Editorial - Edição 784

 

Talvez um dos traços que nos faça mais humanos seja a empatia. Esse tema já orbita este espaço há algumas semanas, e o motivo é simples: nunca precisamos de tanta!
Imagens nos chegaram esta semana revelando atitude de extrema crueldade. Um homem deu um tiro na boca de um cachorro, sob o argumento de que ele havia atacado suas galinhas. De arma em punho, ele ainda teria feito outras ameaças.
Não precisa ser um protetor dos animais para se revoltar com a situação. O sangre frio assusta e alerta para o momento de barbárie que estamos vivendo. A violência nunca deveria ser um caminho.
Nossa sociedade, colocada à prova, parece tender ao ataque animalesco (na pior acepção da palavra). 
Nesse ponto, inclusive, nosso ponto de vista, alertam cientistas, é errado. Acostumados a ver cenas de ataques de animais na natureza, passamos a acreditar que a violência é expressão natural (e isso nos incluiria). Essa visão é colocada à prova no documentário “I Am”, do cineasta Tom Shadyac (vale assistir, tem no Netflix). Nele, a natureza mostra-se muito mais colaborativa do que agressiva. Muito mais democrática do que ditadora.
Quem ama os animais sabe muito bem de suas capacidades de acolhimento e empatia. Eles têm muito a nos ensinar. Para alguns, talvez um tempo apenas no convívio dos animais pudesse ensinar um pouco. Fica a dica!



Publicado em 25/03/2021 - por Palhocense

btn_google.png btn_twitter.png btn_facebook.png








Autor deste artigo


Mais vistos

Publicidade

  • ea73bab336bac715f3185463fd7ccc14.jpg