cea913637f9993044e2d593d2c8c58a5.jpeg Professor de Ecologia e Oceanologia aborda exploração de petróleo

31912c67f113f2bc58ba76fe5f16f0c1.jpeg Por meio do Governo do Estado, Epagri Ciram realiza ações de apoio à pesca

05869665556f62f815b6c2a9f54623e6.jpeg Professores e alunos da Ponte do Imaruim reclamam de horários do transporte coletivo

2a46e516208184553913a41ae23578e0.jpeg Através de campanha solidária, evento de Dia das Crianças deve ocorrer no São Sebastião

124a5fd64c0300628c002b6987790ece.jpeg Acusado de matar pelo menos 15 pessoas é preso na Ponte do Imaruim

5e23d8c4a62a022f340e9d6aa9d81f61.jpeg PBec Brasil completa 11 anos de história no futebol palhocense

e228afe0fbb6efb4982272fb3b076d56.jpeg Tocha se destaca em reestreia do Campeonato Paranaense de BMX

72f487649eea6e06499c8aad717c7939.jpg Rodada do Campeonato Palhocense de Juniores é cancelada por suspeita de Covid-19

fb7c595c0003a6d5a1d67ae4342a585b.jpeg Apostando em jovens talentos, Guarani encerra Série B em quinto lugar

5d4a40de45338ded326da1392547a49a.jpeg Paratleta de Palhoça é homenageada por participação em Tóquio


PLC CTISP: economia para municípios catarinenses

Deputado Nazareno Martins pede agilidade ao governo do estado para liberar municípios a contratar policiais e bombeiros da reserva

1bc1ea03fc12d98ddde307cf2d9913d5.jpg Foto: DIVULGAÇÃO

Em março do ano passado, o deputado Nazareno Martins apresentou o Projeto de Lei Complementar 0007.3/2019, aprovado em setembro do mesmo ano por maioria absoluta dos deputados na Assembleia Legislativa de Santa Catarina. “Para relembrar, meu projeto de lei tem como objetivo permitir que as prefeituras e câmaras de todo estado de Santa Catarina possam contratar policiais e bombeiros da Reserva do CTISP para cuidar de espaços públicos, como escolas, por exemplo, em seus municípios. Vale lembrar ainda que este tipo de contratação já existia e era oferecido somente aos espaços públicos de âmbito estadual”, explica Nazareno.

O deputado enfatiza que, mesmo sendo transformado na Lei Complementar 745/19, o governo do estado não está atendendo aos pedidos dos municípios que querem contratar esses profissionais. Um exemplo seria a cidade de Palhoça. “A contratação desses inativos é muito benéfica para os municípios, pois poderão contratar pessoal que possui experiência e treinamento especializado, que trabalharão armados e fardados e tudo isso por um custo muito menor aos cofres do município”, destaca.

Nazareno Martins diz que é importante salientar que a prefeitura que contratar esse serviço ficará responsável por pagar um pequeno coeficiente sobre o valor da aposentadoria deste profissional, não um salário cheio mais a aposentadoria. Esse tipo de contratação também não afetaria a oferta e demanda dos serviços por escolta e vigilância terceirizados, já que, por lei, o número máximo de inativos designados não poderá ultrapassar a 10% dos efetivos disponíveis de cada corporação.


Quer participar do grupo de WhatsApp do Palhocense?
Clique no link de acesso!
 



Tags:
Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • ea73bab336bac715f3185463fd7ccc14.jpg