PH estende prazo para cadastrar vítimas do ciclone

As pessoas interessadas podem procurar a Defesa Civil, no prédio da Prefeitura, até segunda-feira (6)

551d5e4029a9313af07686f080ba4f1f.jpg Foto: DIVULGAÇÃO

A Prefeitura de Palhoça estendeu, até segunda-feira (6), o prazo para cadastramento de famílias que sofreram danos com a passagem do ciclone, nos dias 30 de junho e 1º de julho. Os moradores do município, comprovadamente afetados pelo vendaval, que em algumas localidades alcançou mais de 100km/h, podem solicitar telhas de fibrocimento (tipo Brasilit) na Defesa Civil da cidade.

O cadastramento teve início na quinta-feira (2) e seria encerrado na sexta-feira (3). Porém, devido ao grande número de pessoas que procuraram a Defesa Civil, o prefeito Camilo Martins determinou que o cadastramento seja prolongado até segunda-feira, das 8h às 12h e das 13h às 18h. O local do cadastramento é o escritório da Defesa Civil, no prédio da Prefeitura, no Pagani, onde o atendimento é realizado por assistentes sociais do município. Para realizar o cadastramento, é necessário apresentar a quantidade de telhas necessárias (que será confirmada pela Defesa Civil), comprovante de residência, CPF e nome completo de todos os moradores do imóvel afetado.


Decreto de emergência

Na tarde de quarta-feira (1), o prefeito Camilo Martins decretou “situação de emergência em razão dos efeitos ocasionados pelo ciclone”, após receber um relatório de danos, realizado pela Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil (Compdec), informando sobre os registros de mais de 100 ocorrências. O documento relata que 16 escolas municipais e 65 residências foram destelhadas ou tiveram as coberturas completamente arrancadas pelo vento. Posteriormente, ficou comprovado que o número de moradias danificadas era bem maior.

O decreto informa que “fica declarada a existência de situação anormal no município de Palhoça, decorrente do ciclone que assolou o Estado de Santa Catarina (…), afetando a infraestrutura de diversos imóveis, particulares e públicos, caracterizando situação de emergência”. A situação de anormalidade declarada é válida “única e exclusivamente para atender as localidades comprovadamente afetadas pelo ciclone, em Palhoça”.

Os primeiros danos causados pelos ventos foram registrados por volta das 16h de terça-feira (30). À noite, o ciclone deu uma trégua, diminuindo a intensidade das rajadas, voltando a castigar a cidade a partir da madrugada desta quarta-feira (1).

Equipes da Defesa Civil, bombeiros militares e civis estão ocupados desde a tarde de terça-feira, cortando e removendo entulhos de árvores de ruas, sobre a fiação de energia elétrica e das propriedades particulares atingidas. A Defesa Civil recrutou até agentes de trânsito do município para auxiliar nesse trabalho, que também inclui a remoção de estruturas metálicas de placas de publicidade que atingiram a fiação e dificultaram o trânsito. Mais de 1.500 unidades consumidoras ficaram sem energia elétrica em Palhoça, afetando também serviços de telefonia e internet.


Quer participar do grupo do Palhocense no WhatsApp?
Clique no link de acesso!
 



Tags:
Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • ea73bab336bac715f3185463fd7ccc14.jpg