Editorial - Edição 694

 

 

Pelo direito de ir e vir

 

Cada vez mais, o futuro do Brasil tem passado pelos tribunais. Seja com nossa classe política respondendo por escândalos ou pela mitigação de direitos essenciais, como o de ir e vir. Sobre o último, tivemos na semana passada mais um capítulo do imbróglio que envolve o Contorno Viário. Agora, a Autopista Litoral Sul repudia o valor estipulado para multa em caso de atraso. Ou seja, estão preparando novas protelações para o fim da obra.

O chefe do Executivo palhocense, Camilo Martins, tem se mostrado um líder no que se refere à falta de mobilidade na região. Isso porque, sabe ele, para a nossa cidade os gargalos do trânsito representam prejuízos galopantes.

Um exemplo emblemático é o entroncamento entre duas das principais rodovias federais de Santa Catarina. A rótula da BR-282, na altura do bairro Bela Vista, há tempo não suporta mais o fluxo. Há ali, diariamente, uma fila perene. A instalação de grandes empreendimentos no local, de acordo com especialistas, deve dificultar uma alternativa de solução a médio prazo. Diria o Zé Caranguejo: “Mofas com a pomba na balaia”.

Dentro do bairro Bela Vista, que viu seu índice populacional subir vertiginosamente, o problema é ainda pior. São quilômetros de fila e horas de perda acumulada todas as semanas.

O tempo não para. Embora, para os responsáveis pelo Contorno Viário, o passar dos anos e o custo do atraso sejam bem relativos... 



Publicado em 20/06/2019 - por Palhocense

btn_google.png btn_twitter.png btn_facebook.png








Autor deste artigo


Mais vistos

Publicidade

  • Banner-310x260.gif