f8cd4f6b92c2fc70f0e82ac7e1a42880.jpg Vacinação em SC: estado ultrapassa 5 milhões de pessoas com esquema vacinal completo

1069b9477a3a0d2f867498dc62b62e0e.jpeg Campanha quer melhorar autoestima de mulheres em situação de vulnerabilidade

5f9a9fdb32314194b4a64723f76fca64.jpeg Membros da comunidade se mobilizam para preservar vegetação na Pedra do Urubu

de47197475943f65b8890285981920fa.PNG Inspirada por Nelson Rodrigues, escritora de Palhoça lança livro de contos

c64875ae6408469efef36af9aa564775.jpeg ViaCatarina recebe mais uma edição da Feira do Artesanato

9570bba7c4646e5c724a73492d325f77.jpeg Produzido em Palhoça, EP de estreia de Yaju está disponível nas principais plataformas digitais

d6d50a1ca4d89a2580356c2c407d6130.jpeg Atletas da FMEC conquistam medalhas no Brasileiro de taekwondo

27e11cacd416c88131ac3f88f6e81065.jpg Copa do Mundo de Amadores contará com dois times de Palhoça

06dcb5028c047a5c6a4971990792762d.jpeg Halterofilismo: Rogério Anderle é campeão no Sul-Brasileiro 2021

b056d29d794b5e1bd70c65f106382a3b.jpg Governador Carlos Moisés abre a 60ª edição dos Jasc e destaca investimentos históricos no esporte

Lembranças de uma Palhoça que deixou saudade

Orival João Silveira de Souza publica seu terceiro livro, com poesias e memórias vividas principalmente no Centro e na Ponte do Imaruim

21b7fd413858d521fb00a56028c1b363.JPG Foto: ISONYANE IRIS

Texto: Isonyane Iris

 

Nascido e criado na Ponte do Imaruim, Orival João Silveira de Souza lança seu terceiro livro sobre o bairro, “Lembranças e Lambanças”. Uma obra cheia de histórias, poesias e muitas recordações de um palhocense cheio de orgulho do bairro onde se criou. Além de trazer à memória dos palhocenses boas histórias, toda a verba oriunda da venda de exemplares é doada à Associação João Paulo II. 

Aos 77 anos, seu Orival conta que nunca imaginou escrever livros, mas que o amor e o carinho pelo bairro o motivaram. “Nasci e vivi na Ponte do Imaruim até meus 53 anos, então tenho muito para contar sobre aquele lugar e não poderia deixar de relembrar tudo que vivi ali”, justifica o escritor palhocense, sobre seu interesse pela literatura.

Foi em 2013 que a vontade de deixar tudo registrado despertou, depois que seu Orival leu um livro sobre o bairro da Ponte do Imaruim e sentiu falta de alguns detalhes. “O livro era muito bom, tinha muitos dados técnicos, mas não tinha as histórias de quem morou e realmente viveu ali. Então eu pensei que as pessoas precisavam conhecer mais detalhes e saber de histórias que só quem viveu sabe. Foi assim que resolvi escrever meu primeiro livro, ‘Minhas Memórias: Fatos e Relatos da Ponte do Maruim e Casqueiro’”, relembra o autor.

Em 2015, veio a segunda obra: “Eu, Caranguejo”, onde seu Orival traz ainda mais memórias de uma infância na Ponte do Imaruim. “Nesse livro eu escrevi ainda mais histórias e também um pouco da nossa cultura popular palhocense. Falei da minha vida e de como tudo era quando eu ainda era um menino. De como tudo era simples, de como todos se conheciam e se tratavam pelo nome, diferente da nossa realidade nos dias atuais”, destaca o autor, afirmando que do que mais sente saudade é da época em que caminhava pela rua e cumprimentava a todos.

Sobre a terceira obra, seu Orival conta que ainda precisava deixar mais alguns detalhes registrados. “Não imaginava escrever outros textos sobre a terra tão amada. Entretanto, as lembranças (e lambanças) do que vivi, tanto na Ponte do Imaruim quanto no Centro de Palhoça, atiçaram minhas mãos e minha cabeça, conduzindo-me a escrever sobre outras marcantes recordações”, resume seu Orival. 

“Lembranças e Lambanças” reúne divertidas histórias de amigos e personagens importantes para o município e principalmente para seu Orival. “Nesse terceiro livro, eu quis escrever tudo que eu ainda lembrava e ainda não tinha relatado nos outros. Histórias que eu vivi, outras de amigos, e ainda relatos de memórias políticas do município, com nomes importantes, como o do ilustre governador Ivo Silveira. Tentei colocar o máximo de detalhes possível, escrever tudo que eu lembrava e que sinto muitas saudades”, frisa.

Com um carinho muito grande pela Associação João Paulo II, na Ponte do Imaruim, seu Orival usou a sua última obra para contribuir com o trabalho que ele tanto admira. “Eu acompanhei a minha vida inteira os trabalhos feitos pela associação, tudo o que eles passam e o que fazem para oferecer sempre o melhor que podem às nossas crianças e adolescentes. Então, a minha forma de ajudar foi doando todos os exemplares da minha obra para que, com a venda, eles possam investir ainda mais no lindo trabalho que eles realizam”, explica seu Orival, pedindo aos leitores do Palhocense que procurem a Associação João Paulo II para adquirir a obra e assim ajudar com o trabalho da associação.



Tags:
Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • ea73bab336bac715f3185463fd7ccc14.jpg