MP dos Salários

Especialistas da LJ Contabilidade e Assessoria Ltda explicam os principais pontos da MP 936

d30e299ec3e2d920093560534a39da58.png Foto: REPRODUÇÃO
Diante da retração da economia no país, em função das medidas restritivas determinadas pelas autoridades em saúde para conter a proliferação do novo coronavírus, o governo federal estruturou o Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda, instituído por meio da Medida Provisória (MP) 936/2020, publicada em edição extra do Diário Oficial da União (DOU) de quarta-feira (1º).
 
A MP trata da aplicação de medidas trabalhistas complementares para o enfrentamento da crise.
 
A previsão do governo é a de que cerca de R$ 51,6 bilhões sejam destinados ao programa, com o intuito de evitar demissões em massa.
 
Especialistas da LJ Contabilidade e Assessoria Ltda, sediada em Palhoça, elaboraram uma cartilha para explicar os principais pontos da MP 936, que passou a ser chamada de "MP dos Salários". Confira! 
 
 
Regras que podem ser adotadas pelas empresas
 
 
MP 936/2020 e suas aplicações no que diz respeito aos salários dos colaboradores, quais as medidas as empresas poderão tomar nesse período, assim que poderem retomar suas atividades:
 
* Suspender os contratos de trabalho
* Reduzir a jornada e o salário: 25%, 50% ou 70%
 
A diferença será paga pelo governo através do seguro-desemprego
 
 
Quem pode adotar
 
* Trabalhadores com carteira assinada
* Domésticas
* As regras são diferentes, variam de acordo com os salários.
* Não há distinção de categoria profissional
* O trabalhador que concordar terá estabilidade, pelo mesmo período após o término do acordo.
 
 
Quem não pode adotar
 
* Trabalhadores que já estejam recebendo o seguro-desemprego ou qualquer beneficio concedido pelo governo - aposentados, por exemplo
 
 
Suspensão do Contrato de Trabalho
 
A medida provisória prevê a possibilidade de suspensão total do contrato de trabalho por um período de até dois meses, sendo que o mesmo pode ser dividido em dois períodos de 30 dias.
 
No período da suspensão do contrato, a empresa continuará concedendo o vale-alimentação e o plano de saúde.
 
Para empresas que adotarem essa medida, o governo pagará parcela integral do seguro-desemprego, cuja tabela atual varia de R$ 1.045 a R$ 1.813. 
 
O empregado não poderá prestar nenhum tipo de serviço durante esse período.
 
 
Qual o custo para a empresa?
 
* Para empresas com Receita igual ou inferior a 4,8 milhões de reais em 2019, o custo é ZERO
* Para empresas com receita superior a 4,8 milhões de reais em 2019, o percentual pago pela mesma será de 30%
* Em caso de demissão posterior a estabilidade da suspensão, o trabalhador, poderá receber normalmente o seguro-desemprego
* O pagamento do seguro-desemprego será feito pelo governo diretamente na conta do trabalhador
 
 
Ajuda Compensatória Mensal (parte paga pela empresa)
 
* Obrigatório 30% para empresas acima de 4,8 milhões
* O valor será pago como uma indenização
* Deverá ser definido no acordo ou negociação o valor que será pago pela empresa ao trabalhador a título de indenização
* Não tem incidência de encargos: Imposto de Renda, INSS e FGTS
 
 
Base de cálculo do seguro-desemprego em caso de suspensão
 
Quando houver a suspensão temporária do contrato de trabalho, o trabalhador terá direito
 
* Equivalente a 100% do valor do seguro  no caso do faturamento até  4,8 milhões
* Equivalente a 70% do seguro no caso do faturamento superior a 4,8 milhões e mais 30% paga como ajuda compensatória pela empresa
 
 
Redução da Jornada de Trabalho e Salário
 
A medida prevê que a redução de jornada e de salário pode ser de até 90 dias, sendo observados os seguintes requisitos
 
* Redução da jornada e salário, que são exclusivamente nos percentuais: 25%, 50% ou 70% 
* O salário do trabalhador será reduzido, respeitando o valor do salário hora do mesmo.
* Deverá ser feito um acordo por escrito com no mínimo 2 dias de antecedência do mesmo entrar em vigor
* O governo pagará ao trabalhador um valor proporcional de acordo com a tabela do seguro-desemprego, equivalente ao percentual do desconto.
* Para o trabalhador com o salário superior a R$ 12.202,00 por mês, também terá direito ao beneficio, desde que seja feito um acordo individual, observando que o mesmo deverá ter ensino superior
 
 
Base de cálculo do seguro-desemprego em caso de redução de jornada de trabalho e salário
 
* Será calculado aplicando-se sobre a base de calculo que o colaborador terá de redução
 
Exemplos de como será feito o pagamento
 
1 - Um  colaborador com o salário de R$ 2.000, com uma redução de 25% do salário:
 
Parte paga pela empresa: R$ 1.500 (75% sobre o salário de R$ 2.000)
Parte paga pelo governador: R$ 400 - valor do seguro
Total que o colaborador irá receber: R$ 1.900
 
2 - Um colaborador com o salário de R$ 2.000, com uma redução de 50% do salário:
 
Parte paga pela empresa: R$ 1.000 (50% sobre o salário de R$ 2.000)
Parte paga pelo governador: R$ 800 - valor do seguro
Total que o colaborador irá receber: R$ 1.800
 
3 – Um colaborador com o salário de R$ 2.000, com uma redução de 70% do salário:
 
Parte paga  pela empresa: R$ 600 (30% sobre o salário de 2.000)
Parte paga pelo governo: R$ 1.120 - valor do seguro
Total que o colaborador irá receber: R$ 1.720
 
 
Tabela de Redução da jornada mensal em horas
 
 
Jornada Mensal      25%      50%      70%
220                        165      110      66
180                        135      90        54
150                        113      75        45
120                         96       60        36
 
 
 
Estabilidades em geral
 
Para ambos os casos, seja Suspensão ou Redução de Jornada e Salário, fica reconhecido a garantia provisória de emprega ao colaborador que
 
* Durante o período de redução de jornada de trabalho e salário ou suspensão temporária do contrato
* Após o reestabelecimento da jornada de trabalho e salário ou do encerramento da suspensão temporária do contrato de trabalho, por um período ao mesmo cujo foi feito o acordo, sendo assim se for 30 dias, a estabilidade será de 30 dias após o retorno
 
 
Prazos para aplicação dos acordos
 
A partir de quando estará valendo
 
* Da data da assinatura do acordo individual ou coletivo 
* A empresa tem que informar a Secretaria do Trabalho (Ministério do Trabalho) no prazo de até 10 dias
* Após 30 dias da assinatura dos contratos, o colaborador começa a receber o recurso.
 
 
Para quem pode aplicar
 
Acordos individuais encaminhados com dois dias de antecedência
 
* Aplica-se a empregados com o salário igual ou inferior a R$ 3.135
* Aos portadores de diploma de nível superior com salário igual ou superior a R$ 12.202,12
* Aos empregados com salário entre R$ 3.135,01 e R$ 12.202,11, restritos ao percentual de 25% de redução de jornada e salário
* Acordos coletivos para os demais casos, inclusive percentuais diferentes da base de cálculo
 
 
Fim dos Acordos
 
* Quando houver a conclusão do estado de calamidade pública
* Na data em que ocorrer o termino dos contratos realizados
* Quando a empresa comunicar ao funcionário que decidiu antecipar o fim do contrato feito por ambas às partes.
 
 
Demissões nas estabilidades
 
* Encerramentos de contrato de trabalho poderão ser feitos apenas na data de encerramento do contrato em se tratando de casos em que o colaborador estava na experiência. Caso o colaborador estivesse cumprindo aviso antes da data do decreto, o mesmo também será rescindido na data do termino do aviso
 
No caso de haver demissão no período de estabilidade a empresa além do pagamento das verbas rescisórias normais a empresa também pagará as indenizações
 
* 50% do salário que o empregado teria direito do período de garantia, na hipótese de redução de jornada e salário, no caso de 25% e inferior a 50%
* 75% do salário que o empregado teria direito do período da garantia, na hipótese de redução de jornada e salário, no caso de 50% e inferior a 70%
* 100% do salário que o empregado teria direito do período de garantia, nas hipóteses de redução de jornada e salário em que o percentual seja superior a 70% ou suspensão temporária do contrato de trabalho
 
Caso ocorra o pedido de demissão, ou demissão por justa causa, não serão aplicadas nenhuma das hipóteses mencionadas
 
 
Observação
 
Estas informações estão sujeitas a modificações, pois poderão ocorrer mudanças na Medida Provisória, devido aos ajustes que têm sido feitos ao decorrer das necessidades estipuladas pelos órgão competentes
 
 
Quer participar do grupo do Palhocense no WhatsApp?
Clique no link de acesso!
 
 


Tags:
Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • Banner-310x260.gif