2bcce634871ed1468e7351608bbebb70.jpg Vacinação em SC: Estado distribui doses nesta terça para vacinar adolescentes contra a Covid-19

df6918034d4114166d85ee70d1d48414.jpg Cerca de 4 mil beneficiados do SC Mais Renda ainda não buscaram seus cartões

24ad3550b5edf4882c4dd519fdf7be25.jpeg SC Transplantes registra recuperação em número de doações de órgãos

dbcd3da33f56f29f2f6a7dcf20c532df.jpg Palhoça é a primeira cidade de SC a concluir o programa Salto em 2021

cea913637f9993044e2d593d2c8c58a5.jpeg Professor de Ecologia e Oceanologia aborda exploração de petróleo

5e23d8c4a62a022f340e9d6aa9d81f61.jpeg PBec Brasil completa 11 anos de história no futebol palhocense

e228afe0fbb6efb4982272fb3b076d56.jpeg Tocha se destaca em reestreia do Campeonato Paranaense de BMX

72f487649eea6e06499c8aad717c7939.jpg Rodada do Campeonato Palhocense de Juniores é cancelada por suspeita de Covid-19

fb7c595c0003a6d5a1d67ae4342a585b.jpeg Apostando em jovens talentos, Guarani encerra Série B em quinto lugar

5d4a40de45338ded326da1392547a49a.jpeg Paratleta de Palhoça é homenageada por participação em Tóquio


O surgimento do Centro de Palhoça

Sede do município era repleta de banhados e manguezais

f16960b64632bc5e36e2b7377b72a77a.jpg Foto: ARQUIVO JPP

O local onde foi instalada a sede do município, por ser uma área de banhados e manguezais, ofereceu muitas dificuldades para os que empreendiam a missão de forjar um novo município. 

O nome “Palhoça”, nos documentos históricos, só começou a aparecer oficialmente na segunda metade do século XIX, mostrando que o atual Centro da cidade estava começando a se estruturar como povoado. Isso porque, até aquele momento, a maioria dos habitantes morava nos bairros hoje nomeados de Ponte do Imaruim, Passa Vinte, Aririú, Guarda do Cubatão e Barra do Aririú, onde haviam áreas mais secas, propícias à agricultura.

O primeiro documento que faz referência ao nome “Palhoça” foi a Lei Provincial 629, de 3 de maio de 1870, assinada por Manoel Vieira Tosta, vice-presidente da Província de Santa Catarina: “Faço saber os seos habitantes, que a Assembléia Legislativa Provincial decretou e eu sanciono a lei seguinte: artigo 1º - Fica criado uma escola de primeiras letras para o sexo masculino, no Arraial de Palhoça, município de São José, vencendo o respectivo professor o ordenado e gratificação marcada por lei”.

Anos depois, em 30 de dezembro de 1872, Palhoça deixou de ser arraial e passou a distrito policial. Seguiram-se, então, atos de grande importância para a consolidação do povoado. Confira no quadro anexo!


Desenvolvimento de Palhoça

Criação da primeira agência postal, em 25 de junho de 1881
Elevação de distrito policial para freguesia (Freguesia Senhor Bom Jesus de Nazaré de Palhoça), em 8 de novembro de 1882
Construção da Igreja Matriz, em 1884
Criação do Distrito de Paz, em 9 de setembro de 1886
Inauguração oficial do Cemitério Público do Passa Vinte, em 9 de setembro de 1886
Nomeação de vários intendentes municipais para a Câmara de São José, em 1890
Criação de uma delegacia literária, em maio de 1890
Nomeação de juiz de paz e escrivão da freguesia, sendo realizado o primeiro casamento em Palhoça, em 23 de maio de 1891
Criação do município de Palhoça, em 24 de abril de 1894, em documento assinado pelo coronel Moreira César, governador de Santa Catarina

Decreto número 184, de 24 de abril de 1894, que instituiu a emancipação

Artigo 1º - É elevado à categoria de Villa a Freguesia de Palhoça, que fica desmembrada de São José, para formar com as freguesias de Santo Amaro do Cubatão, Enseada de Brito e os districtos de Theresopolis, de Santa Isabel do Capivary e Colônia Militar de S. Tereza, um município com a denominação de Palhoça, tendo por sede a Villa deste nome e por limites ao Norte, o rio Maruim e a actual divisa dos districtos de Santa Isabel com a ex-colônia Angelina; ao Sul e ao Oeste, os atuais limites do município de São José.
Artigo 2º - Revogam-se as disposições em contrário.
Dado no Palácio do governo do Estado de Santa Catarina, em 24 de abril de 1894, 6º da República.
Antônio Moreira César

Fonte: Vilson Francisco de Farias, no livro “Palhoça - Natureza, História e Cultura”



Galeria de fotos: 2 fotos
Créditos: ARQUIVO JPP ARQUIVO JPP
Tags:
Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • ea73bab336bac715f3185463fd7ccc14.jpg