47512111f2e73f31561b669.jpg Foto: REPRODUÇÃO/INTERNET

A escola que funciona dentro da Colônia Penal Agrícola de Palhoça, localizada no Bela Vista, está com as aulas interrompidas no período da manhã. As aulas foram suspensas na quinta-feira (8), em função de uma readequação nos horários de trabalho dos três agentes prisionais que são responsáveis pelo setor da educação dentro da unidade e fazem a coordenação da escola.

A escola funcionava das 7h às 19h, oferecendo a 249 apenados aulas nos mais variados níveis, desde alfabetização até Ensino Fundamental, Médio e ainda as atividades do “Projeto de Remição pela Leitura: Despertar Para a Leitura”, que tem como proposta a leitura como uma maneira de reintegrar o apenado à sociedade. Vêm trabalhando na escola 13 professores contratados pela Secretaria de Educação, vinculados ao Centro de Educação de Jovens e Adultos (Ceja) de São José.

O funcionamento da escola pela manhã era possível porque o horário dos agentes prisionais foi flexibilizado. Eles vinham fazendo um horário de trabalho especial, das 7h às 19h (com 36 horas de folga para cada 12 horas trabalhadas). O decreto que rege a categoria prevê o horário de expediente das 12h às 19h - 35 horas semanais - e a Secretaria de Estado da Administração Prisional e Socioeducativa, através da Corregedoria Geral, determinou que este horário fosse respeitado. A solicitação aconteceu na quarta-feira (7), com prazo de 24 horas para cumprimento (sob pena de processo administrativo e de improbidade, em caso de descumprimento), por isso as aulas foram suspensas logo na quinta-feira (8).

Com o novo horário, a unidade escolar foi forçada a desativar quatro turmas de sala de aula, com 117 alunos no total. Lembrando que há intensa atividade laboral na Colônia Penal Agrícola, que é uma unidade “praticamente industrial”, pela quantidade de empresas que utilizam a mão de obra dos apenados. Quem trabalha à tarde, estuda pela manhã, e vice-versa. Ou seja: há presos que vão precisar parar de estudar ou parar de trabalhar se não houver mais oferta de aula pela manhã.
Segundo informações colhidas junto à Secretaria de Estado da Administração Prisional e Socioeducativa, está em análise uma readequação de horários a fim de evitar que os internos fiquem sem as aulas. Na Secretaria de Estado da Educação, a informação é a de que a situação seria resolvida e a expectativa é a de que as aulas voltem ao normal já nesta quinta-feira (15). 



Tags:
Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • ea73bab336bac715f3185463fd7ccc14.jpg