2bcce634871ed1468e7351608bbebb70.jpg Vacinação em SC: Estado distribui doses nesta terça para vacinar adolescentes contra a Covid-19

df6918034d4114166d85ee70d1d48414.jpg Cerca de 4 mil beneficiados do SC Mais Renda ainda não buscaram seus cartões

24ad3550b5edf4882c4dd519fdf7be25.jpeg SC Transplantes registra recuperação em número de doações de órgãos

dbcd3da33f56f29f2f6a7dcf20c532df.jpg Palhoça é a primeira cidade de SC a concluir o programa Salto em 2021

cea913637f9993044e2d593d2c8c58a5.jpeg Professor de Ecologia e Oceanologia aborda exploração de petróleo

5e23d8c4a62a022f340e9d6aa9d81f61.jpeg PBec Brasil completa 11 anos de história no futebol palhocense

e228afe0fbb6efb4982272fb3b076d56.jpeg Tocha se destaca em reestreia do Campeonato Paranaense de BMX

72f487649eea6e06499c8aad717c7939.jpg Rodada do Campeonato Palhocense de Juniores é cancelada por suspeita de Covid-19

fb7c595c0003a6d5a1d67ae4342a585b.jpeg Apostando em jovens talentos, Guarani encerra Série B em quinto lugar

5d4a40de45338ded326da1392547a49a.jpeg Paratleta de Palhoça é homenageada por participação em Tóquio


Terreno passará por descontaminação

Instituições responsáveis se dedicam a apurar o caso e a descontaminar a área

e37fe6632ff8fb98eca37c27fefef1ca.jpeg Foto: SOFIA MAYER/ESPECIAL

Por: Sofia Mayer*

Há alguns meses, quem passa pela avenida Cláudio Zacchi, no Pagani, se depara com um tapume misterioso, no terreno onde funcionava um posto de combustível, informando que a área estaria sob investigação. A situação pode ser explicada: de acordo com a Fundação Cambirela do Meio Ambiente (FCam), após a avaliação de relatórios de análises químicas, foi constatado que a água subterrânea do local estaria contaminada pela substância benzeno, um componente dos derivados de petróleo.

A verificação se deu após a empresa responsável solicitar a retirada dos equipamentos do posto de combustível e, posteriormente, encaminhar os relatórios ao instituto. Agora, instituições responsáveis se dedicam a apurar o caso e a descontaminar a área.

O antigo estabelecimento havia solicitado à FCam a desmobilização do posto de combustível. “Deu-se início aos procedimentos adequados definidos pela Instrução Normativa (IN-01) do Instituto do Meio Ambiente, a qual é também utilizada pelo município de Palhoça”, informou a FCam, que acompanhou todo o processo de retirada, “para que fosse realizada de forma ambientalmente segura e adequada, seguindo todos os protocolos necessários”.

No momento, o procedimento de investigação da área afetada está em fase de finalização. O próximo passo é deliberar, entre outras questões, o método mais adequado de remediação, para logo iniciar, efetivamente, a descontaminação no local. A medida será necessária para que a área possa voltar a ser usada no futuro, explica a FCam.

A conclusão deve acontecer nas próximas semanas. “Eles estão com prazo para apresentar a documentação da investigação até final de dezembro, passando um pouquinho do início de janeiro, por conta do recesso”, informa o agente ambiental da FCam Jackson Lee Simas. De acordo com ele, os proprietários do terreno também foram alertados a respeito do tapume, que precisa ser consertado, por não estar firme o bastante. 


Riscos
A FCam explica que a contaminação da água subterrânea e do solo do local é um risco decorrente da própria atividade de comércio de combustíveis, devido às substâncias contidas nos combustíveis serem tóxicas ao ser humano e ao meio ambiente. 

A instituição afirma, no entanto, que a comunidade não deve se preocupar. “Todas as medidas de segurança para a população foram tomadas, entre elas, o cercamento do imóvel por tapumes, a fim de assegurar a restrição do acesso à área contaminada, visto que o benzeno é substância tóxica à saúde humana e ao meio ambiente”.

Em complemento a matéria divulgada na quinta-feira (10/12/2020), a fim de deixar a população tranquila, a advogada da proprietária do terreno, Daiana Souza Duarte, informou em nota ao jornal Palhocense , que apenas um ponto ponto, de menos de cinco metros quadrados encontra-se contaminado, sendo que a área total tem 2,5 mil metros quadrados. 
O índice de contaminação, segundo a advogada, é muito baixo, “e não há razões para nenhuma preocupação”, garante.
Cientificou ainda que a conclusão só não ocorreu em razão da burocracia e que os tapumes foram colocados por orientação da Fcam, assim como o aviso.

* Sob a supervisão de Alexandre Bonfim

 

Quer participar do grupo de WhatsApp do Palhocense?

Clique no link de acesso!



Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • ea73bab336bac715f3185463fd7ccc14.jpg