f8cd4f6b92c2fc70f0e82ac7e1a42880.jpg Vacinação em SC: estado ultrapassa 5 milhões de pessoas com esquema vacinal completo

1069b9477a3a0d2f867498dc62b62e0e.jpeg Campanha quer melhorar autoestima de mulheres em situação de vulnerabilidade

5f9a9fdb32314194b4a64723f76fca64.jpeg Membros da comunidade se mobilizam para preservar vegetação na Pedra do Urubu

de47197475943f65b8890285981920fa.PNG Inspirada por Nelson Rodrigues, escritora de Palhoça lança livro de contos

c64875ae6408469efef36af9aa564775.jpeg ViaCatarina recebe mais uma edição da Feira do Artesanato

9570bba7c4646e5c724a73492d325f77.jpeg Produzido em Palhoça, EP de estreia de Yaju está disponível nas principais plataformas digitais

d6d50a1ca4d89a2580356c2c407d6130.jpeg Atletas da FMEC conquistam medalhas no Brasileiro de taekwondo

27e11cacd416c88131ac3f88f6e81065.jpg Copa do Mundo de Amadores contará com dois times de Palhoça

06dcb5028c047a5c6a4971990792762d.jpeg Halterofilismo: Rogério Anderle é campeão no Sul-Brasileiro 2021

b056d29d794b5e1bd70c65f106382a3b.jpg Governador Carlos Moisés abre a 60ª edição dos Jasc e destaca investimentos históricos no esporte

Espaços públicos liberados para o grafite

Prefeitura vai cadastrar grafiteiros para que possam desenvolver sua arte em locais selecionados

2d90fff44923930f10f7d5c679f98ee4.jpg Foto: REPRODUÇÃO/INTERNET

A Prefeitura de Palhoça está iniciando o cadastramento de grafiteiros, que deverão agir em áreas públicas pré-estabelecidas. O projeto da Fundação Municipal de Esporte e Cultura (FMEC) tem o objetivo de evitar, preventivamente, ações de pichadores, buscando o embelezamento de muros e fachadas de prédios públicos, como escolas, ginásios, postos de saúde, entre outros, com arte.

O prefeito Camilo Martins, defensor do projeto, disse que a ideia surgiu a partir do fenômeno das pichações em outras cidades, com a destruição de muros e fachadas de prédios públicos e privados. “Essas manifestações de depredação do patrimônio público e privado já vêm ocorrendo em Palhoça, embora com menor incidência. Por isso, nossa iniciativa de mapear locais e incentivar o uso do grafite de forma criativa, como manifestação de arte”, afirmou Camilo Martins.

O presidente da FMEC, José Virgílio Junior (Secco), lembra que nas cidades onde o grafite se tornou uma forma agressiva de protesto e manifestação de revolta, a beleza das cores deu lugar a formas horrendas de rabiscos sem sentido para a maioria da população. E, como forma de reação aos danos causados, o poder público vem adotando métodos coercitivos e repressivos, com a utilização de forças policiais para coibir abusos e condenações. “Estamos tentando evitar as pichações. Nossa proposta não é pichar, é grafitar como forma de expressão e arte”, conclui.

A prioridade será mapear os locais já pichados. Esses locais deverão receber as cores e formas das mãos dos grafiteiros cadastrados, que contarão com apoio da Prefeitura, com o fornecimento do material necessário.

Os artistas interessados no projeto podem procurar a Fundação ou ligar para os telefones 3279-1792 ou 3279-1710.



Tags:
Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • ea73bab336bac715f3185463fd7ccc14.jpg